Searching for "Milão"

Como ir da Itália para a Suíça

Os dois países são coladinhos, e é fácil programar uma viagem que passe pelos dois justamente pela facilidade de mudança. Ok, onde não é fácil se locomover na Europa, não é mesmo?

Enfim, pra quem vai visitar o norte da Itália, acho muito válido tentar encaixar uma passada na Suíça e vice-versa. Tem várias cidades grandes e turísticas muito próximas como Milão e Lugano. De trem é um pulo, em 1h dá pra chegar. Mais legal é quem visita a queridinha Como, que pode ver os Alpes dali mesmo, e mais 5km já está na fronteira. (pior: eu fui até lá mas não atravessei pra Lugano!)

trem italia suíça

Pra quem está assim pertinho, não precisa se preocupar tanto com os trens. Dá pra comprar na hora, fazer um bate-volta e conhecer. Porém se você quer ir de Milão a Zurique por exemplo, a viagem é mais longa, são cerca de 4h no trem e eu aconselho comprar um pouco antes. Quando eu fiz essa viagem, fui com a Rail Europe e contei aqui como faz pra comprar com eles daqui do Brasil mesmo.

Outra opção muito válida pra quem vai fazer viagem entre vários países europeus, é comprar um bilhete Eurail Rail Europe, que tem aquelas opções combinadas para usar durante um determinado período ou por quantidade de países. Os preços variam de acordo com países e tempo de viagem, e também com a idade. Até 25 anos o valor é mais em conta!

trem itália suíça

Pra quem está mais longe tipo Roma ou Firenze, a viagem será mais longa de trem e pelo tempo/custo vale mais a pena pegar um avião. A Itália é pequena mas não é tanto assim né? O bom é que na Europa tem várias companhias baratex e dá pra conseguir algumas pechinchas. Mas ó, achei voos da Alitalia entre Roma e Zurique por 86 euros ida e volta. Bastante digno.

Basicamente se você está ou vai para o norte da Itália, a melhor opção é usar os trens. Pra quem está ou vai mais pra baixo na bota, melhor pegar um avião direto. Pra quem vai ficar um tempão viajando por vários lugares, vale a pena comprar os tickets Eurail para combinar vários destinos. E fim de papo!

E outra coisa bem importante, sempre que for fazer uma viagem fora do país, é necessário ter um seguro viagem. Aqui você pode consultar diversas seguradoras e escolher a melhor opção para sua viagem. E quer melhorar? Utilize o cupom BLOGFINESTRINO5 e ainda ganhe 5% de desconto. 

Quanto Custa viajar para Roma

Nesta categoria colocamos apenas uma base de preços, podendo estes variarem de acordo com o ano, tipo de viagem e preferências pessoais de cada viajante.

————— x —————

Ano da viagem: dezembro 2007 | abril 2013

Eu estive duas vezes em Roma. A primeira foi para passar o ano novo e estava muito muito frio. Foi a última parada de uma viagem que fiz com meus pais quando eles foram me visitar (eu morava em Milão na época). De Firenze a Roma é bem pertinho, em 2h você está lá e o trem é barato.

Na segunda vez que fui, este ano, peguei um aéreo que saía de lá, então aproveitei para descer antes e passear um pouco antes de voltar pro Brasil. O trajeto foi partindo de Milão, também de trem.

Aqui vou fazer as contas de quanto custa 4 dias em Roma, só pra dar uma base de gastos. Claro que a cidade tem muita coisa pra ver e se puder, fique mais tempo.

Origem e destino: Firenze – Roma | Milão – Roma

Tipo de viagem: econômica

Passagens de trem: cerca de R$ 290 (aqui fiz uma média das 2 viagens, somando ida e volta e usando câmbio atual do dia, então esse valor pode variar, tanto pelo preço das passagens, quanto pelo câmbio)

As duas viagens que fiz foram partindo de dentro da Itália mesmo, então foi bem mais barato do que saindo daqui do Brasil. Porém, tem tido muitas passagens baratas pra Europa, e inclusive teve aquela loucura da Iberia vendendo passagens a R$ 500. Tem que ficar de olho nas promos. Como estou colocando aqui os meus gastos, vou realmente só incluir o trecho de trem, afinal, foi o que gastei mesmo.

