Eu não gosto de Paris!

Não me batam, por favor, mas eu não gosto de Paris. Não gosto e ainda não consegui me permitir voltar pra lá e tirar a história a limpo! É um post e uma afirmação polêmica, mas eu preciso colocar isso pra fora.

Estive em Paris no final de 2007, uma semana antes do Natal. A cidade estava linda, toda iluminada e aquele clima de festas no ar. De fato não posso negar que a cidade seja linda, mas mesmo assim, não gosto dela. Aliás, é por isso que tem poucos posts sobre a cidade luz por aqui. Só comentei as poucas coisas que gostei lá: Louvre, Invalides, Eiffel e Notre Dame. Não é a toa essa mesquinharia de textos, não me sinto confortável falando de lá, acabo lembrando das más experiências, fico com preguiça e vou deixando de lado.

Começa com a escolha do hotel. Como eu não falo francês e não conhecia quase nada da Europa e muito menos todas as dicas de como procurar e fazer as coisas, perguntei para um amigo parisiense se o hotel x (não lembro o nome do hotel, mas nem faz diferença, pois não era bom) ficava em uma região boa ou não. Ele disse: “sim, esse hotel está super bom.”

Bom, fechei o hotel. Legal. Só que não. Do aeroporto até o hotel, tinha uma linha de metrô direto, e até ai tudo ótimo. Descemos na estação e… ninguém sabia onde era a rua do hotel. Ninguém podia/queria ajudar e nós lá, com malas e perdidos. Meus pais tinham chegado de voo internacional para me encontrar lá, e estavam muito cansados, claro. Ok pegamos um taxi, andamos 4 quadras e chegamos. Fala sério né? E ninguém, repito NINGUÉM, sabia informar a rua que ficava a 4 quadras dali? A corrida tinha valor mínimo de 6 euro = R$ 15 (na época).

Começamos bem já. Dai o hotel era minúsculo, cheirava mofo e esse bairro era região metropolitana. Não sei que parte de “bem localizado” meu amigo não entendeu, mas já comecei achando os franceses meio sacanas aí, com ele, meu amigo da faculdade.

Passado todo o momento de raiva do hotel, partimos para conhecer a cidade. Tirando o fato do metrô lá ser extremamente caro, ele é muito bom sim. Muitas linhas e sempre com paradas nos lugares que quer ir. Parece redundância, mas tem cidades que as paradas não passam perto dos pontos famosos/interessantes, tipo Roma. Não é o caso aqui, Paris tem um sistema de transporte público excelente, porém caro se comparado a outras cidades.

O primeiro dia foi legal, andamos bastante, fomos ao Louvre, vimos a Champs toda iluminada… e pra voltar? Precisávamos pegar o metrô de volta, na parada x que tinha a linha até nosso hotel. Ela estava ali bem no mapa, mas não encontrávamos na vida real! Como rodamos aquela noite atrás da estação! Super frio, super cansados e nada da estação.

As pessoas na rua não faziam a menor questão de indicar a rua! A solução foi perguntar para policiais que encontramos no caminho. Eles simplesmente apontaram uma direção. E SÓ. Nem um oi, um até mais, uma palavra sequer. Menos mal que indicaram a direção… contrária! Completamente contrária!! &*¨%#$#@ Franceses babacas.

Sabe, se o cara não quer falar inglês (ele entende, mas não quer) porque é um orgulhoso, que quer ganhar dinheiro com turismo mas tá cagando pros visitantes, acha um saco ou sei lá… ok, eu até entendo, mas precisa ser babaca assim ao extremo? O que ele ganhou com isso? Porque nem rir ele riu.

Só conseguimos achar a estação porque encontramos dois brasileiros no caminho que nos ajudaram de verdade. E sabe, era tão simples!

Nos outros 2 dias, foi ok, pelo menos já tinhamos aprendido o caminho pra ir pro hotel. Mesmo assim me incomodou a cidade tão entupida de gente. Eu sei que comprei essa briga indo pra lá no Natal e estava tudo mais cheio do que o normal, mas um monte de turista perdido sendo atendido por francês sem vontade não tem como dar certo.

Pra finalizar meu amor com chave de ouro, perdemos o voo para Milão. Bacana né? A coisa foi que precisavamos pegar um trem ali do hotel até uma estação x e pegar um ônibus até o aeroporto de Beauvais (na pqp). No hotel disseram que este trem saía no horário tal e claro, fomos na hora certa pra lá. Chegando na estação, cadê esse trem? Nem tinha!!!

* momento 1 para quase começar a chorar *

Fui atrás de informação e como era super cedo, haviam poucas pessoas por lá. Perguntei pra uma menina, e na linguagem dos sinais consegui descobrir que qualquer trem daquele horário pararia onde queríamos. Perfeito então. Pegamos o próximo, mas quando chegamos para o ônibus, ele tinha acabado de sair.

* momento 2 para quase começar chorar *

O jeito era pegar um táxi. Tinha tempo, tinha tempo suficiente…. se o taxista não fosse um mongo que se perdeu e ficou levando a gente para ver as paisagens do caminho e no aeroporto errado. ¬¬

FALA SÉRIO NÉ?

* momento para chorar *

A corrida deu 150 euro, pra chegarmos 2 minutos após o prazo para check in. Obviamente a atendente da Ryanair foi mais uma francesa super simpática e não fez nada. A coisa é que não tinha mais voos para Milão para 3 pessoas ali. Que-legal. Tivemos que ir até o Charles de Gaulle tentar a sorte. Pra encurtar a estória, conseguimos um voo meio caro e fomos enfim para minha amada Itália ♥.

No geral não foi uma viagem de todo ruim, mas a experiência do consumidor conta demais em tudo. Passei momentos muito chatos lá e acabei pegando uma raiva descabida por essa cidade tão bonita. Eu sei que tenho que voltar pra lá e resolver este caso, mas sempre lembro dos maus bocados, fico com preguiça e com medo de passar por tudo isso de volta. Acabo escolhendo ir para algum lugar novo, atrás de boas experiências e fugir dos franceses.

Bem que dizem que cidades são feitas de pessoas, e agora essa é a minha Paris. Um dia talvez eu volte e goste…. ou não.

seguro viagemSaiba mais sobre o seguro viagem aqui.

Comentários

comments

65 Comments on Eu não gosto de Paris!

  1. Romilda
    12 de agosto de 2012 at 12:02 (5 anos ago)

    Voltei da europa ha uma semana, tbm odiei Paris!

