O que fazer em Manaus: nadar com o boto cor de rosa

Como se já não bastasse em um único dia visitar o Museu do Seringal e aprender a fazer borracha e a visita à tribo indígena, ainda tivemos a parada para nadar com o boto cor de rosa, típico da região e lenda brasileira. Se esse dia não foi o melhor da vida, eu não sei o que foi.

Saindo da tribo, a gente fez uma paradinha pro almoço na vila de São Thomé à margem do Rio Negro e depois seguimos para o lago Acajatuba para nadar com os botos. O local é uma casa flutuante e em uma das pontas tem tipo um deck submerso. Isso porque o Rio Negro é absurdamente fundo, então é melhor prevenir.

Começa que a água é uma delícia, ok? Morninha, muito agradável. A coisa é que você não vê um palmo abaixo, é bem negro mesmo. Ali ficam alguns instrutores que te ajudam a descer para ficar no deck. A água vem mais ou menos no tórax assim, bem tranquilo. Só tem que ficar atento com o limite do deck pra não “cair” ali. Também ninguém vai morrer né, é só um susto mesmo.

Ali os instrutores chamam os botos com peixes, comidinha. Quando eles vem perto para pegar a comida, o instrutor segura sua mão e leva até o boto, pra gente passar a mão. Que-sensação! O boto cor de rosa é sim bem cor de rosa mesmo, é dócil e tem uma pele muito molinha (todos devem ter né, mas só passei a mão no rosa haha).

botos cor de rosa

Aliás, antes de entrar na água eles pedem que a gente tire todo e qualquer creme do corpo. Protetor, repelente… essas coisas poluem um pouco a água e como passamos a mão no boto, é melhor evitar que eles tenham contato com esses produtos.

A gente ficou muito tempo lá, foi lindo. Dá pra tirar foto a vontade, a coisa é que é difícil conseguir pegar o boto bem na hora que ele pula ou sobe. Eu postei um video no nosso Instagram (oi, segue lá!) de uma hora que o boto sai bem da água.

botos cor de rosa

É a coisa mais linda, e os botos ficam livres no Rio Negro, não é cativeiro. Até por isso as vezes eles demoram pra vir e não tem uma quantidade exata de botos. Pode ser que seja só um ou sei lá, 8. Não precisa ficar com medo, eles não atacam e o passeio não é corrido do tipo “meu deus não vai dar tempo de eu conseguir passar a mão”.

Essa parada para nadar com o boto cor de rosa foi a última do passeio Belezas do Rio Negro que fizemos com a Amazon Explorers. Nesse dia você faz 7h de passeio, tudo em lancha e estão inclusas a visita ao museu do seringal, à tribo indígena, à vila de São Thomé com almoço, essa visita dos botos e todo o traslado. Vale a pena? Absolutamente!!

rio negro

Comentários

comments

5 Comments on O que fazer em Manaus: nadar com o boto cor de rosa

    • Anna
      Anna
      14 de setembro de 2015 at 9:50 (2 anos ago)

      Olá Raquel.
      Esse passeio está incluso no passeio “Belezas do Rio Negro”.
      Na época custava cerca de R$ 200 tudo, mas é preciso ver se não houve alteração de preços.

      Você pode entrar em contato com a Amazon Explorers e falar que viu no blog sobre o passeio.
      Beijos!

      Responder
      • Gabriel
        10 de dezembro de 2015 at 21:53 (2 anos ago)

        Olá me falaram que é proibido hoje dar comida e nadar com eles… essa lei já existe ou é apenas um boato? Parabéns pelo blog.

        Responder
        • Anna
          Anna
          11 de dezembro de 2015 at 10:25 (2 anos ago)

          Olá Gabriel.

          Não sei te informar sobre leis.
          Nós só nadamos perto deles, com supervisão de gente autorizada.
          Comida não pode dar mesmo.

          Responder
  1. Raquel Baldaia
    11 de setembro de 2015 at 19:02 (2 anos ago)

    Que fantástico!!!

    Quanto custou esse tour?

    Responder

Leave a Reply