Tempo de estada: 4 dias

Hospedagem: R$ 00!!

Eba, mais uma vez consegui economizar e fiquei na casa de um couchsurfer. Contei aqui sobre ela. Foi ótimo ficar lá, além de muito querida, era fácil chegar com o sistema de transporte público, região tranquila e perfeito para conversar com um local. Eu adoro esse sistema.

Alimentação: cerca de R$ 180

Bem, é claro que esse valor varia bastante conforme o que você quer comer e onde quer comer. Roma tem bastante opção barata de massa e também de panini (sanduíches). É fácil encontrar pedaço de pizza por 1,50 euro no mercado municipal e pratos de massa por 8 euros.

Aqui também já estou contando sorvetes (claaaro) e alguns chocolates que comprei no caminho. Ainda teve uma noite que jantamos em casa e a couchsurfer não deixou eu pagar.

Transporte: R$ 100

Roma é ótima porque toda a parte mais histórica dá para fazer a pé, e nos dias que for mais longe, para a parte sul ou norte da cidade, vale a pena comprar o bilhete diário que custa 6,50 euros e pode usar quanto quiser. O bilhete para trajeto único custa 1,50 euros.

Aqui já somei os 6 euros para ir até o aeroporto no dia da volta e mais 10 euros que usei de táxi quando cheguei na cidade. Com mala pesada eu simplesmente não estava no clima da economia para pegar ônibus e me dei este luxo.

Passeios e museus: R$ 265

Outra vantagem de cidade antiga: o que tem pra ver é ao ar livre, ou seja, de graça. O que me custou caro na 1ª viagem foi a visita ao Vaticano que custa 16 euros, e o que me custou caro na 2ª viagem foi um tour particular que eu fiz e custou 60 euros.

Na 2ª visita, não fui novamente ao Vaticano, por exemplo. Roma tem museus pagos sim, mas não são muitos e o mais legal de ver, é quase tudo gratuito.

Somei aqui também a visita ao Coliseu, que é paga e custa 12 euros. O resto, Pantheon, as praças, os parques, os prédios, os foros… tudo free!

Total médio da minha viagem: R$ 835

Vale lembrar que é sempre bom levar um pouco a mais. Aqui não contabilizei compras, até porque não fiz muitas por lá, só levei 3 livros e chocolate quente da Lindt, e um souvenir pra famíla que dá para contar como uns R$ 160. Acho interessante contabilizar mais uns R$ 350 para compras diversas se você quiser, lembrando que tem outlets em Roma, aí o valor pode subir bastante. Sem contar que claro, é bom ter mais para algum imprevisto.

Lembre que aqui não contei o preço de hospedagem pois não gastei nada com isso e o trecho de viagem foi terrestre no próprio país, e não saindo do Brasil. Dependendo de onde estiver, e se não tiver onde ficar, tem mais isso para colocar na conta!

E outra coisa bem importante, sempre que for fazer uma viagem fora do país, é necessário ter um seguro viagem. Aqui você pode consultar diversas seguradoras e escolher a melhor opção para sua viagem. E quer melhorar? Utilize o cupom BLOGFINESTRINO5 e ainda ganhe 5% de desconto. 

