Aluguel de apartamento em Canela

No comecinho do ano quando decidimos passar uns dias em Gramado, tentamos ao máximo economizar. Pra começar que, ao invés de ir na semana de Natal, escolhemos os primeiros dias do ano. Pegamos toda a decoração e atividades da época (que vai até 13/01), com preços já mais baixos e um pouco menos gente.

Fomos pra lá de carro, saindo de Curitiba. Desta forma ficaríamos de carro pra andar por lá nos livrando de táxis ou ônibus turístico, gastamos menos em passagem e menos ainda no traslado POA-Gramado, que gira em torno de R$ 200 por pessoa.

Estou contando tudo isso pra chegar na nossa hospedagem, que também foi a mais econômica de todas: aluguel de apartamento em Canela. Já alugamos em vários outros lugares, e é algo que geralmente fica mais em conta mesmo. Os hotéis em Gramado são muito caros, e realmente dá aquela pesada no bolso. A locação de apartamento em Gramado também não é tão diferente, por isso locamos em Canela.

Ora, estávamos de carro, a cidade fica a 10 minutos de Gramado, tem opções de restaurante, é caminho para vários passeios… uma escolha excelente pra quem quer conhecer a duplinha gastando pouco.

O apartamento era perfeito. Tinha um quarto de casal, com ar condicionado, cozinha completa com utensílios (é porque já fiquei em lugar com cozinha mas que não tinha as coisas pra usar, serviu muito mesmo hahaha), lavanderia com churrasqueira, garagem, TV, banheiro com toalha e sabonete, uma varandinha e uma pequena sala. Ah, e tinham vários cobertores, indispensável para a época de inverno.

hospedagem canela

Quando chegamos, nossos locatários ainda deixaram um bolinho de boas vindas com uma cartinha. É o tipo de coisa que encanta de primeira e dá um toque na estadia. Depois de horas de estrada, foi muito simpático!

hospedagem canelaA gente locou com a Bah que Aluguel, no site deles tem diversas opções, e o apartamento que locamos é esse aqui (selecionei uma data qualquer ali). Na ocasião, pagamos menos de R$ 1.000,00 para os 4 dias que ficamos, bem em conta, ainda mais para a região e época!

Chocolate em Gramado: 5 lojas pra conhecer

Conhecida pelo frio, pela serra, pelo fondue e pelos chocolates, é inegável que quando for a Gramado você VAI SIM comer um montão de delícias. São dezenas de lojas e opções, é fácil de achar e na principal avenida da cidade estão praticamente todas as lojas. Com certeza você vai visitar muitas lojas de chocolate em Gramado e trazer um monte pra casa.

A verdade mesmo é que apesar da quantidade de lojas e marcas, os produtos chegam a ser muito parecidos. Você sempre vai encontrar as barrinhas pequenas e suas promoções de pague 5 leve 6 (ou enfim, qualquer quantidade nesse sistema), sempre tem as drágeas, as barras com textinho tipo souvenir “lembrei de você”. Depois disso cada uma tem algum produto diferenciado, e claro, a apresentação e embalagem dos produtos que faz toda a diferença.

Eu fui em várias, comi horrores, experimentei bastante, comprei outro bastante, e escolhi 5 lojas pra falar aqui. Repito, tem muitos lugares pra comer chocolate, dos famosões aos menores e mais simples, mas escolhi 5 que me chamaram mais a atenção.

CARACOL

Famosíssima, a Caracol tem algumas lojas espalhadas pela cidade e na Av. das Hortênsias, que liga Gramado-Canela. É uma das grandes que fez um trabalho muito bacana e criou a Fabulosa Fábrica de Chocolates, uma misturinha de fabrica, com castelo, com quebra-nozes e conto de fadas.

caracol chocolate em gramado

Em Gramado, no Natal, tinha showzinho em cima da fachada; na loja da Avenida você já encontra um castelinho com muitas atividades para crianças. O fato é que o produto é gostoso, as embalagens são incríveis e vendem o produto por si só, é colorida, é mágica e traz um clima meio Willy Wonka + contos de fadas.

O que eu adorei lá foi o chocolate que explode na boca, tipo aqueles chicletes da infância sabe? Ele explode mesmo e eu me arrependi de não ter comprado mais disso lá.

caracol chocolate em gramado

PLANALTO

O ambiente da Planalto é totalmente diferente da Caracol, já muito mais sério, claro, amplo… uma coisa mais madura talvez. A loja é linda, muito organizada e tudo perfeitamente no seu lugar.

A quantidade de opções de drágeas é enorme, e essas barras de chocolate ao leite, branco, amargo, super amargo, mega amargo me chamou muita a atenção. São lindas demais, bom chocolate e perfeitas para presentear, principalmente amigos de fora, porque elas são super brasileiras. Claramente, eu comprei uma de cada, hehe. Dá para comprar online também aqui.

Lá você também pode montar sua própria barra de chocolate, em uma mini fábrica no final da loja.

chocolate em gramado

PRAWER

Falando em maturidade e chiqueza, chegamos na Prawer. Que-loja! Muito menor do que as outras duas acima, mas um garbo e elegância indescritíveis. Aliás, a Prawer é o 1º chocolate artesanal do Brasil! É do tipo que tem que experimentar.

chocolate em gramado

Lá provamos as drágeas mais diferentonas, como a de limoncello, banana orgânica e menta. Também ali tem os chocolates de queijo (aham, isso mesmo, como na foto ali na Caracol) que eu fiquei meio assim de experimentar, um torrone MUITO interessantinho com amêndoas e outras sementes e um chocolate quente cremosíssimo o qual eu levei pra casa porque eu mereço.

LAGOS DE GRAMADO

Essa loja provavelmente passa despercebida pelos olhos dos mais desavisados, pois não está na rua principal, e sim em uma perpendicular, exatamente ao lado da Catedral de Gramado. É uma loja bem pequena, mas pessoal, uma quantidade absurda das barrinhas tradicionais de todas as lojas, em sabores muito gostosos. Gengibre e pimenta são apenas alguns deles.

lagos de gramado chocolates

Os preços das barrinhas é um tiquinho mais caro, coisa de centavos, com relação às outras grandes e promoções por todos os lados, mas a embalagem é mais bonitinha e os sabores valem a pena. Aqui em cima na foto são só algumas opções das barras na versão chocolate branco. Ainda tem todas as outras em chocolate preto. #reflita

JOHN AND MARY

Essa lojinha fica já muito mais pra frente na rua principal, mais pra frente da Planalto. Nos chamou a atenção a casinha bem estilo João e Maria, e achei uma graça eles trazerem esse tema para uma loja de chocolates em uma cidade que tudo lembra a Alemanha, não é mesmo? Por dentro é toda uma casinha de madeira, no andar de cima tem até uma gaiola pra prender as criancinhas e utensílios da bruxa.

chocolate em gramado

Ela é mais simples, tem as famigeradas barrinhas em vários sabores também, mas sempre buscando os clássicos ao leite, amargo, amêndoas, café, croc, laranja… sem muita diferenciação como a Lagos de Gramado, por exemplo. Visita diferente e fora do circuitão loja de chocolate tradicional lotada.

*Ah, detalhezinho: em todas as lojas tem degustação de chocolate. E fique a vontade pra pedir mais um, hein?

Onde comer em Canela além do café colonial e fondue

Tá certo, quando a gente fala em Gramado e Canela a primeira coisa que vem à cabeça é: COMER. Comer, comer e comer. Tudo bem, mas e se a gente não quer se acabar de comer ou não quer gastar tanto assim?

Eu já conhecia Gramado e aqui em Curitiba tem bastante fondue então não é super novidade (certamente pra quem vem do Norte e Nordeste eu entendo o apelo). Então nessa viagem eu não estava realmente na vibe comer até me acabar, sabe? Pulamos as opções exageradas tradicionais: fondue e café colonial e buscamos opções acessíveis e mais em Canela, onde estávamos hospedados.

PIZZARIA CONGO

esse é o único que fica entre Gramado e Canela na lista, bele?