    Responder
    • Anna
      Anna
      12 de agosto de 2012 at 12:09 (5 anos ago)

      Ufa! Pelo menos não me sinto tão só! hehehehe

      Responder
  2. Fernanda Souza
    12 de agosto de 2012 at 13:07 (5 anos ago)

    Eu também não curto Paris. Achei os caras arrogantes demais. Quando entrava nos museus, falava 2 palavras em francês, depois mudava para o inglês e eles começavam a falar espanhol comigo e eu argumentava que não entendia espanhol e eles se recusavam a falar inglês. Sou mais polêmica ainda…também não gosto de NY. hehehe

    Responder
    • Anna
      Anna
      12 de agosto de 2012 at 15:33 (5 anos ago)

      oooowww, polemizou muito mesmo dizendo que não curte NY! hahaha
      Ai sério que me sinto menos mal já que mais gente não gosta. =)

      Responder
  3. Milena F.
    12 de agosto de 2012 at 15:35 (5 anos ago)

    Infelizmente não temos como gostar de tudo e de todos!!! Mas eu sempre tive sorte, sempre que vim para Paris como turista fui muito bem tratada e nunca tive problemas, depois quando vim morar tb nunca tive problemas. Mas sobre encontrar uma rua, se alguém me pergunta eu sinceramente não sei os nomes das ruas que ficam perto da minha casa, conheço as principais de Paris, mas é só. mesmo morando aqui há quase 4 anos, não saio de casa sem um mapa, assim como não vou a cidade nenhuma da europa ou do mundo sem um mapa, e sempre olho antes na internet (ou no mapa)qual o melhor transporte ou caminho para chegar até lá. Já por outro lado amei a Itália, mas todo o tempo me senti “enganada” pelos italianos, que sempre encontravam uma forma de tirar vantagem. Infelizmente a vida é feita de experiências boas e de ruins…

    Responder
    • Anna
      Anna
      12 de agosto de 2012 at 20:33 (5 anos ago)

      Pois é, pra mim os franceses foram TODOS muito sacanas e sem necessidade.
      Há 5 anos atrás não tinha smartphone a rodo, muito menos os apps, o que dificultava bastate, Hoje em dia está muuuito mais fácil!
      Muitos amigos meus tem a mesma opinião de lá… eu acho triste porque a cidade é muito bonita mesmo, mas me desanimou.

      O que eu vejo é que a maioria dos povos são muito simpáticos, hospitaleiros, etc.
      Um povo que me surpreendeu foi o escocês! Caramba, que pessoal legal. Nem só porque quando eventualmente precisei de alguma informação eles foram bacanas, mas até em momentos inesperados.
      Também acho que a lingua ferra algumas coisas.
      Os italianos do sul são 8 ou 80 né? Os do sul em sua maioria são super familia e simpáticos, os do norte, totalmente o contrário! Sem contar que a lingua parece que eles estão sempre brigando. Já o francês parece que estão sempre esnobando…

      Sei lá, é muito da experiência de cada um. Comigo foi tudo uma bola de neve e fui ficando até com medo deles.
      Talvez porque eu estava com uma expectativa MUITO grande pra conhecer Paris e tudo que sempre falam dela…. e dai fui tudo dando errado e não curti.

      Tenho que voltar!!

      Responder
  4. Pedro Antunes
    12 de agosto de 2012 at 19:14 (5 anos ago)

    Gostar ou não gostar de algo é direito inalienável. Agora, este tom agressivo e de generalização irresponsável, chamando os franceses de babacas, foi um pouco pesado. Estou um pouco cansado deste tipo de turista mimado, que acha que todos tem que tratar eles como reis e rainhas. Faz assim da próxima vez, se ela exsitir: leva um smartfone com gps, ou um mapinha de mão. Se pedir indicação de lugares pra ficar, leve em conta que o lugar pode servir para quem indicou. E não esqueça que os moradores da cidade mais visitada do mundo são abordados diariamente por turistas despreparados (que não são capazes de entrar no google maps antes de viajar para pesquisar endereço do hotel…). O que eu vi de turista mau educado, impaciente, gritão, achando que todos devem estar a seu dispor. não gostar, odiar um lugar, sem problemas. Chamar um povo de babaca porque não ajudou um turista despreparado, exagero. eu fui muito bem tratado em todas as vezes que fui lá!!

    Responder
    • Murilo
      28 de julho de 2014 at 15:11 (3 anos ago)

      Em 2007 não havia Google Mapas. E educação nunca é demais. Não se esgota nem se nos pergutarem mil vezes a mesma coisa. Odeio Paris e só pretendo voltar se algum milagre ocorrer, porque comigo todos foram babacas arrogantes. Logo, posso generalizar, já que foi a amostra que tive.

      Responder
    • Joca
      4 de dezembro de 2014 at 17:40 (3 anos ago)

      ”Estou um pouco cansado deste tipo de turista mimado”
      Essa frase é auto-explicativa e mostra sua coerência…

      Responder
  5. Bel
    12 de agosto de 2012 at 20:20 (5 anos ago)

    Engraçado, eu poderia fazer um post bem parecido sobre minha experiência na Itália. Mas eu também acho Paris bonita, mas nunca me emocionou, sei lá, não consigo ter uma conexão e vontade de voltar. Gosto não se discute.

    Responder
    • Anna
      Anna
      12 de agosto de 2012 at 20:38 (5 anos ago)

      Faz o post Bel! Gostaria de ver a sua opinião sobre lá, acho muito interessante essas diferentes visões dos lugares.
      Como um detalhe pode mudar tudo né?

      Aguardo seu post.
      =)

      Responder
  6. Luffi
    13 de agosto de 2012 at 0:04 (5 anos ago)

    Oi

    Concordo com o que voce disse mas eu acho mesmo que voce não gosta mesmo é dos franceses e não de Paris. Sabe o que eu digo? Paris seria fantástico sem nenhum francês. A sua arrogancia, o seu ar snob e cheio de nove horas, não se importando com nada nem ninguem alem de eles mesmo tira qualquer latino do sério. estive há 2 meses novamente em Paris e te conto o que me aconteceu. Entrei no Museu d’orsay e estava deixando minha mochila no bengaleiro quando sou completamente mal tratado por uma empregada, insultado mesmo porque demorei algum tempo a tirar iphone e dinheiro lá de dentro. Para azar dessa atrasada mental eu entendo mais ou menos francês e e insultei-a e depois mandei ela para o C….. em bom português. A fulana era portuguesa mesmo e sabia que eu era português pois estava a falar com a minha amiga mas só se dignou a baixar aquele ar imperial quando a mandei para o tal sitio e quando chamei o chefe para reclamar dela. Por isso tá vendo até os emigrantes tem o mesmo comportamento de atrasado mental igual aos franceses. Mesmo na disneyland paris onde supostamente você deveria ser tratado de acordo com os ideais da disney os empregados são muito arrogantes e não querem saber dos turistas para nada, nem um sorriso nada. Tambem vim muito decepcionado desta vez e acredita tirei a cidade de Paris do meu top 10.