Mais sobre Roma:

– Quanto custa viajar para Roma

– Como ir do aeroporto ao centro de Roma

– A parte Norte de Roma

– Eur: a parte sul de Roma

– Os parques de Roma

– As praças de Roma

– Coliseu

– Ruínas romanas

– B&B em Roma

– As outras igrejas de Roma: San Paolo e San Giovanni

– Pantheon

– Quartiere Coppedè

– O que você precisa saber sobre a Fontana di Trevi

– Capela Sistina

Trens italianos: diferença entre as classes

Se tem uma coisa boa de fazer na Europa, é fazer viagens com os trens. Eu usei muito esse serviço enquanto morava lá e não canso de indicar. Além de mais baratos, com mais opções de horário e com paradas centrais, sempre tem boas vistas no caminho.

Na Itália tem várias opções, então é bom saber diferenciar um do outro antes de escolher, até porque os preços variam bastante e sempre rola dúvida. Vou explicar um pouquinho a diferença entre um e outro pra vocês:

Regionale

Esse é o trem mais básico, velho, não muito rápido e barato que vai encontrar. São super antigos e confesso que não são muito confortáveis, pois é claro, os assentos não são modernos de couro nem nada.

São trens bem baratinhos, e a diferença da 1ª para a 2ª classe é praticamente irrisória. A diferença é que na 1ª passam com um carrinho com serviço de bordo pra você comprar, e na 2ª não passam.

Já viajei muito com esse trem, e nas viagens mais longas o banco começa a pinicar demais, principalmente no verão. Os bancos não reclinam na classe econômica e reclinam muito pouco na 1ª.

Os banheiros são medonhos, em ambas as classes. Fecha o olho, tampa o nariz e vai com fé!

Para os trechos mais longos tem os trens com cabines para dormir, com preços mais altos, é claro, e sim, são antigos e meia boca também. Já viajei nesses mais longos, mas na classe econômica, com cabines para 6 pessoas. Se tiver sorte, vai sozinho e fica com um pequeno quarto só seu, oooouuu, vai dividir com 5 pessoas e a viagem fica ainda mais longa. (já tive as duas experiências, foi sofrido dividir, e tem que tomar cuidado dobrado ok?).

Eurostar

Ahhhh… nada como viajar de Eurostar. Esse é o trem dos mais abastados, não aqueles turistinhas como nós mortais que vão com dinheiro contado e querem gastar menos de 100 euros na viagem.

Aqui as classes também são separadas em 1ª e 2ª, mas mesmo a classe mais barata já é um luxo delicioso.

Bancos de couro, cadeiras mais gostosas, mesinha de centro com tomada para eletrônicos, banheiros mais limpos e se quiser, pode ir ao bar comprar alguma coisa.

Na 1ª classe o esquema é de primeira mesmo. Além dos detalhes iguais à outra classe, aqui tem serviço de bordo gratuito! E distribuição de jornais de vários países. É muito chique mesmo. Uma delícia viajar com eles.

Uma vez deixei pra comprar o bilhete na hora da viagem e me ferrei, pois só tinha Eurostar 1ª classe. Paguei caríssimo, mas eu precisa do trem e bom… valeu a pena, porque a viagem foi a mais confortável do planeta! Então não chorei por ter gastado demais.

Além disso esses trens são um pouco mais rápidos e fazem poucas paradas, nada de sistema pinga-pinga como os regionales. Geralmente param nas cidades mais importantes do trecho. Bom ficar atento caso queria parar em uma mini cidade, porque esse trem não vai ficar parando no caminho.

Frecciarossa

Esse trem é novo e é ainda mais top que o Eurostar. Na verdade é uma categoria de trem Eurostar, só que melhor e mais veloz ainda.

Ele é ainda mais rápido, mais luxuoso e para só em cidades-chave. Exemplo: de Milão a Roma, nos outros trens paramos mil vezes e a viagem pode durar até 6h. No Freccia, o trajeto dura cerca de 3h e para em Roma – Napoli, apenas. Uma beleza, porque é muito rápido mesmo!

Os serviços são bons iguais aos do Eurostar normal

Intercity

O inter é um trem mais básico também, mas ele liga capitais de países diferentes. Não vi muita coisa de melhor na 1ª classe, tirando que é mais vazia e com mesinhas também. O legal desse trem, é que caso você perca o horário, pode usar o mesmo bilhete em outro trem da mesma rede.

