Estancia Jesuítica de Alta Gracia

Depois de passear em Córdoba, aproveitamos para conhecer cidades ao redor. A boa coisa quando a cidade é visitável em pouco tempo é isso, poder conhecer mais coisas pela região. Como andamos bastante por Córdoba no primeiro dia, aproveitamos o segundo dia de estadia para pegar o carro e conhecer mais dois lugares, a Estancia Jesuítica de Alta Gracia e Villa General Belgrano, viagem de não mais de 100km da capital.

No caminho a primeira parada era Alta Gracia. Ela é bem pequenina, uma vila simples sem muito o que fazer. Tá e por quê fomos pra lá? Em, porque tem uma das estâncias jesuíticas mais importantes do país, lindíssima:

estancia jesuitica de alta gracia

Quando estávamos chegando parecia que ia chover demais, mas por sorte não aconteceu. E por mais sorte ainda, a entrada da estância, que geralmente é paga… estava liberada e era gratuita. Oba! Muita sorte nessa hora né?

estancia jesuítica de alta gracia

Eu filmei tudo por dentro pra mostrar pra vocês, mas como a construção é muito velha e toda de pedra imaginem vocês que a iluminação era algo bem precário, e ficou tudo muito escuro nos vídeos. Então vai ser com fotos mesmo:

estancia jesuitica de alta gracia

Tudo muito antigo, né? Esse museu/casa é do século XVII, declarado Patrimônio da Unesco em 2000. O nome Alta Gracia é uma homenagem à santa de mesmo nome do povoado do dono do local, Alonso Nieto de Herrera. Depois de ficar viúvo pela 2ª vez, Alonso entrou para a Companhia de Jesus, e doou todos os seus bens.

A Estancia era um espaço agrícola e industrial, que servia para sustentar o Colégio Maximo, que logo virou a primeira universidade argentina. A área foi uma das mais prósperas da região de Córdoba!

A Estancia é composta pela casa dos jesuítas (esse museu das fotos acima), uma igreja (aqui embaixo) claro, uma área para as obras, um rancho, a casa dos escravos, um dique, fornos para fabricação de telhas e azulejos e ainda uma horta. Sim, a casa é grande!

estancia jesuítica alta graciaA Igreja estava em reforma por dentro, cheia de andaimes e bloqueada para visitação.

Apesar da cidade ser pequena e não ter muito o que fazer, a parada foi muito válida. Ainda por lá tem outro ponto bem importante que é a casa onde viveu Che Guevara. Fomos até lá para visita-la, mas quando descobrimos que para entrar na casa teríamos que pagar R$ 27 cada um… meio que desistimos. Achei o preço bem salgado, e como não sou A fã de Che, dispensamos e seguimos viagem para a próxima cidade.

estancia jesuítica de alta gracia

De dentro da Estancia, vemos a torre com o relógio da cidade.

Comentários

comments

Leave a Reply