Eu não posso ser blogueira de moda

Quando a gente resolveu mudar um pouco as coisas aqui no blog, eu pensei muito, muitão mesmo sobre o que eu poderia escrever. Foram pouquíssimas (tipo 4 ou 5) pessoas para quem contei da mudança e todas falaram “vão escrever o quê? vão ser blogueiras de moda? risos.”

E bom, eu fiquei pensando nisso também e falar de moda realmente era algo que eu não faria por dezenas de motivos, tais quais: eu não uso roupa de marca, eu tenho vergoinha de tirar foto na rua, eu não sou cool e não sei montar looks descoladíssimos, eu não assisto os desfiles das grandes grifes e nem participo desses eventos. (e quando digo eu, quero dizer eu e a Mari, porque as duas são assim)

Mas como eu comentei, pensei muito mesmo em todas essas coisas, e no fim comecei a refletir mesmo sobre os motivos citados acima e no real fato de que “por quê diabos eu não posso ser blogueira de moda mesmo?”.

1. Eu não uso roupa de marca

Não, eu não uso. Ok, não vou generalizar, eu até tenho tipo umas 5 peças de marca no meu guarda roupa, marcas um pouco mais acessíveis como Calvin Klein e Armani, compradas em Outlet, haha. (na real tô mentindo porque tenho coisa Armani que comprei na loja normal, quando o dólar não custava R$ 4 e eu simplesmente fechei o olho naquele momento e não quis converter. Aquele momentinho loucura, sabem?)

Eu não uso Prada, Yves, Gucci e Versace (que eu amo totalmente). Nem Dolce & Gabbana e nem Chanel. Eu não tenho uma quantidade absurda de dinheiro pra poder pagar por elas. Tá que existe aquela coisa chamada prioridade, gente que deixa de fazer x ou y coisas pra poder comprar tais marcas. Gente que mesmo não sendo bilionária pra gastar com isso, dá um jeito de ter esse lifestyle. Bom, não é o meu estilo.

blogueira de modaVersace ♥

Além de não ter dinheiro pra isso, pasmem, eu já trabalhei com moda durante alguns (mais de 5) anos. Já fiz vários cursos e inclusive parte da minha faculdade em Milão foi em moda, e gente, custos. É claro que em qualquer segmento que envolva criatividade, existe uma coisa chamada “valor”, que é totalmente diferente de “custo”. É também muito claro que, para qualquer grande marca soberana hoje em dia, é o valor que conta acima de tudo. Mas gente, é assustador ter acesso à essas contas. É assustador ver quanto custa o material, a mão de obra e a distribuição, e o preço final. Se eu já não tinha o dinheiro necessário pra isso, depois que vi a coisa toda de dentro pra fora, comecei a avaliar ainda melhor as minhas compras.

blogueira de moda

Mas se 98% (tô chutando em exagero, não sei se é essa proporção mesmo) da população não tem acesso às marcas, se muito mais da metade pensa no custo e não possuem peças de grife no armário… tá estranho isso aí. Eu não posso ser blogueira de moda porque eu não faço parte dos 2% das pessoas que tem acesso à essas marcas ?

Por quê a gente não pode falar de uma moda acessível, de um jeito fácil e econômico de se vestir, de uma forma de estar confortável no dia a dia real? Engraçado como a gente já foi pré julgada pra falar de moda só porque não usamos as roupas mais descoladas do momento. Moda é pra todos, moda é seu dia a dia, moda não é só Chanel. Moda é a roupa que você coloca pra ir trabalhar, pra viver na correria de fazer muitas coisas durante o dia, pra ter sua rotina semanal. E na boa, me parece bem estranho eu não poder falar sobre isso.

2. Eu tenho vergoinha para as fotos

Esse é um caso bem particular, um problema meu. Eu não me importo de tirar fotos, até gosto na real. Mas eu confesso que tenho muita vergonha de parar no meio da rua e pagar de modelo, coisa que não sou.

Não estou julgando quem faça fotos assim, pelo contrário, acho ótimo esse desprendimento, essa desenvoltura toda com a câmera. Mas não é pra mim. Eu não sei fazer caras e bocas, inclusive isso é algo que tenho trabalhado muito com a dança, porque preciso expressar os sentimentos com o corpo todo e estou justamente na fase de transmitir a dança também com a expressão facial. Me sinto apenas uma pata desengonçada tentando atuar, hahaha. É muito difícil pra mim. Tipo, não sei usar minha cara, basicamente.

Mas enfim, ter vergonha é normal, principalmente nesse mundo que vivemos atualmente em que todos somos julgados por tudo. Principalmente porque com um blog a gente, mesmo sem querer, põe a cara a tapa nas redes sociais, com aquela busca implacável por gente curtindo e amando e odiando e seguindo e não seguindo mais você.

blogueira de modaSou muito básica: preto e branco, All Star e muito molejo #sqn nas fotos. Porém quem se importa? Da esquerda pra direita eu estava em: Alberobello, Capri e Lecce. 

Eu tenho vergonha de postar muitas fotos aqui e ali, já com aquilo de “o quê vão falar? ai meudeus ninguém vai curtir isso.” Mas no fim, ninguém é modelo aqui. Quem curte ou descurte minhas fotos também não é modelo, é gente como a gente, tendo uma vida normal como a nossa.

3. Eu não sou cool e não monto looks descoladíssimos

Não eu não sou cool. Não faço os looks mais diferentões da vida, não sou ousada nesse quesito (e em nenhum outro, basicamente), não misturo estampas, não misturo peças icônicas, não nada. Pelo contrário, eu sou muito básica. Sou muito fã de jeans com camiseta e All Star. Aliás, eu amo meu tênis. É tão confortavelzinho. ♥

c98f3b3652b74c2a1f2ab9a7d1946849

Eu também sou bem friorenta e quase sempre estou de casaco, o que já dá uma limitada aí nos looks ousados, já limita o uso de pulseiras descoladíssimas, por exemplo. Aliás, eu trabalho o dia todo no computador, usando o mouse. Pulseira: não dá. É pra chegar e pra sair só, porque me atrapalha muito. Anel é outra coisa que me atrapalha também, fica me incomodando.

