Festas: Noite porteña por Débora Garcia

Hoje quem vem escrever mais um pouco sobre Buenos Aires aqui no blog é a Débora do Revista de Viagem. Ela contou sobre a noite porteña que pegou lá na cidade querida. Vem curtir!

———————————– X ———————————–

Assim como a maioria das grandes cidades espalhadas pelo mundo, Buenos Aires não dorme. Os boliches, como são chamadas as boates porteñas, funcionam de segunda a segunda com casa cheia até de manhã.

Em minhas visitas a cidade, conheci três discotecas que recomendo de olhos fechados. Cada uma delas tem uma característica especial e atende um público diferente. Os preços também variam mas, no final, a diversão é garantida em todas elas.

Como sempre, eu estava hospedada no albergue Milhouse Avenue. Lá rola uma pré-night até meia-noite e depois todos partem juntos para a boate escolhida. Eles também vendem o ingresso antecipadamente, incluindo o “fura-fila” ou transporte em mini-ônibus na ida.

A única dificuldade que tive foi na volta. Os taxistas simplesmente se recusavam a nos levar de volta ao hostel. Até hoje não sei o porquê. Se você fez amizade com algum taxista (difícil, mas possível de acontecer), combine algo com ele. Você também pode se aventurar na caça ao táxi ou voltar andando ao local onde estiver hospedado.

Importante também reforçar que, apesar da lei anti-fumo nacional, a galera fuma dentro das boates então se você se incomoda com fumaça de cigarro, talvez seja melhor buscar um local mais aberto talvez com varandas.

Club Bahrein

Fui ao Bahrein em uma terça-feira e foi uma das melhores baladas que eu já fui. O lugar é super pequeno (mesmo!), com teto baixo e sem janelas. O fato de estar no subsolo de um prédio já dá aquela ideia de underground.

A informação no site é de que a ocupação máxima é de 500 pessoas. Eu não consigo imaginar mais de 200 pessoas ali dentro mas enfim… Quando fui não estava lotado, alguns brasileiros do albergue também estavam lá mas havia muitos argentinos também.

A música foi um caso à parte. Toda terça rola só Drum’n’bass a noite toda. Um sonho! Nada de reggaetón, zouk ou salsa.

Dica: No site oficial, você pode se inscrever para receber descontos e entrar de graça.

Endereço: Lavalle 345 – Centro

Kika Club

Kika Club tem uma estrutura muito boa. São dois ambientes bem grandes, um tocando música eletrônica e outro tocando música local. A galera presente também se divide pelos estilos. Os gringos e brasileiros lotam a pista que toca mais música internacional enquanto os argentinos se esbaldam com os ritmos locais.

Dica: O banheiro feminino é muito pequeno então se antecipe à sua necessidade.

Endereço: Honduras 5339 – Palermo Soho

Crobar

Crobar poderia muito bem estar localizada em Ibiza ou em São Paulo. Não há nada que lembre que estamos em Buenos Aires, a não ser algumas pessoas falando espanhol aqui e acolá. A casa é gigante com vários níveis e uma área VIP muito legal.

No dia em que visitei essa boate, descobrimos que a pulseirinha do albergue era da mesma cor da pulseirinha da área VIP. Resultado: todos nós entramos de graça nessa área super reservada! Adorei!

De acordo com o site oficial, a lotação é de 2300 pessoas. Haja gente para encher essa casa noturna, viu! A Crobar só abre às sextas e sábados e talvez por isso fique lotada. A música é excelente, só eletrônico internacional. Os drinks são um pouco caro mas nada absurdo. Além de vários sofás espalhados por todo canto, há também 2 bares bem grandes.

Dica: A entrada só é permitida aos maiores de 21 anos. Leve sua identidade.

Endereço: Marcelo Freyre, s/no. – Palermo

Espero que vocês curtam essas baladas tanto quanto eu curti! E a última dica: para conferir tudo o que está rolando em Buenos Aires, entre shows, festas e até teatro, acessem este site.

Comentários

comments

1 Comment on Festas: Noite porteña por Débora Garcia

  1. Juliana Rosa
    2 de dezembro de 2012 at 21:32 (5 anos ago)

    Dicas de baladas são sempre super bem vidas, certeza de q da próxima vez que for à Buenos Aires vou visitar essas baladas !!!

    Responder

Leave a Reply