Aconteceu comigo e expliquei como fazer aqui neste post.

Esses foram os trens que já usei por lá. Resumindo: quer gastar pouquinho? Escolha o Regionale. Quer conforto? Escolha o Eurostar ou Frecciarossa (bem parecidos). Quer chegar bem rápido? Escolha o Frecciarossa.

As diferenças de preço são significativas, mas dependendo da sua necessidade, vale a pena pagar um pouco mais sim.

E outra coisa bem importante, sempre que for fazer uma viagem fora do país, é necessário ter um seguro viagem. Aqui você pode consultar diversas seguradoras e escolher a melhor opção para sua viagem. E quer melhorar? Utilize o cupom BLOGFINESTRINO5 e ainda ganhe 5% de desconto. 

 

Guias

Este ano lançamos um novo projeto de guias online e gratuitos para os leitores.

O primeiro guia saiu em parceria com a Fernanda do blog Preciso Viajar, e é só com hotéis nos USA. São no total 128 páginas falando das principais cidades turísticas do país. E a melhor parte: é gratuito!

Super legal né? Você pode clicar nesse link aqui e você já vê o guia inteiro! Se quiser reservar para ler mais tarde ou guardar com você para quando precisar, dá para fazer download ou até imprimir (o guia tem formato A5 – metade de uma folha A4 normal). Nesse link você já pode curtir ou descurtir (que eu duvido que vá descurtir, seria uma audácia!), indicar para os amigos e tudo o mais. E como é online, dá para acessar o site de todos os hotéis e indicações direto dali.

O guia teve Skyscanner como patrocinador oficial e Ticket Bar, Hostelbookers, Compre Malas, Flex Câmbio e Artigo Indefinido como colaboradores. Fica aqui nosso agradecimento especial a todos que acreditaram no nosso trabalho.

Todos os textos foram produzidos por nós, Anna, Mari e Fernanda, bem como toda a diagramação e edição do guia. O guia ficará online por tempo indeterminado, até que seja substituído pela nova edição (em torno de 18 meses).

——————– x ——————–

Depois do super sucesso do nosso guia de hotéis nos EUA, lançamos mais uma super novidade aqui: o Guia Milão. Dessa vez não foram citados apenas hotéis, mas sim um monte de dicas bacanas sobre a cidade, como o que visitar, igrejas, parques, hotéis (claro), dicas práticas, baladas e restaurantes.

guia milão

O formato é igual ao outro guia, online e gratuito!

O guia teve Skyscanner como patrocinador oficial, Hostelbookers, Zupper Viagens, IED (Istituto Europeo di Design), Flex Câmbio e Artigo Indefinido como colaboradores. Todos os textos foram produzidos por nós, Anna e Mari, bem como toda a diagramação e edição do guia.

——————– x ——————–

E então que depois de um tempinho, lançamos mais um guia online gratuito!! Diferente dos outros, este não é relacionado a um único destino ou tema, o Wanderlust é um guia prático para qualquer viajante indo para qualquer lugar do mundo. Nele você encontra inspiração para viajar, tudo sobre documentações, vacina, como procurar hospedagem, cuidados durante a viagem e coisas desse tipo.

guia wanderlust

O Wanderlust é um guia online e gratuito assim como os outros, você não precisa pagar nem 1 centavo e nem se inscrever em coisa alguma.

Quem nos apoiou neste guia foi a Skyscanner, a Flex Câmbio, o MalaPronta.com e a Seal Bag, 4 empresas importantíssimas e que você não pode deixar de fora na hora de programar sua próxima viagem.

