Passeio de BMW em Munique

Se você não gosta de carros, veja pela Arquitetura.

Se você não gosta de Arquitetura, veja pelos carros.

Se você gosta de carro e de Arquitetura, melhor ainda!

Me acompanhem em uma visita (não tão rápida) ao complexo da BMW em Munique, na Alemanha.

O complexo é formado por 3 edifícios interligados: BMW Welt, BMW Museum e BMW Werk.

museu bmw munique

BMW Welt, é o edifício “mundo”, a concessionária. Criado pelos arquitetos da Coop Himmelb(l)au, foi o que me motivou a ir até lá. É absurdamente maravilhoso! A arquitetura moderna, leve e cheia de vidro abre o prédio para o seu entorno e cria uma conexão com os outros 2 edifícios do complexo. O conceito é um furacão e uma nuvem. Olha como parece mesmo.

museu bmw munique

O edifício é utilizado para eventos, reuniões, entrega de carros aos colecionadores, relacionamento com o cliente, apresentações de produtos… tem também gastronomia, loja de presentes da marca, enfim, coisa de gente chique, só não é mais chique porque a entrada é franca e é cheio de pobre tirando foto dentro do carros. Inveja porque eu não tirei foto nos carros e depois me arrependi.

museu bmw munique museu bmw munique museu BMW museu bmw munique

BMW Museum é o museu da BMW, com toda a história, carros antigos, motocicletas, motores, processos de produção e uma arquitetura divina também. Dessa vez o culpado foi Karl Schwanzer. Essa é a vista aérea do museu. (Confesso que roubei essa foto da internet porque infelizmente não tive a $oportunidade$ de fazer um passeio de helicóptero por lá).

museu bmw munique

Por fora a estrutura é pesada, mas por dentro é tudo muito clean, leve e cheio de rampas. O trajeto dentro do museu tem cerca de 1km e você nunca entende como vai passar por todas aquelas rampas e quando percebe já está lá, nem sabe direito como chegou e não lembra como passou nas anteriores.

museu bmw munique

museu bmw munique

museu bmw munique

museu bmw munique

A exposição tem bastante interatividade e é tudo muito bonito mesmo. Logo na entrada do museu existe uma escultura cinética com várias esferas metálicas presas por cabos que vão se movimentando aparentemente de maneira aleatória, mas no final formam a silhueta de um carro da marca. Tentei colocar o vídeo aqui, mas era um pouco grande e não deu, então quem quiser ver essa maravilha, clica AQUI. Vou fazer pergunta no final do post pra saber quem assistiu, heim. Mentira.

No final fica mais ou menos assim (eu tirei a foto um pouquinho antes do grand finale):

museu bmw munique

Legal, né?!

Na sequência você vai vendo carros e motocicletas antigas. Um mais lindo que o outro.

museu bmw munique

Ainda existe uma outra parte do museu com exposições temporárias e justamente no dia que eu fui tinha exposição de maquetes de obras de arquitetos famosos.

O ingresso para visitar a exposição total (BMW + temporária) custa€12, mas assim como tudo na Alemanha, se você fizer a visita em um grupo de 5 ou mais pessoas, o valor cai para €9. O horário de funcionamento é das 10h às 18h e fecha na segunda-feira.

O último edifício, o BMW Werk, é a sede da empresa. Eu não tenho certeza se é possível visitar, pois não tive tempo de tentar entrar, mas pelo que eu andei pesquisando na internet, parece que é possível fazer visitas agendadas em grupos, mas não me pareceu ser pra turista e sim para estudantes alemães ou algo do tipo.

museu bmw munique

Eu amei muito esse lugar! Fica perto do Olympiapark e todos os caminhos levam até lá.

Espero que tenham gostado do passeio.

Hundertwasserhaus

Aqui estou eu mais uma vez com um post de nome impronunciável.

Podem ir se acostumando com essas coisas quando eu aparecer por aqui, pois sou fascinada pelo idioma alemão, mesmo sem saber falar nada além de “Bom dia, meu nome é Mariana, hojé é domingo e são 8:00h”. Hehe.

O post que venho trazer aqui pra vocês hoje é uma cópia do que eu postei no blog que eu tentei manter quando morei em Viena e é sobre um dos lugares mais fofuras que visitei por lá.

Hundertwasserhaus

“Hundertwasserhaus é um edifício que foi reformado pelo pintor e arquiteto austríaco Friedensreich Hundertwasser. Eu gostei bastante desse lugar. Era um dos lugares que eu mais queria conhecer aqui em Viena porque adoro arquitetura alegre e colorida. Lógico que não tem toda aquela elegância dos demais edifícios na cidade, mas tem seu charme.