    Responder
  7. Milena F.
    13 de agosto de 2012 at 5:52 (5 anos ago)

    O que a Luffi disse acima é o que eu sempre digo nos meus posts: Paris é uma cidade de 1 milhão de habitantes que recebe milhões de visitantes, sem contar os imigrantes. Então a probabilidade de você encontrar um “francês” atendendo em um hotel, restaurante ou trabalhando em empregos menos remunerados vai ser quase ZERO.
    Para encontrar um “francês de verdade”, se é que isso existe, então melhor ir passear em locais menos turisticos onde se localizam os escritórios das grandes empresas, por exemplo. Então depois a gente generaliza colocando todo “francês” no mesmo saco. Mas algo que já vi muito é turista (principalmente brasileiro) tratando um empregado pior que um cachorro, e aqui na França ninguém aceita isso não! Falou grosso ou sem usar a fórmula “bom dia-por favor-obrigada”, pode ter certeza que vai receber uma resposta no mesmo tom!!! Certa vez fui com uma amiga brasileira superquerida na Sephora da Champs Elysées e as atendentes todas sorridentes e dizendo “bonjour”. A minha amiga não respondeu à nenhuma e eu ali com “vergonha”, falei para ela que tinham dito “bonjour”, se ela não tinha ouvido. ela me disse que tinha ouvido sim mas que só dizia bom dia para quem conhecia! Infelizmente tem muito brasileiro que pensa assim e que chegando aqui na Europa, ainda mais na França, onde na “teoria” todo mundo é igual apesar de estar na frente ou atrás de um balcão, e acaba passando essa imagem de arrogante e prepotente. Sempre que saio com brasileiros fico reparando a forma como eles tratam os vendedores e garçons, creio que é mesmo inconsciente, mas é no estilo “dando ordens”. Isso nenhum francês vai aceitar… pediu com educação, recebeu com educação e vive versa… E hoje acho que eles têm razão!

    Responder
    • Anna
      Anna
      13 de agosto de 2012 at 8:05 (5 anos ago)

      Com certeza Milena, educação gera educação sim!
      Mas eu fui muito de boa perguntar coisas pra eles, pedindo por favor, e etc.. nada tipo “ow, onde é tal lugar”.
      Não trato ninguém assim.
      Eu concordo que se for tratado mal por turista, não dá pra pedir educação da parte deles. Mas se tratar bem e levar sopapo… AHHHH dai não dá! =)

      Responder
    • Luffi
      14 de agosto de 2012 at 14:50 (5 anos ago)

      Infelizmente depois de várias vezes visitando Paris e outras cidades de França não consigo concordar nem aceitar os comportamentos que tenho vindo a observar por parte dos Franceses. Nunca fui nem sou mal educado em nenhum lugar do mundo, quantos bonjours em França sem qualquer resposta e uma cara de quem tem dor abdominal? Não acredito que a história de milhoes de turistas passando por lá diariamente seja a explicação e esse tipo de comportamento é com toda a certeza de índole cultural. Como no meu caso não tolero ser chingado por ninguém quando simplesmente estava a retirar o iphone e dinheiro na mochila para a colocar no bengaleiro e não havendo mais ninguém na fila. percebo bastante bem francês para ter entendido o que aquela mulherzinha disse e claro levou uma resposta à altura e reclamação escrita.
      Infelizmente foram várias situações em vários anos que visitei a França e saí de la sempre com o mesmo sentimento de ser desprezado por olhares de desdem, respostas secas e brutas mal educação mesmo.
      é verdade que o excesso de turismo e de pessoas mal informadas é cansativo, mas quando se vive disso mesmo … há que sujeitar as consequências. Agora ser maltratado só por isso não aceito de forma alguma. Vou contar mais uma situação: certa noite fomos jantar num restaurante bem perto da ópera. Chegamos e dissemos que eram 2 pessoas e a senhora nos mandou para a esplanada. Solicitei que se podiamos ficar dentro do restaurante porque chovia imenso e estava um frio danado que entrava pela porta a toda a hora sempre que alguem a abria. Sabe o que aconteceu? Como resposta levei um olhar fatal e fez mesmo grrrrrrrr como os cachorros. Depois de nos sentar dentro do restaurante simplesmente não nos atendeu passava por nos virava a cara, atendeu pessoas que chegaram bem depois. Enfim isso é falta de educação mesmo e eu nunca fui tratado assim em nenhum restaurante em nenhum lugar do mundo!! Posso estar a especular e certamente as pessoas não são todas assim mas que estas situações se repetem vezes de mais e França repetem sim!

      Responder
      • Anna
        Anna
        14 de agosto de 2012 at 15:03 (5 anos ago)

        Nosssa que situação péééssima essa do restaurante!
        Não tem como sair feliz mesmo né?

        Responder
        • Luffi
          14 de agosto de 2012 at 15:08 (5 anos ago)

          foi ruim mesmo, mas a vingança é um prato que se come frio né? Então decidimos pagar a conta com as moedas mais pequenas que tinha na carteira, foi muito cómico a cara dela quando viu o pratinho cheio de moedas de 1 e 2 cêntimos e 2 notas de 5 euros ahahaha!!! Apesar de haver sempre atritos com os franceses só temos que fazer que isso não estrague a viagem e ainda poder brincar com a situação. Porque com a falta de educação deles em geral posso eu bem.

          Responder
  8. Karla Gê
    13 de agosto de 2012 at 9:17 (5 anos ago)

    oi, Anna!

    Acho que o gosto por uma cidade tem muito a ver com o que vivenciamos por lá. Eu amo Paris, mas entendo seu problema com os franceses. Hj em dia, já passados 5 anos dessa sua triste história, talvez vc devesse dar outra chance à Paris e aos franceses que estão bem mais receptivos em língua não francesa. Só acho que tem certas impressões que não mudam, mesmo que vc volte e até goste da cidade, Paris será sempre marcada na sua memória como uma experiência ruim. Uma pena…eu tbm ousei não gostar de Roma quando estive na Itália (tive uma impressão parecida com a sua: a cidade é bonita, mas havia pouca informação e muito descaso com o turista solo, mas essa foi a Minha impressão), mas ainda pretendo dar uma nova chance à cidade eterna um dia para tentar não detestá-la tanto. Tente o mesmo com a cidade-luz. Quem sabe vc não tem boas experiências por lá que vão ajudar a minimizar a primeira impressão? beijos

    Responder
  9. Carolmay
    13 de agosto de 2012 at 20:23 (5 anos ago)

    Eu amei Paris! Talvez pelo fato de não ter precisado falar com ninguém. Odeio pedir informação, então tinha praticamente decorado ruas, linhas de metrô e tudo, de tanto que pesquisei. Só falava para pedir comida e checkin no hotel. Sempre sorrindo e não esperando nada em troca. Funcionou!! Encontrei alguns franceses que adoravam brasileiros e alguns até me pediram para ensinar palavras em português! Acredita?? Fui em 2010, me disseram que da crise de 2008 para cá, em todos os lugares estão mais receptivos a brasileiros (gastadores!!). Quem sabe você dá mais uma chance?

