#Fail: Visto Austríaco

Quando eu resolvi participar do programa de intercâmbio IAESTE, eu sabia que dependendo da quantidade de tempo que eu ficasse no país de destino seria necessário tirar visto, mas durante o processo seletivo acabei escolhendo ir trabalhar na Áustria, mais precisamente em Viena, e ficaria lá apenas dois meses.

Quando recebi a lista de documentos necessários para finalizar o processo, fiquei feliz porque não precisaria tirar o visto. Vamos combinar que tirar visto é uma coisa muito chata! Com a notícia, dei continuidade tranquilamente no processo, juntei os documentos, mandei pra Áustria, fiz diversos contatos com eles e quando recebi a confirmação que já estava tudo certo, comprei a minha passagem. Aparentemente agora era só esperar o grande dia tranquilamente.

Nesse meio tempo, agendei minha entrevista em São Paulo para tirar o visto para os EUA, pois seguiria para Nova Iorque direto de Viena, mas consegui agendar a entrevista apenas para duas semanas antes da data da minha viagem. Até aí tudo bem, pois daria tempo suficiente de ir até São Paulo tirar o meu visto e o passaporte, que eles enviam pelo correio, chegaria em Curitiba a tempo da minha viagem. Um pouco arriscado, pois meu passaporte poderia ser extraviado ou a entrega poderia atrasar, mas mesmo assim resolvi esquecer que a Lei de Murphy existe e fui.

Voltei para Curitiba e continuei organizando as coisas da viagem tranquilamente até o dia que recebi um e-mail do escritório da IAESTE da Áustria falando que havia sido aprovada naquele dia alguma alteração no esquema dos vistos e que para eu trabalhar no país eu precisaria do visto! Tive uns 10 tipos de surtos. Faltavam 7 dias para a minha viagem e eu não tinha o passaporte em mãos, pois ele chegaria em uma quinta-feira e a minha viagem seria no sábado!

Joguei o e-mail no tradutor do Google, li 500 vezes, perguntei para outras pessoas se eu realmente tinha lido e entendido aquilo certo e não teve jeito… era isso mesmo. Eu teria que tirar o visto.

Fui correndo pessoalmente no consulado da Áustria aqui em Curitiba e cheguei lá quase chorando e contando minha triste história. Primeiramente fui orientada a trocar a data da viagem, mas para isso eu teria que gastar milhões e eu já tinha gastado muito dinheiro com a viagem, então eu não tinha como fazer isso.

Eis que surge uma luz no fim do túnel. Lá no consulado mesmo eles fizeram algumas ligações e então me falaram que eu poderia juntar toda a documentação e quando o meu passaporte chegasse era só ir pra Brasília e pegar meu visto. Veja bem: meu passaporte chegaria na quinta, eu teria que ir pra Brasília e voltar na sexta para estar aqui em Curitiba no sábado de manhã pronta para viajar de novo. Se essa era a solução, foi o que eu decidi fazer.

Voltei para casa e comecei a procurar passagens pra Brasília compulsivamente. Passagens aéreas pra Brasília são caras até se compradas antecipadamente, agora imagine em cima da hora. A essa altura do campeonato, já estava pensando em desistir de tudo e achando que aquilo tinha acontecido pra me dizer que eu não deveria ir.

Liguei para a embaixada dos EUA para pedir agilidade no meu passaporte, liguei para a embaixada em Brasília, liguei para todo mundo implorando para que alguém me ajudasse. E nada! Quando eu já estava no parapeito da janela da minha casa (que só tem um pavimento), pronta para pular…. o telefone tocou. Era do consulado daqui pedindo para que eu fosse até lá com todos os meus documentos.

Sensibilizados com a minha falta de sorte, resolveram me ajudar a emitir o visto mesmo sem o passaporte! Enviamos os documentos para Brasília, a embaixada emitiu o meu visto e mandou de volta para o consulado aqui. Quando meu passaporte chegou eu levei ao consulado, eles verificaram a autenticidade, colaram a etiqueta na hora e mandaram uma cópia pra Brasília, provando que era verdade a minha história que o passaporte estava no poder da embaixada dos EUA.

Ufa! Finalmente eu tinha meu passaporte com todos os vistos que precisava em mãos e faltavam menos de 24h para a minha viagem.

Sério, eles foram muito legais comigo! O que eu aprendi com isso tudo? Que por mais que você faça um bom planejamento, algumas coisas sempre podem fugir do controle e nem sempre vai ser culpa sua. E, como eu sempre digo, o que importa é que no final dá tudo certo.

Comentários

comments

Leave a Reply