Economizar para viajar: reduzindo gastos de maneira saudável

Esses tempos eu fiz um post mostrando que você desperdiça uma viagem por ano e fiquei muito feliz com o resultado, pois muitas pessoas vieram me falar que as dicas foram super uteis e que vão ficar mais atentas aos pequenos desperdícios do dia a dia. Pensando em ajudar quem quer economizar para viajar, resolvi escrever mais um post, mas dessa vez dando mais algumas dicas e explicando como eu faço para reduzir os meus gastos de maneira saudável.

Antes de qualquer coisa, quero deixar bem claro que meu objetivo não é participar do programa Muquiranas, muito menos ficar com fama de pão-duro ou algo do tipo, até porque acho muito feio quem é obsessivo assim com economia. O objetivo aqui é buscar também qualidade de vida, porque quando reduzimos o consumo desenfreado e adotamos um estilo de vida mais simples, não ficamos escravos do dinheiro e ele acaba naturalmente rendendo mais.

Pague à vista, em dinheiro

Nós somos tão acostumados a usar cartão de crédito/débito para tudo que não nos damos conta do dinheiro que vai embora com as taxas pelo uso do cartão. E não estou falando da taxa que você paga pelo cartão, estou falando da taxa que os estabelecimentos cobram por aceitar o cartão, porque sim, quem paga as taxas somos nós. Aquela história das 10x sem juros é tudo balela.

Quando morei na Áustria demorei pra me adaptar a pagar em dinheiro, porque lá até nos mercados as pessoas pagam em dinheiro. No máximo, cartão de débito. No crédito mesmo, só lembro de ter conseguido comprar passagens de trem. Quando voltei pro Brasil, comecei a usar mais o dinheiro e notei que usar dinheiro no Brasil é considerado cafona por algumas pessoas. Quando você usa dinheiro, alguns amigos te zoam, o atendente fala que não tem troco e que “pagar com Visa é muito melhor“. Não estou falando pra sair por aí com a carteira abarrotada de dinheiro, principalmente por questões de segurança, mas vejo vantagens em muitos casos. No começo do mês comprei um arquivo desses de aço pro escritório e perguntei se tinha desconto pelo pagamento à vista. “Não senhora, esse valor parcelado já é sem juros”,  então perguntei mais uma vez: “mas será que não tem como melhorar só um pouquinho?” e, no final, paguei R$340 por um armário que custava R$444,51 em 5x “sem juros”.

Outro lugar bom de conseguir desconto para pagamento à vista é em loja de roupa. Eles sempre conseguem melhorar bastante o valor, então considere perguntar pelo desconto para pagamento à vista, só não vale ficar pidonchando demais porque fica chato e, como disse lá em cima, é pra economizar de maneira saudável e não mendigando.

Compre pela internet

Talvez nem todos saibam, mas os preços das lojas online são sempre mais baixos que os das lojas físicas, mesmo que seja a mesma loja. Uma vez estava pesquisando uma impressora e a mais barata que achei era no Extra, mas como eu estava ansiosa para comprar a impressora, fui até o mercado e, quando cheguei lá, a mesma impressora custava R$250 a mais do que eu tinha vista na internet. Na época eu não sabia disso e o cara do mercado me explicou que a loja online paga menos imposto e não precisa da mesma estrutura do mercado, com boa localização e espaço para os clientes estacionarem o carro e tal. Por isso era mais barato pela internet, então voltei para casa e comprei pela internet.

Depois disso, sempre que vou comprar algum eletrônico, nem considero mais comprar na loja, só compro pela internet. E como várias lojas oferecem “frete grátis” para valores mais altos, acho que sempre compensa. Mas caso o frete seja caro ou você tenha pressa para receber o produto, pode comprar pela internet e retirar na loja. Já fiz isso na Fast Shop algumas vezes e sempre que vou retirar meu produto, dou uma conferida no preço da loja física e todas as vezes estava mais caro na loja física.