    Responder
    • Anna
      Anna
      13 de agosto de 2012 at 20:26 (5 anos ago)

      Opa, quem sabe é a hora de ir mesmo!
      Ano que vem talvez eu vá… escolho algumas cidades européias que nnao conheço e ponho Paris no meio.
      Faz tempo que não vou a Europa. O momento está chegando.
      Beijos Carol =)

      Responder
  10. Milena F.
    14 de agosto de 2012 at 19:46 (5 anos ago)

    Entendo perfeitamente, quando não somos bem-tratados fica impossível guardar uma boa recordação. mas o que eu quis dizer é que no primeiro exemplo do (ou da?) Luffi, a tal funcionária no museu nem francesa era… E eu poderia apostar que um atendente em um restaurante/café do Opera tb não era francês, aí está o problema da generalização.
    E sobre o restaurante, para começar imaginoq ue são esseslocais bem turisticos, com péssimo atendimento e comida ruim, posso apostar que se tiver um cliente francês ali é um turista perdido! Mas outro problema do ambiente de restaurante que quem nunca trabalhou não conhece, é quando o serviço já fechou (ou nem abriu) em uma determinada zona do restaurante. Ou seja, quem saiu já deixou tudo limpo e organizado para o dia seguinte ou o serviço seguinte, então eles disponibilizam outras mesas disponiveis, com outros garçons disponíveis. Pode parecer complicado, eu que nunca trabalhei em restaurante não sabia de nada disso antes. Dependendo dos horários mesmo muitos restaurantes fecham o serviço interno e só atendem na terasse, ou vive-versa!!! Mas para ter uma idéia de como a minha experiência é diferente, certa vez eu queria muito jantar em um restaurante que tinham me indicado (era em outra cidade da França), cheguei lá ao meio dia e estava lotado. Tentei reservar para a noite, tudo lotado. A pessoa viu a minha cara de decepção e disse que poderia me conseguir uma mesa para logo após o último serviço, mas claro antes do fechamento da cozinha, então eu teria que chegar pouco antes das 10 para poder fazer o meu pedido, mas que só poderiam disponibilizar uma mesa na terrasse (e faria friozinho). Aceitei, cheguei e estava frio mesmo, mas eles tinham manta e vários acessórios para emprestar aos clientes. eu que não sou nogenta aceitei. o serviço foi ótimo, apesar do restaurante cheio, e ainda me abriram uma exceção… E eu achei muito simpátipo da parte da proprietária de pensar nos seus clientes com todos os acessórios quentinhos!!!

    Responder
  11. Ana Paula Ribeiro
    15 de agosto de 2012 at 23:31 (5 anos ago)

    Olá Anna
    Não tive como não deixar de comentar aqui. Acabei de voltar de Paris e de verdade, quase tudo que você vivenciou eu também vivi na pele. A cidade é de fato muito bonita, só nas fotografias então pra quem ama fotografias vale a pena ir sim. Mas com espírito desbravador e com a certeza de você estará num lugar que com certeza você não gostaria de morar. O metrô é sujo e me senti num país sem regras ,com um monte de pessoas pulando as catracas do metrô como se fosse o fim do mundo.Achei até que alí não tinha leis e nem guardas. Vi ratos no jardim da Torre Eiffel , meu filho achou que era esquilinhos da Disney. Mas ruim mesmo foi a falta de educação da maioria. Sei apenas que passei a amar muito mais o Brasil a partir dessa viagem.

    Responder
  12. Raphaella Perlingeiro
    17 de agosto de 2012 at 2:11 (5 anos ago)

    Eu tenho uma dica para você, caso resolva dar mais uma chance para a cidade das luzes. Paris Visite Pass – vc compra no metro e dura até 5 dias a 30 euros, com passagens ilimitadas (http://www.pariswelcome.net/metro/paris_visite.htm). A outra é que estude francês porque se não… realmente eles não tem saco com quem não fala a língua, mas basta saber o básico. Também sofri muito, dá um ódio! Mas gosto do desafio. Tenho uma relação de amor e ódio com a cultura francesa, mas notei nos últimos anos que eles estão perdendo o medo de falar inglês ( o que até acho que tira um pouco do charme). C’est la vie.

    Responder
  13. Marina
    23 de agosto de 2012 at 19:20 (5 anos ago)

    Nossa nada a ver esse post hein. Você não desgosta Paris, você desgosta os franceses/parisienses. Tudo de ruim aconteceu em conta das pessoas mesquinhas com quem você lidou, infelizmente. Não vi nada de errado com a cidade em si.

    Responder
    • Anna
      Anna
      23 de agosto de 2012 at 21:26 (5 anos ago)

      Sim Marina, foi justamente por isso que eu falei que o fato de eu não gostar da cidade é por conta das pessoas que cruzaram meu caminho, e que sim acho a cidade bonita. Só não consigo amar da forma como muitas pessoas amam.
      As experiências fazem a viagem, e a minha foi péssima, me deixando com uma má impressão.

      Responder
  14. Monique Ribeiro
    18 de setembro de 2012 at 8:27 (5 anos ago)

    haha, me identifiquei com o texto Anna! Acabei de voltar de Paris e minha opinião final é: Não gostei! Não tive problemas com os franceses em si, até foram bem simpáticos comigo, mas não senti nada de especial na cidade, todos os lugares eram extremamente lotados, foi difícil pra caramba ir do aeroporto até meu hostel, passei uns perrengues no RER e quase perdi meu vôo de volta pro Brasil entre outros detalhes…rs. Mas é isso aí, talvez um dia eu dê uma chance pra tentar gostar de lá, mas por enquanto coloquei no final da minha listinha de próximos destinos.rs Beijos

    Responder
  15. Flavia
    16 de outubro de 2012 at 15:27 (5 anos ago)

    Respeito a sua opinião, mas eu amo a França. Estive em Paris por duas vezes e tb visitei todo o sul da frança. Sempre me deparei com franceses educados e gentis. Não fiquei em Hotel. Eu alugo um apartamento, vou ao supermercado, à padarias e assim, acabo por conviver com os verdadeiros franceses e não com as pessoas que trabalham ao redor dos pontos turísticos e que muitas vezes, nem franceses são. Quando fui da primeira vez, estudei os mapas, fiz aulas de francês e um roteiro. Fui preparada e super bem tratada. Paris é linda pra se conhecer a pé. Rodei aquela cidade e não encontrei nada que pudesse me desapontar. Mesmo com o meu francês mais ou menos, todos fizeram esforço pra me entender. Não devemos generlizar e falar mal dos “franceses” em geral. Aliás, criou-se este mito de que francÊs é arrogante aí, algumas pessoas já vão pra lá com esta opinião pré-formada. Basta um não ser tão simpatico, para todos virarem mal-educados. Devemos viajar e nos agregar a cultura do páis, muitas vezes queremos que todos sejam festeiros como os brasileiros e isto não acontece. Em Florença, um garçom mandou eu escolher logo o prato porque ele tinha que trabalhar pode essa??? Eu achei o maior barato, é a cultura dos italinos serem assim, falar alto, rápido, gesticulando. Porque não podemos respeitar a cultura dos franceses?? Só porque eles não são como nós? Será que na Copa do Mundo haverá um bocado de brasileiros falando inglês com os turistas???? Essa eu quero ver. Sou da opinião de que se vc quer conhecer alguma cidade, vc deve estudar sobre ela, sobre o povo, sua cultura e aprender um básico do idioma local, com certeza a experiência será outra.

    Responder
    • Joca
      4 de dezembro de 2014 at 17:54 (3 anos ago)

      Um dos grandes males do brasileiro(?!) é a incapacidade de interpretação textual, o que é o seu caso.
      Moça, a autora do texto não queria um desfile de escola de samba, apenas ser bem conduzida em terras alheias…será que sua beatice não te deixa ver isto?