Infelizmente não é possível entrar lá porque é um edifício residencial normal e as pessoas não querem ninguém passeando pelos corredores. Mas na frente do prédio principal tem um mini edifício com lojinhas de souvenir que é possível entrar, então dá pra ter uma idéia de como é por dentro do edifício.

As escadas são bem engraçadas, porque os degraus são todos tortos. E a parte interna é bem agradável porque possui bastante iluminação e parece que você está em uma pracinha.

Para entrar no banheiro tem que pagar o equivalente a R$2,00. Não tem nada muito especial lá. Só essas pias, espelhos e fim”.

Uma graça, não?! Imagina morar num lugar assim?! Eu ia achar o máximo!

Eu comprei um livro com as obras dele e vi que tem bastante coisa dele por aí. Gostaria de ter visto mais, pois é bem legal, bonito e diferente. Se alguém for viajar e quiser saber se existe alguma obra dele pro destino escolhido, pergunta pra gente que nós damos as dicas. Vale a pena, viu!

😉

Viagem no tempo por 1€

Visitar Berlim é respirar história.
Não é a toa que em todos os cantos da cidade sempre tem alguém tentando vender um pedacinho de história. Fotos com pessoas vestidas com uniformes de época, pedaços do muro de Berlim com juramento de originalidade e até carimbos no passaporte como se você tivesse cruzado o Checkpoint Charlie.
Eu sempre consumo essas coisas todas.
O soldado que carimba seu passaporte por 1€ vai explicando o que cada um dos carimbos significa, mas eu tenho que confessar que não entendi o que cada um significava porque ele falou muito rápido e tava louco pra carimbar todos os outros 3873909162862 passaportes que estavam na fila esperando.
berlin
E esses são os carimbos que você recebe:
berlin2

Achei péssima a data ali: 28 de agosto de 2010. Foi o dia que eu estive lá. Acharia mais legal se eles colocassem uma data da época mesmo.

Quando mostrei para um amigo ele ficou louco para carimbar o dele também. Ele comentou que o pai dele tinha um passaporte com os mesmos carimbos, porém verdadeiros.

De qualquer forma, não deixa de ser uma lembrança interessante e uma ideia criativa para ganhar dinheiro fácil.

Hofbräuhaus

Se você nunca ouviu falar da Hofbräuhaus, certamente você já viu os famosos canecos circulando por aí.

DSCN2772

Lembrou agora?

Hofbräuhaus é uma cervejaria cheia de história em Munique. Fundada em 1589, é uma das mais antigas na Alemanha e, com certeza, a mais antiga que eu já fui. Esse nome, que só quem fala alemão de verdade consegue pronunciar, significa “cervejaria da corte” e foi criada pela corte, para a corte. Apenas 300 anos depois foi aberta ao público.

DSCN2762

Apesar dessa informação não constar no site oficial, todo mundo sabe que a cervejaria também foi ponto de encontro do partido nazista. Essa é parte ruim da história.

Por dentro a cervejaria é bonita e bem tradicional. Os garçons usam roupas típicas, tem música alemã tocando e frequentadores fiéis.

DSCN2769

DSCN2764

DSCN2763

Os clientes fiéis tem a sua mesa garantida nos dias e horários que costumam frequentar o lugar e o engraçado é que essas pessoas levam tão a sério isso que no site possui uma lista com o nome de todo mundo e com especificações tipo “todo dia às 16h” ou “toda primeira e terceira quarta-feira do mês”. Já deixei a minha mesa reservada para a próxima estadia em Munique. Cof cof.
Minha dica para visitar a Hofbräuhaus é no final da tarde, depois de um dia cansativo, pra recarregar as energias com uma torta de maçã e uma boa cerveja! A torta de maçã é gostosa, mas é impossível terminar. E olha que eu sou boa de garfo, heim.

torta_maça

PROST!!!!

DSCN2775

Pollstar

Atenção você que vai viajar e quer aproveitar para ver um show de alguma banda que gosta!

Pollstar é um site bem completo sobre eventos no mundo inteiro.

Você pode fazer um cadastro das cidades que pretende visitar e ser notificado sobre os shows que vão rolar durante a sua estadia. No site você tem acesso a informações do local e de como comprar seu ticket (a maioria deles pode ser comprado online).