Nós ficamos hospedados em Canela, e aí sempre que pegávamos o caminho pra Gramado, passava em frente à Congo com seu macaco gigante na frente. E sempre mega fila. Achamos interessante, era pizzaria, diferente, cheia… resolvemos tentar.

Na 1ª tentativa chegamos por volta das 19h30 ali. A fila já era de 2h!! Já cansados e com fome, ficamos com preguiça de esperar e fomos embora. Alguns dias depois, nos liberamos antes dos passeios e chegamos lá às 18h (a casa já estava aberta) e já com fila! Porém, por ser mais cedo e a fila menor, achamos ok esperar 1h para entrar. Valeu-a-pena.

Bem, o local é igualzinho à Rainforest nos Estados Unidos. Quem já foi, já me entendeu. É igual. O clima lá dentro é de floresta. Tudo meio escuro, folhagens por tudo, barulhinho de bichos, barulho de chuva, etc. A diferença é que no Rainforest o cardápio é variado e cheio de opções, e na Congo é rodízio de pizza. Mas gente, não é um rodízio qualquer não. Tem CENTENAS de opções de pizza, muito diferentes mesmo, e elas não param de vir nunca mais na sua mesa. É extremamente farto, a parte de doces então, socorro! Na brincadeira ficamos mais de 2h lá dentro comendo, de tão gostoso e de tantas opções que ainda queríamos provar.

O atendimento é fantástico, e mesmo com o preço alto (no fim cada um pagou cerca de R$ 110 no rodízio + bebidas) achei que valeu a pena sim. Ainda vale mais a pena pra quem não esteve no restaurante dos EUA e não conhece todo o visual, que com certeza agrega na noite. Crianças ficam enlouquecidas.

Serviço:

Av. das Hortências, 5683 | Todos os dias das 18h às 23h30

 EMPÓRIO CANELA

Como falei, estávamos em Canela, e aproveitamos pra comer por lá várias vezes. Esse restaurante foi dica de uma amiga (oi Thaís!), e olha, que dica! Tipo de lugar que eu curto ir, um mix de casa de família, com arte, com cultura, com misturinha e comida boa.

Apesar de ter ido pra lá no verão, pegamos 2 dias BEM frios na viagem, e o dia de ir nesse restô foi um deles. Sem dúvida alguma, minha opção foi sopa e chá, tudo de mais quentinho possível. Já o Jorge pegou um PF, completinho e muito bem servido. O prato + bebida e 10% saiu cerca de R$ 50 para cada um.

emporio canela

O que gostamos de lá também, é que o cardápio tem umas opções bem diferentes, com chás próprios, opções de suco diferentonas, umas misturas novas pra gente explorar. Ainda contam com uma mini livraria e algumas coisinhas bonitinhas em uma espécie de loja/hall de entrada.

O local também fica cheio, e é preciso colocar nome na lista, mas nada como 2h de espera como na pizzaria acima. O Empório fica em frente à Catedral de Canela basicamente, na rua mais agitada da cidade.

Serviço:

Rua Felisberto Soares, 258 – Canela | De terça a domingo das 11h30 às 23h

CASAJOLÍ

Outra opção em Canela e bem pertinho da Catedral é o Casajolí. Esse não foi indicação nem nada, estávamos rodando na cidade procurando um lugarzinho pra comer já um pouco tarde e achamos esse bem simpático.

Lá você encontra alguns pratos de massa e sanduíches (não tem muuuitas opções no cardápio) em um ambiente muito lindo, com uma pegada mais industrial, completamente diferente do Empório Canela.

restaurantes em canela

Os preços lá giram entre R$ 32 e R$ 50, e eles também mandam um pequeno aperitivo e água gratuita na mesa. Achei um detalhe legal esse da água, que é tão comum nos EUA e aqui ainda não. Eles ainda tem uma carta boa de vinhos e na ocasião vi que muita gente estava lá para apreciar isso.

Serviço:

R. Borges de Medeiros, 771 – Canela | De terça a domingo das 11h às 00h

SANTÉ BISTRÔ

Outro em Canela que gostamos muitíssimo! Fica a 1 quadra da Catedral também, na mesma rua e, diferente do Empório, sem fila nem nada. É uma pequena cantina italiana, ambiente mais rústico e bem menor, com uma decoração toda musical e bem interessante.

Lá comemos um prato de massa + carne, mas eles também tem hamburguer, sopa e outras opções no cardápio. Pratos extremamente bem servidos, do tipo que não aguentei tudo, e atendimento ótimo.

restaurantes canela

Os preços variam bastante, mas os pratos massa com carne giram em torno de R$ 35-R$ 40, em pratos individuais.

Serviço:

Rua Felisberto Soares, 65 – Canela | De terça a domingo das 11h30 às 22h

PAPPARDELLE MASSAS FINAS

O “Pappa” foi o 1º restaurante que paramos quando chegamos em Canela. Fomos de carro pra lá, então chegamos na cidade quase às 15h e FAMINTOS (palavra que mais se adequa ao momento hehe). Antes de irmos pro apê que locamos, precisávamos comer alguma coisa, e de preferência que não fosse um subway, mc, etc da vida.

Assim que entramos em Canela, na rua principal que leva à Catedral, já fomos avistando vários restaurantes, fondues e afins, e do nada, em meio a um pequeno prédio de lojinhas, vi uma casa de massas que parecia bonitinha. Olhamos rapidamente o cardápio, preço excelente. Entramos.

QUE-ESCOLHA-MARAVILHOSA! O lugar é uma casa de massas, onde claro, você pode só ir e pegar as massas congeladas pra levar – tudo feito lá – e também pode comer ali mesmo. O lugar é de um italiano, e é tudo muito bem cuidado, a comida típica e maravilhosa. Por ser um lugar pequeno em que o dono está lá, o atendimento é muito especial e a experiência foi perfeita.

onde comer em canela

Você escolhe a sua massa, a quantidade dela, o molho (e tem opções diferentinhas) e mais alguns itens para complementar. Os preços todos na cada dos R$ 30.

Serviço:

Av. Osvaldo Aranha, 485 – Canela | Todos os dias das 11h30 às 23h30

Vocês atentaram para os horários dos restaurantes todos? Se não, eu resumo: eles abrem o dia inteirinho, super prontos pra te receber a qualquer hora do dia. Isso é muito legal e bastante pensado pro turismo. Se você chegar na cidade às 15h como nós e quiser almoçar mesmo, sem problemas, dá! Se quiser sentar mais tarde, também sem problemas. Fato é que por lá não tem grilo, o lance é comer e comer bem a qualquer hora do dia! 😉

Passeios em Gramado: o que vale ou não a pena

Pois é, tem muitos passeios em Gramado e Canela, e são todos pagos. Beeeem pagos. Essa duplinha se reinventou e criou todo um complexo turístico pros visitantes. Beleza e passeios naturais são poucos, e quem vai pra lá quer mesmo é comer. Também como geralmente é uma região mais fria (nós, em pleno verão de janeiro, chegamos a pegar 10º e neblina absurda!), é bom que tenham passeios indoor, e isso tem de sobra!

A gente fez vários na última viagem, passamos alguns que achamos caros ou dispensáveis, mas um deles eu já conhecia de outra viagem e outro visitamos a mesma atração em Foz. Logo… descartamos a visita do mesmo parque em Gramado. Como falei ali em cima, é tudo pago e é tudo meio caro. É caro mesmo! Achei que seria legal sinalizar o que vale o investimento e o que não vale antes de você ir pra lá.

Mini Mundo

Esse passeio é, definitivamente, o mais legal. O ingresso custa R$ 36 e você pode comprar antes para evitar fila – que é grande – ou na hora mesmo, sem grilo.

Lá você encontra literalmente, um mini mundo. É uma maquetona gigantesca de vários pontos turísticos, a maior parte de países como Alemanha, Áustria e Suíça, que remetem muito ao estilo de Gramado. É tudo lindo e muito perfeito, sem contar que eles ainda fazem detalhes temáticos em cada época do ano. Nós fomos depois do Ano Novo, então o tema ainda era Natal.

jardim botanico mini mundo gramadoPuxando sardinha pra nós: Jardim Botânico de Curitiba

É uma precisão de detalhes impressionante. Vale a pena visitar o parque sim, adultos e crianças.