      Responder
      • ROSELI
        12 de janeiro de 2015 at 11:11 (3 anos ago)

        ADOREI A SUA RESPOSTA PARA A MOÇA ACIMA
        POXA, EU TBM NAO GOSTEI NADA DE PARIS
        NADAAAAAAAAAAA

        Responder
  16. Daniela
    4 de dezembro de 2012 at 17:47 (5 anos ago)

    Ana! Tenho a mesmaaa impressão de Paris! A primeira vez que fui lá, cheguei no metrô e pedi uma informação para o cara que vendia tickets. Ele disse que lá não era local de informação. Falei grossa que queria saber qual era a parada mais perto da rua X dai ele me respondeu de cara feia.
    Todo mundo te trata mal. Parece que quanto mais simples a pessoa é, mais mal-educada também.
    O metrô é bom para quem não precisa carregar mala. A maioria das estações não possuem escada rolante. Mas na minha primeira vez em Paris só uma coisa me fez não perder a fé na humanidade: Estava carregando a minha mala pesada sozinha subindo as escadas do metrô. Uma francesinha com o namorado, super simpática, olhou pra essa situação, olhou para o namorado e começou a brigar com ele, porque ele não estava ajudando a gente…
    Na segunda vez em Paris fiquei mais perto da torre, para garantir. Fui jantar na Champs Elisee e acabamos estendendo até a 1 da manha! Grandeeee erro… Os metrôs fecham e não achamos taxi algum! Tivemos que voltar a pé!!! DEpois de uma hora de caminhada no frio, chegamos no hotel e ele estava trancado… Ninguém la… Ficamos mais uma hora batendo até acordar o recepcionista! Que raiva!!! Para quem está na Europa, melhor maneira de chegar a Paris é de trem.. Gare du Nord está no coração da cidade e tem TGVs de toda a europa. Pegamos um de FRankfurt até la… Chegamos em 3 horas. Mais rápido e barato do que ir até o aeroporto, chegar 2 horas antes, etc. etc. Mas querendo ou não, é a cidade luz e a cidade do amor, não desaconselharia ninguém a conhecer…

    Responder
    • Anna
      Anna
      5 de dezembro de 2012 at 8:12 (5 anos ago)

      Ai Daniiii que erro passar do horário do metrô! Mas isso em quase todas as cidades européias né?
      Milão também era um saco, porque 00h encerrava tudo. Pra voltar da balada era ou esperar até as 7h o metrô voltar, ou ir de táxi… ou tentar descolar uma carona. hahaha

      Era mó drama pós night.

      Besos!

      Responder
  17. Natália
    4 de dezembro de 2012 at 18:53 (5 anos ago)

    Olá, queria deixar minha opinião aqui como alguém que conhece bem a França e os franceses. Achei engraçado o seu comentário sobre o post no facebook dizendo que as pessoas iriam se chocar com o fato de que você não tenha gostado de Paris, pois para mim isso é mais do que natural: todo mundo que eu conheço diz que não gostou de Paris. Eu moro há dois anos na França (não em Paris, porque a França não é Paris, assim como francês não é sinônimo de parisiense) e concordo que muitas vezes a cidade decepciona pelo simples fato de que nenhuma outra cidade no mundo tem um imaginário tão vasto construido em torno dela quanto Paris. As pessoas sempre acham que Paris é a capital do amor, da boa culinária, do romantismo e dos sonhos cor-de-rosa. Aí, quando elas chegam lá: bem-vindas à realidade! Pois afinal Paris é como qualquer outra grande capital europeia, cheia de sujeira, prédios cinzas, pessoas impacientes e clima hostil. Confesso que isso também me chocou da primeira vez que estive lá, mas hoje em dia acho que são poucas as pessoas que conseguem amar Paris pelo que ela é, e que também é algo maravilhoso, mas diferente das projeções fantasiosas de todo mundo: é uma cidade riquíssima em história, em cultura, uma cidade que merece ser descoberta aos poucos a cada dia. Acho que você tem, obviamente, o direito de não ter gostado de Paris (mais do que normal, afinal, tenho a impressão que ninguém gosta de Paris, pelo menos não na primeira visita) mas acho que você tem uma postura bastante agressiva e generalista para alguém que visitou a cidade uma vez por alguns dias há anos atrás. Se você falasse sobre a sujeira e a má vontade dos garçons, eu até entenderia, mas no seu post inteiro você só fala sobre uma má experiência pessoal (sem nenhuma relação com a cidade em si) e que é a coisa mais normal do mundo quando começamos a viajar. Todo mundo se perde nas primeiras viagens, perde voos e passa por situações de estresse; mas, como é Paris a cidade em questão, tenho a impressão que a tendência das pessoas a criticar se multiplica… Também acho bastante curioso alguém que viaja tanto e que supostamente deveria ter uma mente tão aberta agredir tanto os franceses de forma geral, você deveria repensar isso! 1 – Sim, o seu hotel era bem localizado, mas os brasileiros as vezes parecem incapazes de entender que em Paris o seu conceito de bem localizado muda drasticamente, porque NAO EXISTE hotel barato no centro, então bem localizado é aquilo que fica perto de uma parada de metro e que te leva rápido ao centro; 2 – Eu moro aqui há dois anos, e acredite: os franceses realmente não sabem falar inglês. Não é por maldade, mas eles simplesmente não sabem! Eles não aprendem bem na escola e aqui os centros de língua não são tão bem difundidos quanto no Brasil. Aliás, eles podem não te responder sempre com um sorriso no rosto como os brasileiros costumam fazer, mas são pessoas como nós, não são monstros, nem melhores, nem piores; 3 – Eu estou realmente cansada de ver pessoas que passaram uma semana em Paris ditarem veriditos, como você fez, sobre o que é a França e sobre como são os franceses. A França vai muuuuuuuito além de Paris e Paris é um cosmos praticamente isolado da França; é uma cidade internacional, turística, que pouco tem a ver com o que é a França e com a cultura francesa. Não pretendo dar lição de moral a ninguém mas, como conheço bem a França e moro aqui, espero que este comentário te faça repensar um pouquinho a maneira como você se posicionou em relação aos “franceses babacas”. Todo mundo adora criticá-los (não conheço povo mais criticado!) mas poucos são os que sabem do que estão falando…

    Responder
    • Anna
      Anna
      5 de dezembro de 2012 at 8:20 (5 anos ago)

      Oi Natáliaaa!

      Super respeito sua opinião, e claro, morando ai tudo fica mais fácil, afinal tem mais tempo para conhecer tudo.
      Antes de ir a Paris, já conhecia muitas cidades na Europa, então foi O choque de hospitalidade sim, e fiquei com pena dos meus pais, que estavam pela primeira vez na Europa, sem conhecer nada ainda, e sendo tratados assim. Ficaram com a pior das impressões no começo da viagem, já com medo de todo o resto que vinha ainda.

      Eu estudava com franceses na faculdade, e mesmo lá, em outro país (no caso Itália), eles eram os mais anti sociais e nunca se misturavam… o que já passava a impressão do povo. Eu conversava com eles, iam lá em casa, mas nossa, que resistência! Poucos (do grupo todo de amigos) gostavam deles, nada fácil. Cheguei na França e todo mundo igual.
      Nosso hotel era MUITO muito longe, mesmo. Assim… mesmo. Uma relação cidade capital e cidade metropolitana assim. Não foi legal. Sei da relação central-preço, mas acabamos indo muito longe. Tão triste….
      A cidade em si é linda, ainda mais pra quem como eu, gosta de arte. Sei que tenho que conhecer mais coisas lá, coisas não tão turísticas e tal, mas Paris vai sempre para o final da minha lista de viagens, não tem como. =)

      Responder
  18. Paulo
    29 de dezembro de 2012 at 0:13 (5 anos ago)

    Estou em Paris nesse exato momento….acabei de chegar de um período muito bom na Itália e simplesmente não consigo sentir a mesma coisa por Paris. Não fui mal atendido, hotel é bom, blá, blá, blá, mas realmente não curti….vai entender, mas to louco pra pegar um voo e ir pra Londres, aliás to checango isso agora na internet.