——————– x ——————–

O último lançamento de guias gratuitos é um manual completo da cidade de Fort Lauderdale, bem pertinho de Miami. Aqui você encontra tudo que pode fazer na cidade, onde ficar hospedado, informações sobre a região, restaurantes, passeios e onde estudar inglês!

guia fort lauderdale

O guia também é gratuito e está neste link aqui. Quem nos apoiou no projeto foi a escola de inglês AEExperience, Skyscanner e Flex Câmbio, parceiros sempre.

Como comprar passagem de trem na Europa

Se tem uma coisa fácil de se fazer, essa coisa é viajar de trem pela Europa. É fácil ir até as estações (sempre centrais), é mais barato normalmente, você pode pegar trens noturnos e economizar uma noite de estadia em algum lugar e ainda aproveitar o tempo, e é fácil comprar passagem de trem, seja na hora nos guichês ou antecipadamente.

Quando morava na Itália, usei muito os trens italianos para viajar pelo país. Aliás, eu fui até a pontinha do país com trem, não usei nenhum trecho aéreo para viajar por lá. Eu sempre utilizava o site da Trenitalia para ver os preços e depois ia até a estação comprar nas máquinas eletrônicas. Porém, pra quem não fala italiano (ou inglês – idiomas disponíveis no site) pode ser um pouco complicado encontras informações. E se for viajar para fora do país é mais chato o processo, pois tem que colocar o nome exato da estação de chegada, e nem sempre dá pra ver por ali.

Aí temos que partir para os sites regionais ou ainda o site da Eurail, que na minha opinião é super complicado de usar. Olha que eu tô acostumada a procurar trem, e acho o site deles muito ruim! A coisa é que para achar um trecho único, precisa fazer um caminho gigantesco, já que a maioria das opções no início da página é de tickets combinados e mensais. Pelo menos no site deles tem a opção do português, mas o sistema de busca não ajuda muito.

Estou falando dos trens porque em breve vou para a Feira de Design em Milão, e como terei uns dias sobrando, queria ir conhecer Zurique. Como a cidade é próxima à Itália, e eu sabia que saiam trens fazendo o trajeto Milão-Zurique e fui direto pro site da Trenitalia. Caí do cavalo, porque levei um tempão pra descobrir a sigla da estação em Zurique e de qual estação saía.

A passagem de trem de um país pro outro é uma das mais caras da Europa, já que também é um dos trajetos mais bonitos.

Como sempre, ia deixar pra comprar um dia antes, mas lembrei que estarei em uma época bem movimentada em Milão e podia acontecer de não ter mais a passagem que eu queria. Como eu nunca efetuei a compra de bilhetes pelo site da Trenitalia, fiquei com um pé atrás e por sorte lembrei de um site brasileiro, o Rail Europe, que vende os mesmos tickets. Convenhamos que entre comprar passagem de trem em site gringo ou em site brasileiro, comprar por aqui é bem mais fácil. (até porque se tiver algum problema, fica mais fácil resolver também)

É muito mais tranquilo comprar as passagens no site deles, ainda mais pra quem está iniciando nessa vida de viajante. De qualquer forma, fiz um tutorial de como fazer a busca e comprar sua passagem de trem:

1. Escolhendo lugar e dia

Já de cara, ao lado esquerdo tem um box para você preencher com o que precisa. Ali você coloca de onde para onde (em português mesmo), o dia de ida e retorno, e qual horário gostaria em cada trajeto.

Esse sistema é tipo os das cias aéreas, com a diferença que aqui você já pode separar por horário que gostaria. Caso não tenha, ele avisa ou te dá outras opções com horário próximo.

2. Escolha o horário e a classe

No próximo passo você escolhe a classe que deseja ir e o horário. Claro, quanto mais alta a classe, mais cara a passagem de trem. Ali embaixo você pode ainda escolher trens mais tarde ou os trens do dia anterior (se for o caso).

Como aparece cada trecho por vez, após escolher a passagem de ida, clique em “continuar” que aparece em laranja logo abaixo do trecho selecionado. Confesso que eu fiquei um tempinho procurando esse botão para a próxima página, por isso já te digo aqui onde ele está.