Mundo a Vapor

Este é aquele com o trem caído na frente, uma réplica de um acidente que aconteceu em Paris. O ingresso também custa R$ 36, mas nós pagamos um pouco menos porque encontrei uma promo no Peixe Urbano – sim ele existe ainda e até que tem umas coisas úteis, tipo isso – e eu diria que é um passeio mediano.

O lugar é bem cuidado, organizado e cheio de detalhes, e você encontra diversas máquinas a vapor versão miniatura e funcionando mesmo! Tem um pequeno passeio guiado em algumas máquinas, tipo a que faz tijolo e a de papel. É bacana porque é um mini fábrica que produz essas coisas de verdade ali na sua frente. É bem didático e excelente pra matar a curiosidade, não só das crianças.

MUNDO A vapor gramado

Ainda tem um passeio de trenzinho que dura tipo, 3 minutos, e a gente fica 30 minutos na fila. Mas né, tá incluso, a gente vai!

É um passeio interessante, mas acho que poderia custar menos. Se você está em uma viagem mais romântica, talvez dê pra pular esse aqui. Com crianças acho bem válido para eles aprenderem sobre as máquinas.

Lago Negro e pedalinhos

Bem, o Lago é público e não paga entrada, paga apenas se quiser andar de pedalinho. Agora, você anda pouco (se não me engano são 10 minutos) e custa R$ 40 pra duas pessoas. Gente, oi? O Lago é bonito e tal, mas sério… não dá. Muito caro pra nada. Você pode ir até lá, dar um rolê a pé que é suficiente. Aliás, eu achei desperdício ir até lá, não tem nada de tão absurdamente maravilhoso pra ver. Desculpem a sinceridade, mas é um passeio pra fazer só se sobrar tempo na viagem, é totalmente dispensável.

passeios em gramado

Museu da Moda

Esse museu é relativamente novo, e fica quase em frente ao Mundo a Vapor. O prédio é enorme, é bonito e a curadoria é incrível! Nós ficamos mais de 2h lá dentro, e como eles tem uma historiadora de guia, você pode ou fazer um passeio todo guiado – incluso no valor do bilhete mesmo – ou ir tirando dúvidas quando quiser.

As peças são todas réplicas, não é nada original, porém são per-fei-tas. A diferença de ver uma peça original e uma réplica é que com a réplica dá pra ter uma noção exata de como era o tecido e acabamento das coisas. Na original, geralmente o tecido está podre, detonado e apagado, então não sei, eu sempre fico com uma impressão meio “nossa que trapinho”, sabe? haha. Com as réplicas dá pra ver o glamour real das coisas e tecidos.

museu da moda em gramado

Esse passeio é ULTRA caro, não vou mentir. A entrada no Museu custa R$ 132 por pessoa! Quando nós fomos tinha uma promoção de férias e todo mundo pagava meia entrada, R$ 66. Achei bem caro mesmo, mas estava chovendo e frio, outros pontos muito lotados por conta disso e resolvemos investir. Não vou dizer que não valeu a pena, porque a visita é bem legal MESMO, mas se pensar… 132 realidades, é meio chocante. Não sei se vale tanto assim. De fato, não é uma atração pra custar 15 pila, maaaas…

É um passeio mais para adultos certamente. E não pensem que homens não se interessariam aqui. Tem uma parte histórica muito legal, principalmente conversando com a historiadora.

Dreamland: Museu de Cera, Dream Cars e Harley Motor Show

Esta atração vimos em Foz e falei bem dela aqui neste post. Se você já foi ao de Foz, não precisa ir aqui de volta. A diferença é que em Foz tem: o Vale dos Dinossauros, o Mundo Miniatura e o Museu de Cera. Já em Gramado as atrações conjuntas são: Museu de Cera, Harley Motor Show e o Dream Cars. Tem o Vale dos Dinossauros também, mas fica em outro lugar (dá pra comprar ingresso tudo junto, mas não é no mesmo complexo, por isso vou deixar separado).

Bom, museu de cera é museu de cera. Se você já foi em algum em outro país, acho esse aqui bem dispensável. As estátuas não são AS mais absolutas e acho que falta alguma coisa. Não sei, falta um “tchan” a mais, não sei explicar. Me parece talvez que foi muito uma coisa feita pra “ganhar muito dinheiro e vamos fazer meio logo” e não pra fazer um troço muito legal igual ao Madame Tussaud’s. Essa é a minha impressão, ok? Não me emocionou.

No da Harley não fomos porque achamos caro e não nos interessamos muito em ver motos na viagem em questão. Tenho certeza que o lugar é bonito e bem organizado porque trata-se de Harley, claro. O Dream Cars até queríamos ir, mas a pira maior lá é poder dirigir carros incríveis e caros. Porém… isso tem um preço. Um preço BEM alto.

Os preços por ali são os seguintes: museu de cera = R$ 100; Dream Cars = 60; Harley = R$ 60; Vale Dinossauros = R$ 60. Total: R$ 280,00! A coisa é que você pode comprar os 4 ingressos em um combo. Então para as 4 atrações compradas juntas você paga R$ 170 adultos, R$ 150 crianças e R$ 130 para terceira idade. É um descontão sim, mas mesmo assim, cada atração ficaria R$ 42,50 por pessoa.

Ah e para dirigir no Dream Cars, os precinhos começam em R$ 230 e vão até R$ 890, para andar 8km mais ou menos. É um investimento a parte. Aqui o link com todos os valores.

A Fabulosa Fábrica da Cerveja

Esse passeio foi algo totalmente inesperado! Quando estava dando uma fuçada no Peixe Urbano atrás de descontos por lá, encontrei esse passeio aqui, da cervejaria GramBier e comprei. É basicamente uma visita à fábrica de cerveja, mas totalmente diferente!

Não sei se vocês já visitaram cervejarias, mas é tudo igual basicamente. Você foi em 1 já foi em todas, porque afinal, o processo não muda, não tem muita mágica. Aí, pensando em criar algo diferente e buscando aumentar o mercado de cervejas artesanais de lá, a GramBier criou essa visita bem temática e teatral. O passeio todo dura cerca de 45 minutos, e toda a explicação é feita com um teatro com 3 atores. O figurino é incrível, o cenário é simples (em cima do pátio da fábrica) mas perfeito e criativo, o teatro é divertido e os participantes do tour fazem pequenas participações na brincadeira.

passeios em gramadoNão pode tirar foto no teatro e lá dentro ainda

É tudo de bom gosto, nada que a gente vá passar vergonha de participar nem nada. É bem legal mesmo, bem diferente e criança pode participar sim! No final degustamos 4 tipos de cerveja, e as crianças ganham suco.

O ingresso custa R$ 59 e tem meia entrada, R$ 29. O passeio acontece todos os dias, às 15h, 16h, 17h e 18h. Passeio bem legal e foge do chocolate-fondue-colonial. O ambiente do pub é bacana, a lojinha é a única bacana (de todos os museus) e você pode comprar e agendar aqui ou na hora mesmo.

Mundo de Chocolate

O nome já diz: mundo de chocolate. É o que você vai encontrar nessa atração da Lugano. Como o mini mundo, aqui são pontos turísticos em miniatura feitos de chocolate. Tirando a parte que alguns pontos estão totalmente fora de proporção, é beeeem legal. Cara cada escultura pesa muitos kilos de chocolate, e é tudo esculpido nele. Bem difícil de fazer imagino eu! Tem o Cristo, tem animais, tem Muralha da China…

passeios em gramado mundo de chocolate

Lá dentro é bem frio, obviamente, pro chocolate não derreter, e no final tem uma sala que você pode interagir com as esculturas para fotos. Essa parte são aquelas fotos com fotógrafos deles e paga-se uma fortuninha por cada uma. Esse tipo de coisa eu acho muito mercenária sabe? Isso acontece no Museu de Cera também. Pra tirar foto com x esculturas tem que pagar. Pô, a gente já paga o ingresso, que é caro, e não posso fotografar as coisas?