    Responder
    • ROSELI
      12 de janeiro de 2015 at 11:20 (3 anos ago)

      Meu Deus, pensei que estivesse louca, eu nao gostar de Paris?
      Pois é, nada a ver comigo, na verdade, acho São Paulo mais elegante
      Pensei que estivesse doida, nao vi nada de interessante em Paris
      Agora vejo que nao sou somente eu, que alivio, estava em sentindo culpada…kkkkk

      Responder
      • Anna
        Anna
        12 de janeiro de 2015 at 11:26 (3 anos ago)

        Bem vinda ao clube Roseli!!

        =D

        Responder
  19. Carlos
    23 de maio de 2013 at 11:25 (4 anos ago)

    Anna,
    Desculpe, mas talvez não tenha sido boa sua experiencia, pois aluguei um apto. fiquei em Paris durante mais de um mês, durante o mes de Julho, que é alta temporada, andei grande partes das ruas de Paris, fui em várias atrações e achei que foi legal…Me sentia como morador, pois tinha
    uma rotina, pegava o metrô todo dia após o almoço e só
    voltava à noitinha e às vezes ainda estava claro…
    Que achas de voltar lá, quando puder com mais calma?

    Parabens pelo blog que nos permite externar
    o que pensamos de Paris e parabéns também pelo design
    do Blog.

    Bjs. e muito sucesso!!!
    Carlos

    Responder
    • Anna
      Anna
      23 de maio de 2013 at 11:51 (4 anos ago)

      Com certeza minha experiência em Paris foi péssima… mas é aquilo, um dia volto e tiro a prova real! hehehe
      Ai volto e conto aqui no blog se mudei minha opinião ou não!

      Obrigada pelo carinho Carlos!
      Até mais!!

      Responder
  20. Daniela
    14 de junho de 2013 at 14:15 (4 anos ago)

    Oi Anna,

    Eu amo Paris e nao consigo entender como alguem nao amaria!! Rsrs…No meu caso, nao fui com expectativas porque eu estava indo pra la de Londres e como tinha amado tanto Londres, eu nao achava possivel eu gostar mais de Paris do que de la…e como tinha escutado historias de horrores dos parisienses, eu realmente nao esperava muita coisa e nos primeiros dois dias eu achei a cidade lindissima mas nao tinha me encantado ate o terceiro dia! Foi a partir do terceiro dia, que eu e meu marido decidimos nao fazer mais NADA turistico e simplesmente nos perdemos na cidade…sem horario ou atracoes para ir…apenas caminhamos, observamos e fizemos o que deu vontade na hora, no momento…ai sim eu me encantei!! Entao o meu conselho para a proxima vez eh esse: se perca! Nao se estresse com horarios e coisas para ver…
    E outra coisa que talvez ajude eh TENTAR falar frances! Eu tambem nao falo, mas chegava falando com as palavrinhas basicas(bonjour Monsieur…come ca va?) e comecava com os sinais e logo ELES comecavam a falar ingles ou se nao sabiam, tentavam me explicar com muita boa vontade com gestos! Isso aconteceu com TODOS que pedi informacoes…Acho que devemos respeitar outras culturas…nao serao como a nossa. Brasileiro ri e eh simpatico, eles sao mais reservados e nao quer dizer que isso seja pior, eh a cultura deles! Nao estou dizendo que voce desrespeitou, mas vai ver , no ponto de vista deles, chegar falando ingles num pais que se fala Frances eh desrespeito…e so para finalizar, eu moro me Miami e tenho um negocio num shopping super turistico e dou gracas a Deus por isso porque eles sao os que gastam mais( :D) MAS eh dificil dar informacao com boa vontade quando mais de 80 pessoas te pedem informacao POR DIA! TODOS OS DIAS! Eh extremamente irritante, principalmente a partir da tarde e eu sei que se voce mora numa cidade turistica, isso eh de se esperar mas nao importa o tanto que voce eh uma boa pessoa, bem educado, nao se irrita facil…nao importa…eh da natureza humana! Voce VAI se irritar e conheco muitas pessoas que dao direcao errada por raiva…eu geralmente so falo “nao sei” quando comeca a ficar insuportavel. Eu queria te dar esse exemplo porque julgamos rapido mas sempre existe os 2 lados da moeda ;)
    Espero que voce de mais uma chance pra essa cidade encantadora!
    Ps: Amei muito mais Paris que Londres no final das contas!

    Responder
  21. Economy Youtube
    1 de março de 2014 at 22:14 (4 anos ago)

    Retrofit Baltimore is holding an Earth Week Energy Meeting on April 22 at the
    Roland economy terms Park Library. 97 percent, from 2. In 2008, it s actually a very low price; but other buyers may
    wonder if they are offering an affiliate program. Orville
    Thompson was first introduced to Scentsy at a home show in Salt Lake City Utah in 2004.

    Responder
  22. roberta
    17 de março de 2014 at 18:56 (4 anos ago)

    Sinceramente quando li seu post imaginei ela dever está louca kkkkkkkk Como alguém não amaria a linda e encantadora Paris…viajem com uma expectativa grande para desmistificar isto e sabe o que deu? VC TEM REZÃO! Não gostei de Paris. 95% das pessoas com que tive contato simplesmente eram extremamente grosseiras e mal educadas. já Londres…ahhhh esta sim é uma bela cidade de pessoas finas e educadas! Paris!?, já mais!

    Responder
    • Anna
      Anna
      18 de março de 2014 at 9:58 (4 anos ago)

      Ahhhh viu só!??!

      Hahaha Londres é bem mais legal, ainda que Paris de fato seja linda. A experiência como um todo molda nossas opiniões nos lugares. Inevitável. =D

      Responder
  23. cesar
    30 de maio de 2014 at 20:11 (3 anos ago)

    Ja gostei mais de Paris. Falo francês fluente mesmo assim prefiro me perder do que perguntar. Sao muito antipaticos para informações de rua. As vezes as estacoes sao longes e as ruas sao octagonais parece um queijo suiço! O metro tem estacoes supercansativa c muitas escadas! Da proxima vez fico no chatellet q tem bastante conexoes.

    Responder
    • Anna
      Anna
      2 de junho de 2014 at 17:28 (3 anos ago)

      Pois é, se você que fala francês sofreu lá… magina eu!!! =(

      Responder
  24. marilda
    14 de junho de 2014 at 21:26 (3 anos ago)

    Estou em Paris há dois dias e ja me sinto em casa.. Nao falo frances e mando mal no ingles. Ando com um mapa. e ja rodei muito pela cidade sem nenhum problema. Eu vim a Paris pela sua historia pelo grande legado cultural que ela representa para a humanidade. Isto me basta.