Saltão? Só pra sair a noite. E os mais altos só uso pra ir jantar, porque sei que ficarei sentada. Esse é outro probleminha, meus pés machucam muito facilmente. Tenho uma limitação meio grande com sapatos porque sapatilhas me incomodam atrás, sandálias na frente. Tô bem nisso. Posso viver de pantufa já?

Enfim, a coisa é que eu, assim como quase todo mundo, trabalho loucamente o dia todo, fico de pé pra lá e pra cá, uso as mãos o tempo todo, chego no trabalho às 8h e volto pra casa às 22h numa maratona diária. Pra mim, não rola usar roupa de balada, saltão, maquiagem pesada e vir toda emperequetada pro trabalho. É aquela coisa, 2h depois já me arrependi de escolhas ousadas.

blogueira de modaÓ lá, preto, branco, jeans, cinza, tênis. Ok, o vermelho é minha cor mais ousada.

Eu sou como todo mundo, uso roupa básica, mais simples, confortável e prática. Meu dia a dia já é muito corrido, cheio e cansativo pra eu ainda ter que me preocupar com o sapato do momento me machucando. Quem sabe eu posso falar de roupa para um dia a dia como o meu, como se arrumar rápido (eu sou phd nisso, serião), agilizar sua vida e usar coisas confortáveis. Quem sabe eu possa falar dos moletons mais confortáveis da estação, ué! Por que não? Isso não é moda também? Moda prática que aderi faz tempo.

4. Eu não assisto aos desfiles e últimos lançamentos 

Eu tento, juro que tento. Quando tenho um tempo livre no escritório, quando eu não estou vendo seriado ou dançando eu tento dar uma olhada nos desfiles. Eu juro que entro em blogs/sites de moda e tento me atualizar, mas tudo muda tão rápido que eu estou sempre atrasada. Esse é realmente um mundo muito louco, o que antes mudava de 6 em 6 meses, hoje é quinzenal quase. É impressionante, mas toda semana tem uma novidade, toda semana tem um “must have” que pra falar a verdade eu não “must have” não.

Não sei, pode ser que eu esteja ficando realmente velha ou até mesmo extremamente preguiçosa, mas não consigo me atualizar tanto e tão rápido. Não consigo, simplesmente.

O que eu consigo fazer muito bem é usar a mesma roupa por mais de 10 anos. Ahhh eu faço bem isso. Taí uma boa coisa em ter esse estilo meio básico, viu? Economia. Eu escolho sempre coisas mais básicas, neutras, cores que combinam com muitas outras (aquele grupo padrão preto, cinza, branco e azul que não tem erro jamais) e no fim, minhas roupas duram eternidades.

Sem brincadeira, eu tenho uma calça jeans que comprei quando tinha 15 anos! (Pra constar, esse mês eu faço 30.) Mês passado eu tirei do armário uma blusa que comprei com 12 anos. Do-ze!! E ela estava bem boa ainda, mesmo sendo da Renner, que todo mundo fala que é roupa ruim. Eu só tirei ela do armário porque sabe quando bate aquele sentimento “acho que deu já”? Então, foi isso. Senão eu continuaria usando.

modaE de novo: preto, branco, azul e vermelho em eterna repetição pra mim. E na foto do meio a calça de 15 anos já. Ah e o All Star, claro.

No fim, eu comecei pensando que não, eu não poderia escrever de moda aqui porque motivos 1, 2, 3 e 4. Mas também pelos mesmos motivos, talvez eu pudesse sim falar de moda aqui. Nada me impede, porque afinal, tudo o que usamos na vida é moda. Aliás, esses dias vi esse link com tweets ótimos da Oficina do Estilo, e vários deles ó… realidade.

O que quero dizer é que talvez a gente escreva sobre moda aqui sim. A nossa moda, o nosso conforto, a nossa forma de se vestir pra um dia a dia corrido. E seria interessante refletir sobre isso antes de julgar a gente – que não é cool e nem usa roupa de marca – falando de moda.

Comentários

comments

2 Comments on Eu não posso ser blogueira de moda

  1. Gabi
    15 de outubro de 2015 at 9:22 (3 anos ago)

    Ana, acho moda um conceito muito abrangente. Essa de “não consumo marcas”, “não vejo desfiles”, não significa que você 1- não goste de moda; 2- não esteja na moda; 3- não saiba falar sobre moda. Primeiro por tudo o que você mesma disse aí no post. E outra porque moda é justamente saber se comunicar com o mundo através da sua imagem, seja ela qual for. Básica, prática, etc. Inclusive, vê-se por aí mta blogueira premium cheia de marcas, vestindo dezenas de milhares de reais num look, e do meu ponto de vista, entendem zero de moda. Não passam mensagem nenhuma além de que tem dinheiro pra comprar marcas. Não tem identidade, não tem estilo próprio. Acho sim que todo mundo que se importa com o que veste, seja coisa cara, barata, básica ou over, tem condições de falar sobre moda. Go for it, girls!

    Responder
    • Anna
      Anna
      15 de outubro de 2015 at 9:55 (3 anos ago)

      Não é, Gabi?

      Também pensei nisso tudo e realmente não faz sentido a gente não poder falar de algo que usa todo dia. =D
      Concordo total com o lance das blogueiras vestindo marcas e bem… já sabemos.

      Beijos!!

      Responder

Leave a Reply