Fica aqui minha crítica turística pros pontos que fazem isso. Muito feio cobrar ingresso e cobrar pra eu tirar uma foto. Então não faça uma atração turística, se não podemos registrar os momentos. Ainda mais em tempos de redes sociais onde isso se faz até importante pro próprio ponto. Tá, parei. #revolts

Mas voltando, depois dessa parte mercenária cobrada a parte, tem degustação de chocolate LIBERADA! Você pode ficar 3h lá dentro comendo chocolate. Pode ficar o dia todo se quiser, comendo. Claro que ninguém faz isso, mas né, dá. Pode experimentar quantos quiser.

O ingresso no mundo de chocolate custa R$ 35, e tem alguns combos se comprar o Ice Bar que fica embaixo da loja e visita a outra fábrica de cerveja. Tem combo pra fazer a própria plaquinha de chocolate também. Todas as opções estão aqui. Eu paguei um pouco menos porque também achei promo no Peixe Urbano.

Castelinho Caracol

Taí um lugar que eu não conhecia, nunca tinha ouvido falar, ninguém me indicou… exceto UMA amiga (oi Vivi!). O Castelinho Caracol fica em Canela na verdade (bem como todos aqui embaixo na lista) e foi um passeio lindo e barato de fazer! A entrada à casa de 1913, custa apenas R$ 10.

Linda e cheia de histórias, você ainda pode tomar um café da tarde lá, contornando os caros e exagerados cafés coloniais. Lá você deve comer um pedaço de torta de maçã e um chazinho, cujos cheiros são MUITO convidativos. E nada de exageros.

passeios em gramado castelinho caracol

Esse passeio é bem bacana, mais para adultos. Crianças podem achar meio chato o passeio pela propriedade.

Ice Bar

Outra atração que tem em Foz (Argentina na verdade) e se você já foi lá, pode pular aqui. Este também consegui preço melhor pelo Peixe Urbano, e fica ao lado do Castelinho. É um Bar de gelo simplesmente. Uma sala BEM gelada, com algumas esculturas de gelo – que não são as mais lindas já vistas haha – e 2 drinks incluídos. É uma atração que dá pra ir com criança também, e tem passeio a tarde e a noite.

O que achei engraçado, é que depois que você sai do bar, tem um museu de miniaturas de barcos e navios. Meio aleatório, mas é bem bacana. As réplicas são muito bem feitas e tem bastante coisa. Está tudo incluso no valor do ingresso. O passeio custa R$ 24,90 e tem meia entrada de R$ 12,90 para crianças e terceira idade.

ice bar gramadoFoto péssima porque não sei tirar fotos em ambientes escuros, obrigada

Tem um Ice Bar em Gramado também, na Av. Borges de Medeiros, embaixo da loja da Lugano que mencionei mais pra cima. Lá parece um pouco mais bacana, mas não muda muito da ideia geral não.

Parque Caracol

Uma das poucas atrações de natureza por lá, esse parque é bem conhecido e está sempre na rota turística. Eu estive lá na 1ª vez que fui a Gramado, anos atrás. É de fato muito lindo, e o legal é descer até o pé da cachú. A coisa é que essa parte de descida está em manutenção, e já faz um tempo, e aí a gente paga pra andar uns metrinhos e ver ela de cima e fim, acabou.

O ingresso não é uma fábula, custa R$ 20, e ainda tem umas trilhas e um observatório. Talvez se você não for fazer alguma trilha pra curtir o parque mesmo, seja dinheiro mal investido, porque você chega ali, olha e vai embora.

Parque da Ferradura

Este parque fica um pouco mais pra frente do Parque Caracol, e pega um trechinho em estrada de terra. Lá você tem 3 mirantes com vista pro rio que faz um formato de ferradura na vegetação. Ainda tem uma trilha de 1h até a base do rio, bem tranquila.

passeios em gramado

Tem um “restaurante” lá, mas é meio que só um apoio pra comprar uma água. Não deu vontade de comer ali não, e tem áreas pra piquenique. A entrada custa R$ 12, e se você não estiver de carro pra ir até lá e não quiser fazer a trilha até embaixo, talvez valha a pena pular essa parada aqui também.

Bondinhos Aéreos

Esse eu queria ter ido, mas já no fim da viagem, achamos o investimento salgado. O passeio custa R$ 42 por pessoa e dá direito a uma ida e uma volta. É legal passear de bondinho em cima de parques e tal, acho bonito, e esse aqui te dá a vista pra Cascata Caracol, então talvez pela trilha no parque estar fechada, vale mais a pena pegar esse passeio do que ir ao parque mesmo.

Vale dos Dinossauros

Esse já mencionei ali em cima, ele faz parte do complexo Dreamland e custa R$ 60 no ingresso avulso, sem o combo. A gente foi em Foz nesse, e pra falar a verdade achei bem bacaninha. Não é uma atração super adulta, hehe, mas é legal. As esculturas são legais, algumas são muito reais e é divertido fazer fotos lá. Legal pra ir com crianças.

O Vale dos Dinossauros fica na estrada pro Parque Caracol, em Canela, por isso deixei separado a informação separada do Dreamland.

Parque Terra Mágica Florybal

Cara, uma boa, vamos falar, o quê são essas esculturas da Florybal? Os chocolates são gostosos, mas essas esculturas deles são muito feias. Muito, muito feias, desculpa falar. E eles tem um parque enorme ao lado do Vale dos Dinossauros, com várias esculturas!

florybal gramadoFoto de Parque Terra Mágica Florybal

Lá tem vários tipos de atrações, ao todo são 32 opções além de alguns shows, incluindo mini fábrica de chocolate. É um tipo de parque de diversões mesmo, e tem algumas coisas com dinossauros, tipo o Vale. Eles dizem ter um cinema 7D. SETE.

Claramente não fomos ao parque, porque além de ter medo dessas esculturas, é um passeio bem pra crianças. Certamente você passará uma tarde toda lá dentro se estiver com seus filhos e eles vão se divertir bastante.

O ingresso adulto custa R$ 70, e R$ 35 para crianças e terceira idade. Por terem diversas atrações lá dentro, não acho esse preço tão absurdo. Acho que vale pelo tempo que ficará lá dentro e tudo o que tem pra fazer. Você pode comprar online aqui também.

Acho que mencionei todos os passeios tradicionais, conhecidos e pagos por aqui. Tem as atrações gratuitas como os eventos de Natal, passeios nos centros de Gramado e Canela e todas as visitas às fábricas e lojas de chocolate, mas isso sempre vale a pena, não é mesmo? 😉

*Peixe Urbano podia me patrocinar depois desse post aqui né? Porque ó quanto jabá eu fiz pra eles e mencionei, haha. Mas de boa, sempre dê uma olhadinha lá. Tem promo de passeios e restaurantes, e sempre dá pra economizar um pouco. E economizar todo mundo gosta!

Tijucas do Sul, o Sabiá Laranjeira e a história do artista Sergius Erdelyi

Este final de semana conhecemos Tijucas do Sul, um lugar absolutamente incrível, e que fica super perto de Curitiba. A bem da verdade, o Jorge já conhecia a cidade porque parte da família dele é de lá, e eu também já tinha ido uma vez pro Saltinho, mas como faz muito tempo e eu nem lembrava de nada, não conta, hehe.

Do centro de Curitiba até Tijucas do Sul são mais ou menos 50min, seguindo pela estrada rumo à Santa Catarina. Você vai precisar passar o pedágio, mas a boa coisa é que esses pedágios pra SC são baratinhos e custam R$ 2,70. Logo passando o pedágio já vai ter a saída pra Tijucas do Sul.

A cidade em si é super pequena e tem poucos atrativos, mas o suficiente para você programar um dia todo por lá, principalmente se quiser conhecer mais da história do lugar e do artista austríaco Sergius Erdelyi. “Mas Anna, quem? O que? Não conheço essa pessoa nunca ouvi falar!” Olha, eu também “desconhecia”, até por isso foi uma visita ainda mais incrível!