    Responder
  25. Amanda Moura
    2 de agosto de 2014 at 16:49 (3 anos ago)

    Ôpa, brigada, já nem vou gastar meu dinheiro indo pra essa cidade, até porque eu me vislumbro muito com as coisas, como torres e iluminação de sei lá o quê (só que não), brigada Anna, me fala a cidade que você mais gostou! ;)

    Responder
  26. Fernanda
    24 de setembro de 2014 at 17:51 (3 anos ago)

    Minha curiosidade é? Já voltou lá? Sim, porque eu também não gostei de Paris na primeira vez que lá estive e pude retornar outras vezes (última vez foi junho/14) e, quer saber? Continuo sem gostar!!! Os parisienses melhoraram muito da primeira vez que fui (2006): estão menos antipáticos. Mas como eram muito antipáticos, ainda não chegaram no nível desejado por mim…rsrsrs Hotéis continuam caros e minúsculos, serviço nos restaurantes demorados, dificuldade imensa de organização de filas nas atrações turísticas/eventos, os “pick pockets” nos sujos metrôs, sempre tem uma greve rolando que atrapalha o trânsito…Destaco de positivo Saint Chapelle, Museu Marmotan, L’Orangerie. Louvre e Versailhes só se me conseguirem uma visita particular: vivem lotados e a forma como são organizados geram ainda mais tumulto. Enfim, acho que ainda voltarei lá porque algumas exposições me atraem, mas acho que gostar no sentido da palavra vai ser difícil. E a Normandia me encantou! Um abraço!

    Responder
    • Anna
      Anna
      24 de setembro de 2014 at 19:46 (3 anos ago)

      Oi Fernanda!

      Eu ainda não voltei. Sempre fico com aquele pé atrás e acabo escolhendo outro lugar.
      TO MUITO TRAUMATIZADA MENINA!

      hahaha
      mas eu preciso voltar sim, e tirar essa inhaca. Ou… confirmar que não tem jeito mesmo. haha

      Beijos!

      Responder
  27. Sofia
    4 de novembro de 2014 at 19:03 (3 anos ago)

    Oi Anna! Pra começar, queria dizer que curto muito o blog aqui e montei meu roteiro de viagem pela Itália pro próximo Natal com sua ajuda. Obrigada! haha
    Mas o que eu queria dizer mesmo é sobre os franceses. Eu moro em Strasbourg, na divisa com a Alemanha, e as coisas aqui são um pouco diferentes. Todos os ‘atendentes’ são realmente muito simpáticos, até sorridentes, seja nos restaurantes, supermercados, pontos turísticos. Essa regra do bonjour é muito séria para eles, no entanto. Fecham a cara mesmo se você não diz ou não retribui.
    Mas o mais interessante para mim foi que vim pra cá nessa imagem de que francês não fala inglês. De fato, muitos não falam mesmo. Vi aqui uma funcionária da Sephora que foi tentar atender uma moça em francês. Ela não falava inglês e a moça não falava francês, então a funcionária foi buscar outro atendente que falasse pra moça poder ser atendida. Sei la, achei uma graça. E as pessoas sempre tiveram paciência comigo nos lugares, quando eu paro pra pensar, não sei o nome de alguma coisa. Fora isso, tenho um amigo que não fala quase nada de francês, e os colegas de grupo dele da faculdade super topam falar em inglês com ele numa boa, mesmo que ele tenha dito que eles podem conversar em francês que ele entende, ainda que responda em inglês. Por outro lado, comigo ninguém fala absolutamente (nem em francês, nem em inglês), ainda que todos saibam que eu sou estrangeira e, portanto, gostaria de uns coleguinhas pra ajudar nas burocracias da faculdade. Acho que a resposta pra isso é que existe gente gentil e simpática, e também gente indiferente, em qualquer lugar do mundo.
    Passei só um fim de semana em Paris por enquanto e também fui mal atendida em alguns lugares (no guarda-volume do Musée d’Orsay também, por exemplo). Mas eu amei a cidade, mesmo percebendo a diferença do atendimento daqui de Strasbourg pro de Paris. É uma grande cidade com todas as mazelas que ela sempre têm, sim, mas senti um clima por la que nunca vi. E sobre inglês, gente, os parisienses mudaram! Parece inacreditável, mas eles me responderam em inglês, todos, mesmo que eu fale francês com eles, por terem percebido que não sou francesa. É até ligeiramente desconfortável.
    Acho que se você tomar coragem de voltar, precisa mesmo pesquisar mapas e deslocamentos com antecedência. Mas sério, aposta num “bonjour, je ne parle pas français, may I speak in english?” que eu acho que vai dar tudo certo.
    (:

    Responder
    • Anna
      Anna
      5 de novembro de 2014 at 9:18 (3 anos ago)

      Oi Sofia!

      Obrigada por compartilhar sua história aqui comigo.
      É, eu preciso mesmo tomar vergonha e coragem na cara e tentar ir novamente né?

      Ai jesus, dá até frio na barriga! haha

      Beijão querida!!

      Responder
  28. Flávia Peixoto
    26 de novembro de 2014 at 20:43 (3 anos ago)

    menina.. adorei tb ler isso.. te falei que os blogs sinceros me conquistam.. me apaixono.. <3 lembrei do meu post sobre Paris proibida para menores.. sabe arrependimento ? pois é.. nunca tinha tido em viagens, tive em Paris com as meninas.. parecia que eu estava com lepra, ninguem me atendia, ninguem me dava atenção nos restaurantes.. mas eu só estava com 2 bebês. Mas Paris eu tenho uma descupa pra gostar.. a cidade é linda.. mas o povo de lá é nojento.. de todas as formas possíveis.. Jamais vou esquecer uma mulher com 3 camadas de maquiagem no metrô, tipo, 3 dias sem banho..kkkk beijos!

    Responder
    • Anna
      Anna
      27 de novembro de 2014 at 7:58 (3 anos ago)

      HAHAHAHA Adorei o “parecia que estava com lepra”.
      É bem essa sensação mesmo. Pelo menos foi assim comigo =(

      Responder
  29. Suzana
    14 de janeiro de 2015 at 9:57 (3 anos ago)

    Oi Anna, conheci seu blog agora, estou adorando. Gosto realmente não se discute, e também conheço pessoas que não gostam de Paris, e por isso ao planejar a viagem eu só queria ficar 2 dias por lá. Enfim, ficamos 4 dias, e voltamos deslumbrados (rsss). Antes ficamos 6 dias na Provance, e adoramos os franceses de lá, muito simpáticos e prestativos, pacientes que só. Em Paris é tudo mais automático, claro, mas sempre fomos bem atendidos, e o povo falando inglês conosco, sem problemas. Esta viagem foi em 2013, e somos loucos para voltar. Dá uma segunda chance para os coitados (rss). Abraço.

    Responder
    • Anna
      Anna
      14 de janeiro de 2015 at 11:40 (3 anos ago)

      Aiiiinnn vcs tão me deixando com vontade de voltar mesmo.
      Frio na barrigaaa!

