Dicas para trilhas: para você se aventurar e aproveitar mais

Eu contei das trilhas de Prudentópolis aqui no blog já, e mesmo já dando algumas dicas para trilhas aqui e ali, acho muito válido juntar umas coisas BEM IMPORTANTES e necessárias aqui pra vocês. Algumas coisas meio que descobri lá, até porque eu não sou A pessoa das trilhas, então ainda estou adquirindo experiência neste setor. Algumas coisas teriam deixado minhas trilhas melhores.

trilhas

1) Corte as unhas

Parece uma bobagem completa, tipo “quem vai de unha feita pra trilha?” A minha não estava feita, mas estava comprida e eu nem me toquei que fosse me atrapalhar. Eu não sabia que em várias trilhas precisaríamos segurar em cordas pra seguir, ou se apoiar em pedras e troncos.

O fato é que em todas as trilhas de verdade (não passeinho no campo, hehe) que fizemos, usei muito as mãos e em muitos momentos a unha comprida (nada zé do caixão, mas já maiorzinha assim) atrapalhou e me machucou. Depois do primeiro dia, cortei todas pra não me machucar mais. Ou ainda pior, ficar preocupada de que iria quebrar durante os passeios.

Não preciso mencionar que esmalte… vai sair, né? =D

unha

2) Tênis certos

Importantíssimo cuidar disso! Você não precisa investir em um tênis específico de trilha se não faz trilhas com frequência, até porque são bem caros. Mas procure usar um tênis que segure bem seu pé, que tenha algum amortecimento e principalmente com ranhuras na sola, pra evitar escorregões.

Veja, não é que seja impossível ir de All Star ou de chinelo. Dá né, só que é bem perigoso mesmo, porque além de que um chinelo pode escapar do seu pé ou você se embolar nele, pode virar o pé por besteira, machucar bastante a sola e ossos, ou ainda escorregar feio e se machucar.

Escolhe um tênis um pouco melhor pra isso. Vale a pena e você não se machuca terminando a viagem antes da hora.

3) Leve água

As estruturas muitas vezes são bem precárias e simples. Não espere encontrar pontos de venda de água durante as trilhas. Nem vendedor ambulante. Não tem. Compre água antes e leve 1 ou 2 garrafinhas por pessoa, ainda mais se estiver calor. As trilhas são bem cansativas e é super importante ter água!

planetagua_garrafasblog

4) Tome um banho de repelente

No verão, banho de repelente! Nossa eu sofro muito com isso, porque sempre sou atacada por todos os mosquitos do local. Juro! É impressionante, sou um ímã de mosquitos e tudo que é bicho.

Eu passo MUITO repelente e mesmo assim eles acham um cantinho sem. Se for no verão ou no inverno, passe bastante, porque tem muito bichinho, a mata pode ser bem fechada em diversas trilhas.

repelentes2_foto-walla_santos

Sem contar que ninguém quer ser picado por algum bicho esquisito ou peçonhento. Assim dá uma boa protegida. Outra sugestão para o caso dos bichinhos é usar roupas compridas. Calças, manga longa, algo no pescoço, meia comprida. Proteção mesmo! No verão é difícil pensar em usar tanta roupa, mas confesso que eu queria ter levado roupas compridas pra me proteger. Eu não sabia que seria o buffet dos mosquitos. hahaha

5) Carregue o mínimo

Vou falar de novo: trilhas são puxadas. Leve o mínimo que você puder na mochila. Só a água, o repelente, talvez uma barrinha de cereal. O básico mesmo. Recomendo não levar câmeras grandes, pesadas e caras. Tem um risco enorme de bater ou cair e quebrar. Fora o peso, que faz diferença na sofrência de algumas trilhas.

6) Roupas

Leve várias mudas de roupa, quem sabe até uma muda inteira por dia. A gente sua bastante e suja muito, é inevitável. Como a gente não achou que fosse sujar tanto, não levamos muita coisa, e em alguns momentos precisamos lavar pra usar depois. A coisa é que fica um sujo tenso, que é difícil de só lavar no banho/pia, sabe? Precisa de uma lavagem mais completa mesmo.

Então leve uma roupa por dia. É melhor, você não se preocupa em ficar lavando.

sujoSaindo de uma das trilhas. Meia branca virou marrom

7) Se puder, vá com um carro maior!

Como eu comentei nesse post aqui, se você tiver um 4×4, use! Dá pra fazer com qualquer carro, é claro! Mas como as estradas são bem aventura mesmo, cheias de pedrinhas (as vezes não tão “inhas” assim, he), dá aquele nervosinho de ficar ouvindo tudo batendo embaixo do carro. Ou ainda pior, aquele medo de atolar se chover um pouco.

dicas trilhas

8) Não dispende um guia quando você não conhece a região

As cachoeiras de Prudentópolis não tem guias disponíveis no local pra acompanharem os passeios, por exemplo. Em uma ou outra tá tudo bem, não tem necessidade de guia, porém em várias é legal ter um guia sim!!

É preciso contratar antes de ir. Pergunte no seu hotel se tem guia pra ir junto ou pra indicar. Eu contei aqui sobre cada uma das trilhas que fizemos em Prudentópolis e quais seriam ideais de ir com guia. Não é um luxo, é questão de segurança!

Já na região do cânions em SC, é tudo com guia já de cara nas trilhas mais complicadas. Só vai com guia e ponto final, tipo a Rio do Boi.

trilhas prudentópolis

Comentários

comments

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.