Eu coloquei desconhecia entre aspas porque meu bem, se você já foi ao Museu Oscar Niemeyer e já notou que lá atrás perto do parcão tem uma cadeira gigante… então você já teve contato com este artista. Na verdade ele é bem importante pra história da arte no Brasil, já teve exposição no próprio MON e em bienais, além de livros lindos sobre ele, que o colocaram no dicionário das artes no Brasil.

cadeira sergius erdelyiFoto: Gazeta do Povo

tijucas do sul sergius erdelyi

A gente começou a visita no Sabia Laranjeira, atualmente uma casa criativa/casa de hóspedes, mas antes era a casa do Sr. Sergius! Ele veio pro Brasil na época da guerra, não exatamente fugido, mas porque tinha trabalho por aqui. Era engenheiro e teve muitos trabalhos importantes em empresas como a Volkswagen. A parte artística era totalmente um hobby (que rendeu mais de 2 mil peças!), e nos anos 70 ele veio pra cá, pra Tijucas do Sul. Construiu essa casa linda, enorme – um pouco “labiríntica”, fato – para ele e a esposa, e criou muitas peças ali. Quando chegou aqui, também fez um trabalho enorme de reflorestamento, que se mantém vivo ainda com o Instituto Sergius Erdelyi.

tijucas do sul

tijucas do sulSe liga só na entrada da casa!

Tinha de tudo um pouco no repertório artístico do Sergius. Teve pintura, teve arte digital, teve vidro, teve vitral, esculturas em concreto, em madeira, em aço… Várias técnicas diferentes e trabalhos muito interessantes. E quer saber? Nenhuma obra nunca foi vendida! Para ele, as obras eram filhos, e filhos não se vendem. Então pensem tudo que tem nesta casa e em Tijucas para ser visto!

tijucas do sul

tijucas do sul

O Sabiá Laranjeira é basicamente um museu da vida do Sergius, e cada cantinho tem uma história bacana. Lá você pode promover eventos, encontros, passear durante o dia ou até dormir. A casa conta com 5 quartos e consegue receber até 20 pessoas em camas. Se quiser ir em mais gente dá também, mas aí a acomodação já é em colchões pelo chão.

tijucas do sul

Quem administra a casa agora é a Marília e o Bruno, que também é artista e faz umas cerâmicas lindas no antigo ateliê do Sergius. Que privilégio, hein!? Eles nos receberam muito bem e nos fizeram sentir em casa, bem como os outros hóspedes que estavam lá.

tijucas do sul

Para quem quiser dormir, o valor começa em R$ 100 por pessoa, ou R$ 150 o casal. Para grupos tem preços diferenciados e também para fazer eventos específicos é necessário conversar certinho com eles para ver o que será oferecido.

tijucas do sulParece um pouco o Instituto Brennand em Recife. Essas obras estão na casa mesmo, não no museu.

Ainda sobre Tijucas do Sul, já tem um museu inteirinho pronto com os trabalhos do Sergius, mas a abertura, que era pra ser esse ano, foi adiada pro ano que vem. To louca pra ir nesse lugar! Ele fica dentro do complexo da Prefeitura local, que também tem uma construção bem diferente, européia e nem parece que estamos no meio de uma estradinha tão escondida, hehe.

tijucas do sul

Outro passeio indispensável por Tijucas, é a visita ao Recanto Saltinho, que fica a mais ou menos 8km ali do Sabiá. O Recanto é um parque, cuja entrada custa R$ 15 e você pode fazer basicamente o que quiser lá. Você pode levar sua comida e fazer seu almoço ou piquenique, você pode acampar, você pode só passar o dia e curtir a água, você pode fazer stand up, você pode almoçar lá mesmo. Tudo bem livre.

tijucas

Nós almoçamos lá, no restaurante que fica bem de frente pro Saltinho, que é lindo! O restaurante é simples, casa de parque, e a comida é uma delícia, super bem servida. Lá você encontra várias opções já montadas de pratos para 2 pessoas, sempre com alguma carne e diversos acompanhamentos; encontra também opção vegetariana; e ainda tem a opção de escolher tudo separado e montar seu próprio combo.

Nós escolhemos uma opção que vinha o contrafilé acompanhado de arroz, feijão, salada, salada de batata, e era para duas pessoas. Acabamos pedindo uma porção de polenta frita também, porque né, ninguém é de ferro, feriado e tal. O prato completo custa R$ 80 para 2, e a porção foi R$ 15. Sobrou comida e comemos MUITO, muito mesmo. Mas estava tão bom que nem me arrependo de nada não, he.

almoço tijucas do sulEsse palmito é prato novo no cardápio, eles ainda estão testando. Mas por mim tá aprovadíssimo!!

Demos um rolê pelo parque e depois voltamos pro Sabiá Laranjeira pra um café da tarde e para curtir mais essa casa tão linda. A gente saiu de Curitiba por volta das 9h30 e saímos de lá pra voltar às 19h! Passamos realmente o dia todo lá.

tijucas do sul

Tem tanta coisa legal tão pertinho e a gente nem nota, né? Eu nunca que imaginava um artista desse porte com casa e museu em uma cidade tão pequena e meio desconhecida pela maioria das pessoas como Tijucas do Sul. Quando pensamos em viajar e museus e arte e afins, imediatamente pensamos em ir pra fora. Pra fora do país ou ainda para as capitais, São Paulo, Rio… e olha aí, do nosso lado tem muita coisa. Eu tenho tentado conhecer as coisas aqui perto, e tenho encontrado lugares mágicos! Deixo aqui embaixo posts de passeios próximos à Curitiba e que com certeza vão te surpreender:

Parque Histórico de Carambeí

Tibagi

Castrolanda

Witmarsum

Vila Velha (mais conhecido)

Vinícola Família Fardo

Vinícola Franco Italiano

Nova Polska

Caminho do Vinho

Vantagens e desvantagens de fazer uma viagem de carro pelo Chile

A gente já postou 492 coisas do Chile aqui no blog, tem praticamente tudo de Santiago até a Ilha de Chiloé (ainda não conhecemos Atacama e Patagônia, quem sabe um dia, he), e viajar de carro por lá é muito legal sim, mas sempre tem alguns pontos negativos e que eu acho bom ressaltar e já deixar todo mundo prevenido. Já falei aqui sobre o que você precisa saber pra dirigir por lá, e aqui faço um post mais comparativo, mais pá-pum, mais o que achei de real.

carro no chile

USAR O PEDÁGIO 2X

Isso eu achei fantástico! Quando você está na estrada principal e vai entrar em uma cidade, tem um pedágio. É barato, mas é um dinheiro né? E se você está rodando e já pagou o pedágio da rota principal, basta apresentar o canhoto na entrada da cidade. A gente tem de 6h a 12h (varia conforme empresa responsável) pra utilizar o ticket e economizar um pouco.

ESTRADA BOA

As estradas no Chile são ótimas! Todas elas, salvo as que levam para o interior dos parques, que essas sim são de terra e mais naturais, sem muita intervenção. Mas isso a gente entende perfeitamente.

As rodovias são muito boas, monitoradas por tudo e sinalizadas de ponta a ponta. Não tem como errar entrada/saída, rota… é muito fácil mesmo dirigir no Chile.

VISTAS

Gente, posso ser monga, mas eu AMEI as vistas no Chile! Assim, não são as mais belas tipo Alpes Suíços, mas gente, tem vulcões! Vulcões enormes por todos os lados e eles são espetaculares. É muito inusitado. E no inverno? No inverno tem toda a Cordilheira dos Andes com neve. Bem válido.