Ainda é possível fazer busca por banda/cantor e sempre que eles entram em turnê você também é avisado. Quem sabe você não planeja sua próxima viagem também considerando a hipótese de ver aquele show que sempre quis. Seria unir o útil ao agradável, né. Eu estou cadastrada lá esperando o Morrissey passar por algum lugar que eu queira ir…

pollstar

UPDATE:

Resolvi passar aqui para fazer um update porque, como eu citei acima, eu estava cadastrada para receber notícias sobre os shows do Morrissey no Brasil, porém eu recebi o boletim informativo do show um dia antes do show. Portanto, acho que não vale a pena se cadastrar e esperar as notificações. Nesse caso, o Pollstar serve mesmo para você verificar o que vai rolar de bom quando você passar por determinada cidade.

De qualquer forma, é sempre um local válido para pesquisas.

#Fail: ópera em Viena

Ópera em Viena: glamour zero!

Finalmente chegou o dia de assistir a uma ópera em Viena.

Todas as pessoas me falaram que era a coisa mais pega-turista do universo, mas eu quis ir do mesmo jeito. Me aconselharam a ir em outras, mas não, eu queria aquela, eu queria a maior, a mais pomposa. Eu queria o primeiro edifício construído pra ópera em Viena, eu queria a Wiener Staatsoper. Eu queria dominar o mundo.

Comprei o ingresso para o Wiener Mozart Konzert. O maior dos concertos, o mais caro.

Morri com 50€, mas tudo bem, eu iria a uma ópera em Viena!

Depois veio o dilema: que roupa devo vestir em uma ópera em Viena? Optei pelo vestido pretinho básico, uma sandália bonita, bolsa chique e acessórios de perua. Não queria exagerar, mas também não queria cometer nenhuma gafe.

Eu tinha comprado o ingresso pela internet porque era mais barato… foi aí que tudo começou a desandar. Eu teria que trocar meu voucher pelo ingresso lá na hora e cheguei atrasada. Ainda faltavam 30 minutos para começar a ópera, mas até trocar o ingresso, achar o lugar, tirar fotos… essas coisas demoram.

Pra piorar, eu que estava preocupada com a roupa que deveria vestir, acabei destoando das pessoas que estavam tranquilas e confortáveis de tênis, carregando sacolas de compras e descabeladas. Hahaha

Dei uma volta por ali e o constatei que o edifício era muito bonito mesmo, como eu imaginava.

opera em viena Wiener Staatsoper

assistir opera em viena

opera em viena

Depois de babar na arquitetura, fui para o meu lugar e quando cheguei, a vista era essa:

opera em viena o que vestir

Levantei, dei um giro, achei que eu tinha errado, chamei o cara e ele confirmou que era ali mesmo. Foi nessa hora que toda a minha classe, glamour e alegria foram embora. Desci lá na troca de ingressos e pedi, gentilmente, que me colocassem em outro lugar. Falaram que não, porque eu comprei pela internet. Respirei fundo e falei que não paguei 50€ pra ver uma parede. Continuaram falando que não iam trocar, foi quando peguei a máquina, mostrei a foto da vista do lugar, comecei a brigar com todo mundo. Cada balcão tem 6 lugares, eu tava na posição 6 e ela me trocou pra posição 1, que tinha a mesma vista, só que a parede ficava mais perto. Perguntei se ela achava mesmo que ia conseguir me enganar duas vezes, briguei mais um pouco e falei que se não trocassem eu ia sentar onde quisesse e ninguém ia me impedir. Resumo da história que ela trocou meu ingresso para um lugar onde os ingressos custavam 15€ e a vista era uma droga também, mas pelo menos eu consegui enxergar alguma coisa.

opera em viena danubio azul

Eu achava que não ia gostar da ópera, porque ouvir em casa é impossível, mas tirando o estresse todo, a apresentação foi bem interessante e eu gostei mesmo. E foi lindo quando eles tocaram Danúbio Azul.
Um pedacinho do vídeo pra vocês:

Inverness

Eu fui parar em Inverness meio por acaso. Aquela velha história de “já que estou aqui perto, vou aproveitar pra ver isso”.

De Londres estiquei pra Edimburgo e de Edimburgo pra Inverness. E não, não é nada perto, quando eu percebi já estava a 1.000 km de Londres e teria que voltar de ônibus. Por isso que eu sempre digo que não dá pra pensar assim, se não em um final de semana você acaba querendo dar a volta ao mundo. Eu fiz isso porque tinha tempo sobrando. Foi um mês viajando só no Reino Unido.