Na continuação, aparecem as passagens para o trecho de volta, e é o mesmo procedimento de escolher hora e classe. O botão “continuar” aparece igual o anterior, embaixo do valor da passagem selecionada.

3. Confirme os trechos

Antes de efetuar a compra, o site te direciona para uma página de conferência dos itens selecionados e o valor total da compra.

Confira os dados se estão certos e se os horários que você deseja chegar/sair estão ok. Logo abaixo preencha com seu nome completo e país de residência.

4. Envio ou Impressão

Aqui uma coisa bem interessante: além da opção de imprimir em casa (que chamamos de Print@Home), o site também dá a opção de imprimir os bilhetes na máquina da estação (Print@Station). É só pegar o número de referência PNR, que é informado no e-mail de confirmação enviado ao cliente após a compra, e imprimir em uma das máquinas da estação.

Mas vale lembrar que nem sempre essas opções estão disponíveis e é preciso optar pelo bilhete físico. Esse tipo de bilhete é entregue ao cliente em 3 dias úteis após o pagamento.

Outro serviço bacana deles, é que você pode pedir uma proteção contra roubo ou perda da passagem de trem. Segundo o site:

“Você pode escolher proteger seu passe ou bilhete de trem por perda ou roubo, escolhendo nosso exclusivo Rail Protection Plan. Apesar da política das ferrovias europeias que indica que os produtos de trem não podem ser substituídos, a Rail Europe oferece uma compensação em caso de roubo ou perda. O custo nominal é pequeno comparado com a tranquilidade gerada.”

De fato é uma tranquilidade, ainda mais se você tem costume de esquecer as coisas ou perder. Vale considerar esta opção né?

5. Reserva de assento

Também é interessante considerar a reserva do assento. Na Europa, mesmo tendo um passe de trem ou um bilhete, em alguns casos é necessário reservar assento. Estas reservas são obrigatórias em trens noturnos, panorâmicos e de alta velocidade. Em alguns trechos, a reserva está incluída e em outros, não. Você pode verificar essa informação logo abaixo do horário de saída e chegada dos trens.

Para reservar assento, clique em “Reservar assento” que está dentro do quadro “Procurar bilhetes de trem”, na página inicial do site e preencha o quadro com as informações sobre a viagem.

As reservas de assento são entregues como os bilhetes físicos.

6. Informações sobre as tarifas

No site eles recomendamos que os clientes se atentem aos detalhes. É sempre bom olhar as “Informações sobre a tarifa”, que fica abaixo do preço. Ali, você pode verificar se o bilhete é reembolsável, se o trem fará alguma conexão e se a reserva é ou não incluída. Ali também se pode observar os detalhes da acomodação escolhida e se o trem possui serviço de bordo ou vagão restaurante. Poucas pessoas se atentam a esses detalhes, mas são super importantes!

7. Compro ou não?

Caso ainda esteja na dúvida se compra ou não, o Rail Europe te dá a opção de guardar a passagem por 48h.

Abaixo dessa seleção de continuar comprando ou aguardar, eles fazem uma seleção de trens baratos para uma viagem rápida de um dia. O clássico bate-volta que dá pra fazer muito na Europa. Se tiver dias disponíveis, dê uma olhada nas sugestões. Já aparece o tempo da viagem e o valor da passagem de trem, tudo em reais.

8. Efetuando a compra

Chegamos na etapa final: a compra propriamente dita. Para fechar o pagamento, clique na opção “checkout”. É agora que você preenche todos os dados necessários e finaliza o pagamento. Nessa parte você já aproveita e cria uma conta no site deles, isso significa que nas próximas compras, seus dados já estarão cadastrados e pula essa etapa de preencher tudo.

Essa é a página que abre na hora de comprar as passagens:

Pronto! Agora você já tem suas passagens compradas, assentos reservados e viagem garantida! As passagens chegam rapidinho na sua casa e fique atento porque todos os bilhetes europeus são iguais. Cuidado pra não confundir.

seguro viagemSaiba mais sobre o seguro viagem aqui.