ACESSO AOS PARQUES MAIS LINDOS

Uma coisa boa de estar de carro (e nesse caso até melhor se for um 4×4) é poder chegar a lugares mais remotos, e que de Uber, Táxi ou esperar um grupo turístico fica bem mais caro. Também aquilo né, bem melhor poder escolher todos os cantinhos que vai parar, ou mudar um pouco a rota para visitar algo tipo Saltos del Laja ou a vila de Rarí comprar artesanato.

carro no chile

GASOLINA

Cara, taí uma coisa meio chata, o preço da gasolina. Chegamos a pegar mais de R$ 5/L, e como rodamos bastante foi sofridinho, viu? Outra coisa, quando mais pro sul, mais caro o litro, porque tudo sai mesmo de Santiago, não tem assim outra cidade principal no país. Vem tudo lá de cima, segundo os chilenos nos contaram. Então é isso, visitar o sul é economicamente mais caro pra quem está de carro.

ESTACIONAMENTO

Bem, quem está de carro… precisa estacionar o dito cujo! Lá é MUUUITO caro mesmo estacionamento, pois é cobrado por minuto!! É caro do tipo parar na rua custa mais ou menos R$ 10 a hora. Eu acho caro. E estacionamentos é daí pra cima. Em alguns parques também é preciso pagar estacionamento a parte, mas por sorte foram poucos.

TURISTA PAGA MAIS CARO

Olha, taí um troço que eu meio discordo em pontos turísticos, e isso acontece em Foz também, que eu adoro. Por um lado eu até entendo que eles tentam, de certa forma, incentivar o próprio habitante a visitar as belezas do país… mas por outro… poxa, o turista veio lá de longe pra visitar, já está gastando bastante e ainda tem que desembolsar mais. Sei lá, eu acho meio deselegante isso na verdade. O que vocês acham?

O fato é que no Chile turista sempre paga mais caro nos parques. Aliás, não todos, mas assim, 95% dos que visitamos, pagamos mais caro. Algo como R$ 5 a R$ 10 mais caro.

VIAGEM CARRO

Mais sobre o Chile:

– Roteiro Chile: 17 dias de carro 

– Quanto custa viajar de carro pelo Chile

– Dirigir no Chile: tudo o que você precisa saber

– O que fazer em Santiago

– Onde se hospedar em Santiago: 4 opções testadas por nós

– Aluguel de carro no Chile

– Vinícolas no Chile: Viña Miguel Torres

– Vinícolas no Chile: Viña San Pedro 

– Vinícolas no Chile: Concha y Toro

– Museu de Colchagua em Santa Cruz, o maior museu privado do Chile 

– Onde de hospedar no Valle del Colchagua e o que fazer

– Parque Nacional 7 Tazas e onde se hospedar para visitá-lo

– Chillán no verão!

– O que fazer em Pucón, Villarica e região

– Onde se hospedar em Pucón: Glamping Pucón, único acampamento de luxo do Chile

– Onde se hospedar em Pucón: Hotel Boutique Casa Establo

– Artesanato chileno: o que comprar de legal

– O que fazer em Puerto Varas e região

– Onde se hospedar em Puerto Varas

– Como chegar e o que fazer na Ilha de Chiloé

– Uma parada em Valdivia

– O que fazer na região de Malalcahuello e onde se hospedar

– Termas de Malleco e Parque Tolhuaca

– Salto del Laja, passeio gratuito no meio do Chile

– Valle Nevado no verão

– Dirigindo na montanha: Valle Nevado

– Quanto custa viajar para Santiago?

– Pega turista: restaurante giratório

– Cajon del Maipo

– Viña del Mar e Valparaíso

– Ibis Providencia

– Hotel em Santiago: Hotel Alcala del Rio

Chile road trip

Dirigir no Chile: tudo o que você precisa saber

A Mari já tinha falado sobre dirigir no Chile, no arredores de Santiago e Valle Nevado por aqui, mas desta vez a gente pegou a estrada bem a fundo mesmo, e percorremos 4.200km pelo país. Usamos a mesma empresa que a Mari já tinha locado, a Chilean Rent a Car, e assim como foi pra ela, pra nós foi um serviço excelente e estava tudo certo quando chegamos e saímos.

Nesta viagem nós saímos de Santiago e fomos até a Isla Chiloé, que é basicamente a última parte chilena antes da Patagônia congelada. Não fomos ao Atacama nem nada, foi só o meio, a região conhecida como Los Lagos e as regiões dos vinhos.

carro no chileE que tal um vulcãozinho na paisagem? Esse é o Llaima, que fica na região de Araucania, um dos maiores e mais ativos do Chile, com 3.125m

CARRO EM SANTIAGO

Uma dica que eu te dou é para não locar carro EM Santiago. Isso quer dizer que, ficar de carro na capital é bem ruim e quase inútil. Alugue o carro se quiser fazer passeios pra fora da cidade, regiões próximas pra bate-volta ou se for o caso, como a nossa viagem maior.

Em Santi é muito ruim, pois o trânsito é um pouco caótico e não flui porque, apesar de ser muito legal eles darem a vez pros pedestres, isso em todas as rápidas e ruas acaba travando tudo. Então a gente sentiu que o trânsito lá não desenvolve, com exceção das marginais que já são parte da rodovia. Então perdemos muito tempo com isso. Achei irritante o trânsito lá na real.

Sem contar que o estacionamento público e privado é ULTRA caro. É cobrado por MINUTO nos estacionamentos, e na rua a cada 20 minutos. É uma paulada de estacionamento! (falo melhor lá embaixo sobre todos os lugares).

Aí achar uma vaga nos pontos de interesse demora demais, primeiro pelo trânsito que não desenvolve, segundo pra efetivamente achar uma vaga e terceiro pra achar uma vaga que não seja paga ainda!

Eu diria que esse foi o erro da viagem. Pra nós deu tudo hiper certo na programação, mas o erro foi ter ficado de carro em Santiago. Poderíamos ter economizado pelo menos 2 dias de locação, uns R$ 250 só nisso. =/

ESTRADAS

As estradas são ótimas! Todas as rodovias que passamos estavam em excelente estado, muito bem sinalizadas e eles estavam ainda fazendo mais e mais melhorias. Não dá pra se perder, errar entrada ou ficar na dúvida, tem placa por tudo, e está tudo novinho.

Agora, o fato é que no Chile tem MUUUUITO passeio em parques e reservas naturais e aí é que fica meio chato em alguns trechos. São trechos relativamente curtos, não pegamos nenhum com mais de 50km, de pedrinha. Não é terra, é aquele com pedrinha e que a gente tem que andar a 30km/h. Essas estradas estavam sinalizadas também onde era necessário, mas é sempre bom tomar mais cuidado aí. Pela preservação ambiental das áreas, eles não asfaltam mesmo.

Pra ir e vir entre cidades é muito tranquilo, e as estradas são vazias. Para chegar em alguns parques é estrada de chão, e menos movimentadas ainda.

POLICIAMENTO

Vimos muito policiamento por lá, em todos os trechos de rodovia, tinham policiais analisando e eventualmente parando pessoas. Vimos mais policiais ali do que na Argentina, e até estávamos esperando a hora de sermos parados, mas por sorte não fomos.

Ou seja, trate de dirigir direitinho, nas regras e na velocidade indicada, porque eles estão em cima mesmo, com postos policiais fixos e móveis também, por todos os lados e até em cima dos viadutos. Você não passa despercebido no Chile não.

GASOLINA

Pensa um soquinho no estômago! É o preço da gasolina por lá. Não está nada barato. Pegamos preços bem variáveis, e quanto mais pro sul, mais caro. Na época que fomos, pegamos valores entre R$ 4,38 e R$ 4,70 o litro. Sendo o mais barato em Santiago. Eu sei que no Rio e em alguns lugares a gasolina já está em R$ 5, mas aqui em Curitiba ainda não, então deu um susto.

Outra coisa bem importante: assim como na Argentina, não tem posto tão seguido igual aqui nas estradas. Pegamos trechos de quase 200km sem posto, ou só com posto do outro lado. Como já ficamos sem gasolina no meio da estrada na viagem Argentina-Uruguai, desta vez estávamos mais ligados, e quando víamos um posto, já completávamos pra garantir. Até tivemos um momento médio tenso, mas deu boa.

viagem carro chile

A gasolina é um fator importante pra você pensar na hora de escolher um carro pra locar. Nós pesquisamos os modelos disponíveis na Chilean Rent a Car, e optamos pelo Suzuki Swift porque ele é um carro HIPER econômico, que faz em média 19km/L. Gente, com a gasolina a quase R$ 5, isso foi uma tremenda escolha! (não é jabá pra Suzuki, tá?)