Calçado também é bom comprar online. Compro muito na Andaraki, que é a mais barata e tem bastante variedade de todas as marcas. Além da Andaraki, costumo comprar na Renner também. Apesar do preço da loja física e online ser o mesmo, a loja online tem mais variedade de cores, modelos e numeração do que a loja física.

Compre da marca do estabelecimento

Assim como comprar com dinheiro, aprendi a comprar a marca do estabelecimento quando eu estava passando férias em Londres e comprava tudo da marca do mercado, porque era barato e MUITO bom. Já fiz até um post falando sobre isso, um dos primeiros posts meus aqui no blog.

Aqui no Brasil as marcas do mercado ainda não atingiram o mesmo patamar do que eu lembro dos mercados londrinos e austríacos, mas é possível encontrar coisas de qualidade da marca dos estabelecimentos por aqui também. Meu chocotone favorito é do Mercadorama e Walmart (são a mesma rede, então é o mesmo chocotone). O chocotone do mercado é o melhor do mundo. Fresquinho, molhadinho e fofinho. Não tem chocotone em caixa pomposa melhor do que o do mercado que vem no plastiquinho. Podem comprar sem medo, eu garanto. Se não gostarem, podem mandar tudo aqui pra minha casa. Hahaha. O chocotone do Angeloni também é super gostoso. E todos eles são infinitamente mais baratos que o chocotone da lata com desenhos renascentistas que brilha no escuro e canta para você dormir.

(achei essa foto no facebook do Mercadorama, mas o chocotone não é assim, ele vem todo amassado e a massa é mais escurinha, mas juro que é uma delícia)

Outra marca de estabelecimento que eu sou fã de carteirinha é da Panvel. Sou fã da Panvel como um todo. Eles devem dar um super treinamento para os funcionários, porque você pode ir a varias farmácias e o padrão de atendimento é o mesmo. Mas voltando à marca, até hoje de tudo o que eu testei da marca da Panvel, só o primer que eu não gostei muito, mas o resto foi tudo aprovado, especialmente os esmaltes. Além dos preços serem bem acessíveis, comprando na Panvel você ainda cadastra pontos que pode converter em Multiplus. A louca dos programas de fidelidade pira!

Os bancos, eles só querem o seu dinheiro

Não se iludam. O banco só quer seu dinheiro.
Quando o gerente te trata bem, ele só quer seu dinheiro.
Quando ele te oferece um cafezinho, ele só quer seu dinheiro.
Quando ele te oferece um benefício, ele só quer seu dinheiro.
Quando ele diz que o melhor pacote é aquele, ele está mentindo. Ele sempre vai querer sugar o máximo que ele puder de você. E estou falando isso com conhecimento de causa. Eu sei também que banco não é instituição de caridade e precisa de dinheiro, porém a metodologia que eles adotam é, na minha opinião, agir de má fé na maioria dos casos.

Você pode escolher passar uma boa parte da vida achando que o banco é seu amigo (já aconteceu comigo) ou você pode começar agora a reduzir os gastos com o banco:

- Reduza o seu pacote: esses tempos abri uma conta em um banco e pedi pelo pacote mais barato, mas errei por não ter me informado antes. Achei que eu poderia confiar na palavra da gerente. Estava pagando uma tarifa mensal de R$77, só usava aquele banco pra receber pela empresa e nada mais e depois descobri que existia um pacote de R$22!!!!! Mas quando eu perguntei pelo pacote mais barato, me falaram que era o de R$77. Quando pedi pra mudar, falaram que não podia e só consegui mudar quando falei que se não mudassem pro de R$22 eu encerraria a conta.

- Reduza a anuidade do cartão de crédito: quando você pede o cartão vem aquela anuidade muitas vezes absurda. Espere passar um tempo e ligue pedindo pra reduzir também. Eu sei que falei lá em cima que não pode ser chato e mendigar demais, mas é que os bancos sempre querem dar uma de espertinhos em cima dos clientes. Mesmo que você ache que não precisa dessa redução, saiba que o banco precisa menos ainda, então peça pra reduzir e doe pra alguma instituição carente, mas não para o banco.

