Fui a um casamento Italiano

Até então eu nunca tinha ido em nenhum casamento no exterior, mas depois de tanto viajar, esse dia finalmente chegou e a estréia foi logo com um casamento italiano. Quando morava na Itália, dividia quarto com uma amiga mexicana. Ela conheceu um italiano e estão juntos desde aquela época (5 anos atrás!). A melhor parte dessa história, é que a data que escolheram para a festa coincidia exatamente com minha ida a Milão. Útil ao agradável: pude ir ao casamento da minha antiga colega de quarto!

Quando descobrimos que daria tudo certo e poderia ir, foi só emoção. Nem acreditei que poderia estar lá neste momento com eles.

Bom, a noiva era mexicana e o noivo italiano, da cidade de Bergamo. Eles escolheram casar em Albino, uma cidade coladinha a Bergamo. Para chegar lá partindo de Milão, são 2 trens: um que leva até Bergamo e dura uns 40 minutos, e depois um trenzinho local, que leva uns 30 minutos. Foi uma bela viagem pra ir até a festa, mas valeu a pena.

Casamento italiano é muito diferente dos nossos aqui. Enquanto aqui as festas são feitas geralmente a noite, com cerimônia + festão, lá a festa começa de manhã e vai até a noite. O casamento que fui começava as 11h, em uma sala da comune de Albino para efetivamente realizar a cerimônia.

A sala era uma gracinha, com as paredes cheias de pinturas antigas, muito lindo. Essa parte foi muito rápida, acho que não deu 15 minutos ali.

Depois disso, a festa/comilança começou. Fomos todos para fora para o brinde e aperitivo. Ali muito champagne e o clássico aperitivinho italiano com azeitonas, salgadinhos, batatinha e queijo. Ficamos ali no sol um tempo (estava médio frio, no sol estava ótimo pra esquentar), brindamos o casal e depois fomos para o restaurante da festa.

O lugar escolhido foi um hotel/restaurante, o K2 que fica em cima da montanha. Lá não tem nada, só o hotel e uma bela vista. E sim, estava todo mundo desesperado sem wifi, hehe. Chegando lá em cima mais um brinde e mais um aperitivo com comidas e bebidas feitas no local. Tudo muito gostoso, simples e perfeito para o momento.

Quando liberaram o restaurante, o ambiente ficou super família. Eram 3 mesas enormes (bem italiana mesmo), cada uma com uma família, e a outra com os amigos. Tudo muito íntimo, sem exageros de decoração nem nada, como se fosse um almoção da família mesmo.

Agora vem a maior diferença: MUITA comida. Sabe aquela história do primeiro prato, segundo prato… etc? Típico italiano que todo mundo fala? Aqui é bem assim mesmo. Na mesa tinha um cardápio com os pratos, e como estou acostumada com casamento brasileiro, pensei que eram as opções para escolhermos. Nada disso. Logo veio uma garçonete servindo um risoto. Elas servem, não a gente.

Depois do risoto, uma pausa para o cigarro. Entramos novamente e o prato da vez era uma massa com calabresa deliciosa. Mais uma pausa para o cigarro. Voltamos para o segundo turno de carnes, teve primeiro uma posta com polenta (aqui já estava super cheia de comida) e depois desse prato veio outra carne com batatas, que tive que recusar por falta de espaço no estômago. Terminada a segunda parte, pausa para o cigarro.

Achei que o próximo passo seria comer as sobremesas, mas me enganei. Antes da sobremesa, teve a parte dos queijos e geléias. Tive que arranjar espaço, porque queijo italiano não dá pra dispensar. Voltamos, comemos muito queijo e depois mais uma pausa para o cigarro.

Mais uns minutos aquecendo no sol, e voltamos para a sobremesa. Um absurdo de comida de novo: buffet de tortas. Tinha de tudo, morango, chocolate, avelã, maçã… lindas e deliciosas.

Até aí já eram umas 18h da tarde, e a festa continuava. Depois de arrumarem o salão, começaria a festa propriamente dita, com DJ e tal. Como eu estava em Milão, precisei voltar para conseguir pegar os trens e não fiquei até o final, as 4h da manhã!

Em uma festa dessas dá pra ter uma enorme imersão na cultura italiana. Começa com a forma de servir os pratos, a comida em abundância, as pausas obrigatórias para os cigarros (muitos cigarros!), a alegria, a família e amigos super unidos, os italianos cantando mil e uma musiquinhas para os noivos, brincando um monte o tempo todo.

A festa foi enorme, durou o dia todo e tudo muito família. Tudo muito mais íntimo do que nas festonas que fazemos aqui. Foi uma experiência ótima e nunca comi tanto na minha vida. Adorei participar do casamento, além de estar presente no maior momento da vida dos meus amigos, foi uma festa muito diferente e por que não dizer, cultural também?

Comentários

comments

Leave a Reply