Não escolha qualquer carro na hora de viajar, é bom pesquisar isso também. Dá mais trabalho antes e tal, mas olha tudo que economizamos! Com esse carro usamos cerca de 220L, arredondando. Um carro que faz 12km/L, utilizaria 350L. Uma economia de mais ou menos R$ 600 só pela escolha do carro. SEISCENTOS REAIS. #reflitam

PEDÁGIO

Os pedágios variam de 400, 600, 2400, 2500 e 2600 pesos, que foram os valores que pegamos de Santiago até Chiloé. Na cotação atual, esses valores saem: R$ 2,36, R$ 3,54, R$ 14,16, R$ 14,75 e R$ 15,34. (fiz a conta mesmo sendo variável pela cotação pra vocês terem uma ideia melhor)

Em alguns momentos, pagamos pedágios em trechos de 100km ou até menos. Ou seja: é, não tá muito barato não. A coisa interessante é que, quando você está na ruta 5 (a rodovia principal que corta o país) e vai tirar pra entrar nas cidades, o pedágio custa ou 400 ou 600 pesos. Porém, se você já pagou o pedágio da principal, pode só apresentar o recibo e é liberado.

viagem carro chile

Guarde bem esses recibinhos, pois você tem um período de 6h ou 12h (depende do trecho/concessionária)  para usá-los nas entradas das cidades. É R$ 3 apenas, mas em uma viagem grande, é uma economiazinha viu? Só tem 01 problema nisso: quando muda a concessionária. Aí não dá. Lá pra baixo, já na região de Puerto Varas que muda, então ali pode dar um ruim de não conseguir usar pra passar.

E sim, você só pode pagar com pesos chilenos, em dinheiro. Nada de tentar o migué e passar Real, ok?

ESTACIONAMENTOS

Pensa um treco mais caro que a gasolina e o pedágio. É o estacionamento nos centros urbanos. Aqui em Curitiba, você paga 1h na rua, R$ 2 o cartão. No Chile a cobrança é por-mi-nu-to. Sim, segura essa!

O maior drama é em Santiago, que é mais caro. O valor gira em torno de 420-450 pesos por 20 minutos. Cotação atual? R$ 7,96 a hora. Pra deixar na rua. Já em alguns estacionamentos subterrâneos, o valor é por minuto mesmo. Aí são 40 pesos por minuto. “Ah nossa, tranquilo, são só R$ 0,23, baratinho”. 1h = R$ 14,16. Não é barato não.

Nas cidades menores, o preço cai pela metade, e é também mais fácil achar ruas sem cobrança. É só andar 2 quadrinhas a mais, tá tranquilo. Foi bem mais aprazível nos outros lugares.

O muito curioso é que lá, não é um cartão ou parquímetro cobrando, são funcionários! Tem uma pessoa POR-QUADRA, que fica recebendo. Você estaciona, ela vai lá e põe um papelzinho. Na hora de sair, você chama essa pessoa, ela calcula e paga. É o Chile gerando empregos, e pra pagar essa gente toda dá-lhe cobrar caro o estacionamento, hehe. Faça chuva ou faça sol, eles estão lá, e o horário? Das 8h às 20h… das 8h às 22h… as 8h às 3h!! Não tem folga!

Um detalhe é que também encontramos raríssimos lugares que aceitavam estacionamento por período, como aqui no Brasil. Quer dizer que deixar o carro 1 noite parado, são mais ou menos R$120-150. Motivo pra você me ouvir (ou melhor, ler) e não ficar de carro em Santiago.

PAISAGENS

Ah, mas se é tudo caro, vale a pena mesmo? Cara, vale demais! Foi a paisagem mais linda que já vi, cheia de vulcões no caminho e achei muito sensacional isso, muito diferente, único! Também acho que pra ir nos lugares mais diferentes e nos parques mais bonitos, sem carro é BEM complicado. Na verdade, não só complicado, mas vai ficar ainda mais caro por conta de táxi, Uber ou excursões.

Eu cheguei a ver um dia quanto era o preço para ir com agência de Puerto Varas até a Ilha de Chiloé. Sem-or! Era R$ 225 por pessoa, parando na pinguinera + 1 cidade sem almoço nem nada. Gente, se liga, mais de R$ 450 pro casal? Nós de carro, fomos, voltamos, fomos na pinguinera, visitamos várias cidades (5, sendo exata) e pontos na Ilha, almoçamos os 2 e gastamos pouco R$ 300. Sem contar que fizemos tudo no nosso tempo, com as nossas paradas, etc.

chile

Então sim, acho que vale muito a pena visitar o país de carro e poder chegar em pontos mais remotos, aproveitar melhor o tempo, parar onde quiser pra tirar foto.

Mais sobre o Chile:

– Roteiro Chile: 17 dias de carro 

Quanto custa viajar de carro pelo Chile

– Vantagens e desvantagens de fazer uma viagem de carro pelo Chile

– O que fazer em Santiago

– Aluguel de carro no Chile

– Vinícolas no Chile: Viña Miguel Torres

– Vinícolas no Chile: Viña San Pedro 

– Vinícolas no Chile: Concha y Toro

– Museu de Colchagua em Santa Cruz, o maior museu privado do Chile 

– Onde de hospedar no Valle del Colchagua e o que fazer

– Parque Nacional 7 Tazas e onde se hospedar para visitá-lo

– Chillán no verão!

– O que fazer em Pucón, Villarica e região

– Onde se hospedar em Pucón: Glamping Pucón, único acampamento de luxo do Chile

– Onde se hospedar em Pucón: Hotel Boutique Casa Establo

– Artesanato chileno: o que comprar de legal

– O que fazer em Puerto Varas e região

– Onde se hospedar em Puerto Varas

– Como chegar e o que fazer na Ilha de Chiloé

– Uma parada em Valdivia

– O que fazer na região de Malalcahuello e onde se hospedar

– Termas de Malleco e Parque Tolhuaca

– Salto del Laja, passeio gratuito no meio do Chile

– Valle Nevado no verão

– Dirigindo na montanha: Valle Nevado

– Quanto custa viajar para Santiago?

– Pega turista: restaurante giratório

– Cajon del Maipo

– Viña del Mar e Valparaíso

– Ibis Providencia

– Hotel em Santiago: Hotel Alcala del Rio

Chile road trip

Quanto custa viajar de carro pelo Chile

Nesta categoria colocamos apenas uma base de preços, podendo estes variarem de acordo com o ano, tipo de viagem e preferências pessoais de cada viajante. Os dados contidos aqui são referentes à viagem feita por mim, com impressões e gastos pessoais. Lembre sempre que os valores sofrem variação também com o câmbio do dia.

————— x —————

VIAGEM CARRO

Ano da viagem: Dezembro 2017 a Janeiro 2018

Origem e destino: Curitiba – Santiago – Curitiba de avião. Santiago a Ilha de Chiloé e volta de carro.

Fomos de avião até Santiago porque não teríamos tempo de fazer tudinho de carro, como a viagem pra Argentina. Então pegamos aéreo daqui pra lá e lá locamos um carro por 17 dias.

Passagens: R$ 2.237,00 com taxas

Não foi a passagem pro Chile mais barata, e isso foi porque a gente se enrolou pra emitir. Dai babaus, acabou a tarifa mais econômica. E olha, o voo tava lotadaço mesmo, ida e volta!

quanto custa chile

Dias de estada: 17 dias

Chegamos no Chile dia 26 de Dezembro antes do almoço e saímos dia 12 às 00h. Deu pra aproveitar mesmo os 17 dias do roteiro, sem perder tempo nessa coisa de chegada e saída. Aqui tem post com o roteiro completíssimo!