      Bom que deu tudo super certo contigo Suzana!! =D

      Responder
  30. Aline
    5 de maio de 2015 at 18:06 (2 anos ago)

    Olá Ana!
    Eu fui a Paris pela primeira vez em 2011 para a minha lua de mel e odiei. Sério, odiei tudo, a comida, as pessoas, a cidade… Tanto é que o ultimo dia passamos no hotel esperando a hora de ir ao aeroporto.Prometi a mim mesma que se um dia voltasse a Europa, Paris passaria bem longe do meu roteiro. Pois bem, ano passado resolvemos ir novamente a Europa e influenciada pelo meu marido que diz que sempre devemos dar uma segunda chance aos lugares e as pessoas, incluímos Paris no roteiro. Dessa vez colocamos apenas 4 dias para a cidade luz e o sacrifício não parecia ser tão grande. Pois bem, dessa vez pesquisei bem sobre a cidade, escolhemos bons restaurantes que coubesse no nosso bolso, e, como da primeira vez já tínhamos ido nos programas ditos “obrigatórios”, fizemos aquilo que estávamos afim, sem pressa, sem aperreios. E… amei Paris! Fui embora querendo voltar e quando tiver uma chance de voltar a Europa Paris estará novamente no roteiro.

    Responder
    • Anna
      Anna
      6 de maio de 2015 at 8:32 (2 anos ago)

      Legal Aline!
      Bom que você voltou e conseguiu mudar de opinião.
      Eu ainda estou nesse impasse de vou-não vou.
      TO SOFRENDO. haha

      Responder
  31. Flavia
    7 de julho de 2015 at 13:59 (2 anos ago)

    Ola ,
    Estou neste exato momento em Paris, dentro do meu quarto de hotel, navegando no google para entender melhor os franceses! Ontem fui no Museu do Louvre e eu e minha filha de 9 anos fomos ao banheiro que paga 0, 70. Ate ai tudo bem, quando sai do banheiro eu errei a saída, o staff que trabalha la, ele GRITOU na minha orelha!!!! ELE GRITOU MESMO!!! Sabe aqueles 2 segundos que você pensa se e com você.. foi comigo!! Quando caiu a ficha que realmente ele gritou e ainda fez com a mao um sinal que eu era cega… menino… Vou dizer uma coisa… NUNCA mais eu volto pra ca! Já tínhamos notado o mal humor deles , fomos em restaurantes e fomos mal atendindos, pedimos informacoes eles não davam e se davam falavam errado, fazem chek-in no hotel com cara de coco, fomos para Euro Disney um péssimo atendimento. Resumindo e infelizmente eu ainda tenho mais 5 dias aqui…. Se você tem a oportunidade de viajar, vai para países que gostem e respeitem os turistas. Se todo mundo deixar de ir a Paris, vais ser uma bola de neve … acaba a cidade, emprego, orgulho, cara feia, …talvez comecem a ver nos turistas com outros olhos. PARIS NUNCA MAIS!!! NAO VENHAM PARA PARIS!! PARIS NUNCA MAIS!! NAO VENHAM PARA PARIS!!!

    Responder
  32. Magguie
    12 de julho de 2015 at 20:06 (2 anos ago)

    Acabei de chegar de Paris e quando fui nem sabia que os parisienses tinham essa fama toda. Foi a minha (má) experiência que me fez pesquisar e descobrir este blog. Achava que o problema era eu, mas não. Sou portuguesa, falo francês relativamente bem e trato as pessoas com a máxima cordialidade, mas isso não impediu de ser mal tratada por várias vezes. No hotel (caríssimo) desligavam o ar condicionado a meio da noite e quando dissemos que havia uma avaria fizeram cara feia (e continuou desligado nas noites seguintes). Ainda no hotel ao pequeno almoço (25€ por pessoa) sentaram-me no meio de uma família com uma criança (mesmo no meio, entre o marido e a mulher eheh), quando havia várias mesas vazias. No metro a funcionária tentou “matar-me com o olhar” quando pedi uma indicação. Numa farmácia mto famosa, estava a experimentar um creme e uma empregada disse-me em francês “agora vais levar o creme”, mostrei-lhe que era um tester e em vez de dizer ok, ainda respondeu que mesmo assim não tinha nada que mexer! Azar dela que percebo francês…Tinha o meu cesto com vários produtos mas já nem comprei nada. Saí de lá super nervosa.No supermercado a empregada do caixa olhou para mim como se tivesse lepra e o mesmo se passou num quiosque. Nos restaurantes eramos invisíveis. Para mais, o metro cheira muito mal a esgoto, as escadas rolantes estão todas paradas e o fedor das pessoas é inqualificável. Resultado, antecipei o voo de partida 2 dias pois já não aguentava mais. Sinceramente não recomendo Paris. Comparado com as cidades onde já estive (Londres, Madrid, Cracóvia, Roma, Rio etc), foi a única que me dececionou e não tenciono voltar.

    Responder
    • Anna
      Anna
      13 de julho de 2015 at 8:40 (2 anos ago)

      Que triste Magguie!

      É muito ruim né, quando somos mal tratados. Tipo, estamos levando dinheiro pra eles. Se não querem lidar com estrangeiros, então não abram um estabelecimento turístico, certo?

      Beijos!

      Responder
  33. Vanessa
    1 de setembro de 2015 at 10:50 (2 anos ago)

    Eu acabei de voltar… Sempre quis ir para lá, até cheguei a fazer 2 anos de francês, mas gente, q decepção…. não volto p lá nunca mais, detestei..
    cheio de imigrante, vc n tem paz!
    Fiquei 5 dias lá…

    Responder
  34. Natasha
    7 de fevereiro de 2016 at 16:41 (2 anos ago)

    “– Eu estou realmente cansada de ver pessoas que passaram uma semana em Paris ditarem veriditos, como você fez, sobre o que é a França e sobre como são os franceses.” simples assim

    Responder
  35. Gabi Moniz
    15 de junho de 2016 at 19:51 (1 ano ago)

    Acho que sou a única aqui que amo Paris rss
    Estive 4 vezes na cidade e voltarei quantas vezes puder. Nunca passei perrengue ou fui mal atendida pelos parisienses. Pelo contrário! Sempre fui muito bem tratada por lá. Claro que gostar ou não de uma cidade é algo muito pessoal. Mas Paris, para mim, é a melhor cidade do mundo! Só tenho momentos bons naquela cidade ;)

    Responder
    • Anna
      Anna
      16 de junho de 2016 at 8:14 (1 ano ago)

      Que bom Gabi!
      Pelo menos pra alguém né? hahaha
      Beijos!!

      Responder
  36. Gláucia
    1 de maio de 2017 at 20:06 (6 meses ago)

    Adorei Paris da primeira vez que estive lá e na segunda fui conhecer Aix en Provence, Avignon, Blois, e rever a cidade Luz, claro! Adoro a França, fui bem tratada e sempre que necessitava de ajuda tive sorte de encontrar pessoas simpáticas, claro, em todo lugar há gente mal humorada e o que não devemos fazer é generalizar. Concordo com o Pedro Antunes, um mapa e saber localizar-se em território estranho é fundamental.

    Responder
  37. Tete
    16 de outubro de 2017 at 0:01 (4 dias ago)

    Nossa, pois eu já morei em Paris na década de 90, voltei lá algumas vezes com o marido e filhas e acho aquela cidade meu segundo lar. Amo a França. E depois de Paris, Sevilha. Meus lares no exterior.

    Responder

Leave a Reply