Porquê os italianos tem fama de conquistadores

Esses dias vi um post da Amanda do Buenos Aires Para Chicas falando sobre como os argentinos dão em cima das brasileiras (e mais uns posts dela do estilo), e me inspirei pra fazer um post semelhante sobre a fama dos milaneses, esses italianos mais estilosos e fashionistas do país. O fato é que eles tem sim um jeito muito deles de se aproximar e conquistar, bem diferente do brasileiro. Por um lado assusta, mas por outro, eles facilitam muito a vida. Na real, não posso afirmar que 100% são assim, pois com certeza não são, mas com base em algumas histórias vividas e ouvidas vou contar um pouco sobre isso. Vai que alguém aqui consegue um passaporte vermelho? Ahn, Ahn?

fama italianos

1. Não se assuste, é rápido mesmo

Acho que a coisa mais estranha para nós é que eles são muito rápidos. Lá é super normal conhecer um cara e já ir pra cama com ele. Não sei se todas fazem isso, mas até onde eu sei/vi, não tem muita enrolação mesmo. Você mal conhece o cara na balada e ele já tá na sua casa.

Aqui rola disso, mas é muito menos ou pelo menos é muito mais “escondido”. Lá é o básico do início de um romance mesmo, e ninguém se importa com isso. As meninas não são chamadas de mil e uma coisas por causa disso, e os caras também não acham que elas são super fáceis. No começo achei estranho, bem moderninho… mas depois acostumei com os casos e causos das meninas. E quem diria né, porque aqui no Brasil que todo mundo acha que é tudo liberado, é bem mais cheio de regras (bobas e inventadas por nós mesmos).

2. Eles ligam no dia seguinte!

Agora choquei, certo? Eu sei que choquei, porque depois de ler o tópico de cima todo mundo mulheres pensou que lá é só farra, já foi pra cama no primeiro dia, e fim. Diversão pura.

Que-na-da! Os italianos (não vou dizer todos os europeus porque não sei, mas boatos afirmam que todos os europeus) ligam sim no dia seguinte. Se não ligam, eles mandam mensagem. E são queridos, e não ficam de joguinho. Se gostou, o que que tem ligar? Certíssimos, vão atrás sem lenga-lenga.

*Ok que daí isso fica meio nadavê quando você só fica com alguém aleatório na balada, e no dia seguinte recebe mensagem sem nem saber como ele tem seu telefone. Mas ahhh, bonitinho, vaiii…

3. Eles chegam na mesa pra conversar

Outra prática que hoje em dia já não é comum por aqui (pelo menos em Curitiba), pois aparentemente os homens tem medo de chegar pra conversar com as mulheres. Em Milão é normal ir aos aperitivos e fazer muitos amigos, dividir mesa, conversar com todo mundo… e olha que os milaneses são bem fechadões hein!

fama italianos

Vi alguns casais se formando depois da conversa de bar, afinal, não tem nada demais ir conversar com a pessoa por quem se interessou, prática esquecida pelos curitibanos!

4. Eles são amorosos e sinceros

Sim é verdade, os italianos são amorosos, apaixonados e não escondem o que sentem. Viver sem joguinho… que maravilha isso. Aquele estereótipo de filme acontece muitas vezes. Eles são queridos, falam mesmo que querem ser o homem da sua vida, gostam de elogiar as mulheres e convenhamos… ninguém resiste a um “bella” com sotaque bem carregado.

Depois desse post todas as passagens para Itália ficarão esgotadas, certeza! Hahaha.

fama italianos

*Pra quem estiver se perguntando se eu casei com um italiano e tal… não, não. E nem namorei nenhum deles, só conheci uns e outros. Fui para nações mais exóticas e não consegui um passaporte vermelho, hehe.