 Tipo de viagem: moderada

O Chile está caro, isso é um fato. Está caro pra nós, está caro pra eles e está caro até para europeus que encontramos na viagem e disseram que concordam com os preços salgados. A gente tentou ser econômico E fazer a maioria dos passeios ainda. Foram poucos que deixamos de fazer pelo custo benefício, e algumas vezes optamos por cozinhar em casa quando dava ou lanche rápido tipo Mc e Subway, totalmente por conta do preço mesmo. Não foi uma viagem de luxos, mas também com poucas privações, realmente escolhidas.

Locação do carro: R$ 1.693,00

A gente conseguiu um desconto super bacana com o pessoal da Chilean Rent a Car. Como já tínhamos locado com eles em outra ocasião, gostamos do serviço e tínhamos contado aqui, eles ficaram super felizes da gente ter voltado a procurar a empresa, e por isso fizeram um preço especial. Eu vou deixar contabilizado na conta esse valor, mas o normal para o carro da categoria que pegamos (simples com ar condicionado), gira em torno de R$ 2.285.

chile roteiro viagem

Gasolina, pedágios e estacionamentos: R$ 1.467,00

Gasolina é um troço caro lá. O litro está na base dos R$ 5 e nós rodamos quase 3000km. Pegamos um Nissan Swift, que fazia 19km/L e isso foi essencial, vide este post.

Os pedágios são ok, não muito baratos, mas não tem muitos pelo menos. Não achei que isso tenha pesado no orçamento. Além disso, aqui estão contabilizados os estacionamentos, e lá isso foi uma surpresa. Para parar na rua por 2h, você acaba gastando na casa dos R$ 10-12!! Na rua! Nessa conta, R$ 87 foram só desses pagamentos de rua. Não pagamos nenhum estacionamento privado, só no hotel do último dia mesmo. Pesada essa parte do carro, fato.

Hospedagem: R$ 3.024,00 (quartos duplos)

Essa foi uma parte que não economizamos muito mesmo. Não estou mais no clima de hostel de galera e banheiro compartilhado, e também não tava afim de pegar cama ruim igual alguns hotéis que pegamos na viagem pela Argentina e Uruguai. Tentamos buscar lugares legais e bem diferentes para dormir legal, descansar e ter experiências novas.

Exemplo foi o único acampamento de luxo do Chile, que claramente não é tão barato; o hotel Boutique Casa Establo e o hotel domo, em Puerto Varas. Todas opções novas para nós e que renderam excelentes histórias.

chile quanto custa

Economizamos mais em Santiago, onde não fomos atrás das melhores opções mesmo e locamos apartamento, em Malalcahuello, Talca e Curicó também optamos por hotéis mais em conta. De qualquer forma, acho que esse valor é algo bem bom para você se basear. Se pegar tudo mais econômico, vai gastar um pouco menos do que isso.

Alimentação: R$ 1.512,00 (por pessoa)

Se pensar nessa base de gasto total, em 17 dias com 2 refeições por dia (almoço e jantar, sem contar na divisão algum lanche, sorvete, etc), dá na casa de R$ 44 por refeição. Caro? Sim, caro. Isso que nessa parte nós não chegamos nem perto dos melhores restaurantes! Era do básico pro lanche rápido e algumas refeições em casa.

Não abusamos de alcoólicos, pelo contrário. Era sempre ou refri ou suco, sendo que em apenas 3 refeições tomamos uma cerveja local. Vale lembrar que uma lata de refrigerante custa na casa de R$ 10 (pagamos R$ 9 e R$ 12 também nelas).

comida chile

Muitos lugares oferecem um valor fixo para entrada, prato principal, sobremesa e suco. Esses menus ficam mais ou menos por seus R$ 45 e sim, é bem servido. A coisa é que em muitos lugares esse menu vale mais a pena do que pedir um pratinho separado, mas ao mesmo tempo, nem sempre a gente tá afim de comer tanto. Achei uma coisa meio boa e ruim ao mesmo tempo sabe? Podia ter gastado menos algumas vezes se tivesse opções “soltas” e mais econômicas.

Lanche rápido estilo Subway e Mc Donalds custam por volta de R$ 12-15, que já fica bem mais em conta. Pena que não rola todo dia, né?

 Passeios: R$ 365,00 (por pessoa)

Praticamente todos os parques que visitamos, são pagos. Não vou afirmar que 100% foram pagos, porque teve Salto del Laja que era free. O resto é cuidado pela Conaf e as entradas variam entre 1.500 e 4.000 pesos por pessoa. Isso te dá acesso livre a eles e pode entrar e sair sem problema no mesmo dia.

Em Santiago, todos os museus que visitamos, eram gratuitos. Lá pagamos apenas para visitar o Cerro San Cristobal. Já o Museu de Colchagua, o Museu Alemão em Frutillar e o Museu de Valdivia, todos pagos. Nos respectivos posts tem os valores certinho.

chile quanto custa

Aí aquilo né, ir até lá visitar parques e não entrar… aí não dá. Nós ainda que pulamos as visitas às termas, que geralmente custam na casa dos R$ 100 e 2 parques na região de Malalcahuello por conta das trilhas pesadas.

Aqui não estão inclusas as visitas guiadas nas vinícolas, pois fomos convidados pelas mesmas. O valor de cada visita em vinícola custa entre R$ 50 e R$ 100, dependendo da vinícola e do estilo de passeio. E lá no Chile tem MUITA opção, então você pode escolher uma ou algumas… ou nenhuma, e ter uma base melhor aqui.

Compras: R$ 650,00

Essa parte é super relativa né? Varia bastante de pessoa pra pessoa. Eu gastei além do normal porque comprei uma coisinha mais cara pros meus pais e também trouxe 2 vinhos incríveis.

artesanato chile

Trouxe bastante coisinha de Pucón, alguns ímãs, chá diferentes, produtos de lã quentinha. Na verdade, não foi “nossa, quantas coisas”, é a questão do preço mesmo, que já falei nesse post que o peso chileno está sim salgadinho.

Total da viagem: R$ 7.856,00 (por pessoa)

Aqui dividi por 2 os custos de hotel e gastos do carro. Se for pensar, se estiverem em 4 pessoas, os custos do carro já fazem baixar pra R$ 7.000,00. Pensando em não comprar nada e pegar hostels, já dá pra baixar mais uns R$ 1.000 ou R$ 1.500, dependendo da categoria dos hotéis.

Relembrando que estes valores são aproximados e arredondados, com base no câmbio que pagamos (R$ 0,0059/peso) e com o desconto que conseguimos na locação do carro.

roteiro chile

  

Mais sobre o Chile:

– Roteiro Chile: 17 dias de carro 

– Quanto custa viajar de carro pelo Chile

– Dirigir no Chile: tudo o que você precisa saber

– Vantagens e desvantagens de fazer uma viagem de carro pelo Chile

– O que fazer em Santiago

– Aluguel de carro no Chile

– Vinícolas no Chile: Viña Miguel Torres

– Vinícolas no Chile: Viña San Pedro 

– Vinícolas no Chile: Concha y Toro

– Museu de Colchagua em Santa Cruz, o maior museu privado do Chile 

– Onde de hospedar no Valle del Colchagua e o que fazer

– Parque Nacional 7 Tazas e onde se hospedar para visitá-lo

– Chillán no verão!

– O que fazer em Pucón, Villarica e região

– Onde se hospedar em Pucón: Glamping Pucón, único acampamento de luxo do Chile

– Onde se hospedar em Pucón: Hotel Boutique Casa Establo

– Artesanato chileno: o que comprar de legal

– O que fazer em Puerto Varas e região

– Onde se hospedar em Puerto Varas

– Como chegar e o que fazer na Ilha de Chiloé

– Uma parada em Valdivia

– O que fazer na região de Malalcahuello e onde se hospedar

– Termas de Malleco e Parque Tolhuaca

– Salto del Laja, passeio gratuito no meio do Chile

– Valle Nevado no verão

– Dirigindo na montanha: Valle Nevado

– Quanto custa viajar para Santiago?

– Pega turista: restaurante giratório

– Cajon del Maipo – Viña del Mar e Valparaíso

– Ibis Providencia

– Hotel em Santiago: Hotel Alcala del Rio

Chile road trip

1 2 3 30