- Você tem direito a uma conta corrente gratuita: é determinação do Banco Central, é seu direito, é obrigação do banco. Então, se você não quiser gastar nem um centavo para guardar seu dinheiro com segurança, é possível também. Geralmente esse tipo de conta corrente não disponibiliza cartão de crédito, mas existem alguns bancos que liberam cartão de crédito para não correntistas e sem anuidade, então pesquise e pense bem antes de decidir onde você vai colocar o seu dinheiro.

- Serviços casados, não aceitem: o gerente pode até falar que conseguiria liberar o empréstimo se você adquirisse o título de capitalização. Na verdade ele tem que atingir meta e, assim como ele pode decidir se vai ou não te emprestar dinheiro, você também pode decidir ou não se vai pegar outro serviço junto. Se for bom para os dois, tudo bem, mas fique atento. Toda vez que eu preciso lidar com banco me sinto enganada e lesada por não conhecer bem os procedimentos.

Estragou? Conserte!

Ano passado estragou a máquina de lavar roupa da minha casa e 15 minutos depois já estávamos procurando por uma nova na internet. Incrível como isso é automático e estamos sujeitos à pensar que se estragou merece ser substituído. As coisas estão ficando cada vez mais descartáveis e isso não é bom para o meio ambiente e nem para o nosso bolso, então decidimos fazer uma cotação para consertar. Se não me engano, o conserto custou R$150, mas tenho certeza que não chegou nem a R$200. Se tivesse comprado uma nova, dependendo do preço, estaria pagando até hoje e em 10x “sem juros”.

Mais dicas

O Expedia Brasil montou um Guia Prático de Economia Para Viajar Mais com várias dicas extras para fazer o dinheiro render sem precisar parar de viver pra economizar. O guia é interativo e mostra o que você pode fazer com o dinheiro que economizar. É bom que assim você enxerga exatamente o que está perdendo enquanto não adquire novos hábitos.

Quem estiver gostando da série de dicas de economia e mudança de hábitos para uma vida mais simples e saudável e quiser mais post sobre isso, é só falar que eu já posso ir pensando nos próximos : )

E para quem ainda não viu os outros:

Dicas para economizar e viajar mais
Dicas para economizar durante a viagem: use com moderação
Você desperdiça uma viagem por ano
Desafio Mova Mais: trocando exercícios por milhas
Nubank: o cartão de crédito sem anuidade e por que você precisa ter um
Mapa colaborativo: postos e estacionamentos baratos em Curitiba

Comentários

comments

2 Comments on Economizar para viajar: reduzindo gastos de maneira saudável

  1. Suelen Sena
    14 de agosto de 2015 at 10:42 (3 anos ago)

    Ótimo post, Mari. Desde que eu descobri a conta corrente grátis (que em alguns bancos chama digiconta) não pago mais taxa de manutenção. Cartão de Crédito tb… sem essa de anuidade caríssima. A Credicard da ultima vez reduziu pra mim de 3 X 50,00 para 3 X 10,25 (é preciso saber chorar com o atendente no telefone). Já o cartão Bradesco Smiles não quis negociar a anuidade de jeito nenhum. Cancelei o cartão na hora e pedi um sem anuidade do BB Petrobras que também acumula pontos… E assim vamos economizando!
    Bjus!

    Responder
    • Mariana
      Mariana
      17 de agosto de 2015 at 16:29 (3 anos ago)

      Eu também uso uma conta sem taxa. Melhor coisa. Chega de ficar desperdiçando dinheiro com banco.
      E que super redução você conseguiu de 3 x R$50 pra 3 x R$10,25, heim?
      Quando não quiserem reduzir, o negócio é cancelar mesmo. Sempre vai ter outra opção. Ainda preciso treinar mais como choramingar pra reduzir as taxas. Hahaha

      Beijos

      Responder

Leave a Reply