Inverness é a capital das highlands na Escócia e a cidade mais ao norte do mundo que eu já visitei, mas é conhecida mesmo pelo Monstro do Lago Ness.

A viagem Edimburgo-Inverness já é um passeio e tanto. Paisagens maravilhosas com a estrada no meio de montanhas, neve lá no alto e ovelhinhas pastando nos campos.

A rodoviária é uma fofura, mas as belezas de Inverness não acabam por aí.

Inverness

Na rodoviária você pode pegar mapas com roteiros para fazer a pé e contatos de empresas de turismo que fazem passeios até o Lago Ness.

Inverness é uma cidade pequena, mas muito aconchegante e o povo bastante amigável. Pedi informação pra uma mulher na rua que fez questão de me levar até o local que eu queria ir. Eu tinha uma bandeirinha no Brasil na minha mochila, o que fez com que eu fosse abordada por muitas pessoas falando que gostavam do Brasil, que queriam conhecer e que ficam felizes quando brasileiros visitam Inverness. Uma dessas pessoas falou que queria muito conhecer o Brasil e até aí tudo bem, mas o que me espantou mesmo foi que ela falou que queria conhecer, além do Rio de Janeiro e São Paulo, Belo Horizonte, Salvador e Brasília! Era uma pessoa que entendia mesmo do Brasil e ganhou minha bandeirinha de presente.

Os hostels na cidade são super baratos, mas o mesmo não pode ser dito dos restaurantes. Comi todos os dias na Pizza Hut de um shopping porque era tudo de mais barato que existia pra comer. Na biblioteca tem acesso grátis a internet e a biblioteca fica em frente a rodoviária, uma boa dica para enganar a espera do ônibus.

Para dar início a minha busca pelo Monstro do Lago Ness escolhi uma das empresas dos panfletos que peguei na rodoviária. O passeio sai da rodoviária mesmo, em um micro ônibus com guia turístico e custa £15,00. Antes de deixar Inverness ele passa por alguns pontos turísticos e vai contando e história da cidade. O ônibus segue para Drumnadrochit, um vilarejo próximo ao Lago Ness, onde pegamos um barco rumo ao Urquhart Castle. O barco vai passeando pelo Lago Ness e o lago é MUITO grande. Não imaginava que era tão grande.

As paisagens são lindas e logo já é possível avistar o castelo. Ou melhor, as ruínas do que um dia já foi uma das maiores fortalezas da Escócia.

Inverness

Inverness

A entrada nas ruínas está inclusa no passeio e posso dizer que esse foi um dos lugares mais legais que eu já visitei. Eu gosto de ruínas e tive muita sorte porque no dia que eu visitei tinha um sol maravilhoso que deixou tudo mais lindo ainda. Deu pra entender o quanto eu gostei?

Inverness

Inverness

Infelizmente o tempo de permanência ali era de 40 minutos. Essa é a grande desvantagem desses passeios guiados, pois eu poderia ter ficado o resto do dia ali, só sentada olhando a paisagem.

Inverness

O lugar é tão bonito que tinham 2 noivas tirando foto lá. Nessa foto dá pra ver uma delas de vestido roxo sentada no canto ali em cima. Tentei tirar fotos delas, mas não deixaram.

Inverness

Em alguns trechos é possível andar por dentro de onde era o castelo e subir escadas e ter uma vista melhor ainda.

Inverness

No final da visita é lógico que tem uma loja de souvenirs, mas são os souvenirs mais bonitinhos e bem feitos que eu já vi na vida. Pena que é absurdamente caro. Comprei um copo do monstro e só.

No final do passeio o ônibus te leva de volta para a rodoviária e fim. Não encontrei o monstro, mas o passeio valeu muito a pena.

Eu amo Escócia e quero muito voltar um dia.

Para você que tem bastante tempo pra viajar e pouco dinheiro, minha sugestão é a companhia de ônibus Megabus, pois é possível encontrar passagens a partir de £1,00, basta comprar com antecedência.

Guinness Storehouse

A Guinness Storehouse é parada obrigatória para quem vai visitar a Dublin e, principalmente, para quem gosta de Guinness.

Trata-se de um museu anexo ao complexo Guinness Brewery, no qual conta toda a história da Guinness e o processo de produção da bebida. A fábrica da Guinness já foi a maior cervejaria do mundo!

Dublin (44)

Dentro da storehouse você entra em grupos, mas a visita não é guiada. As informações do processo de produção você encontra pelo caminho e tenho que confessar que passei um pouco rápido porque achei meio chato. A parte mais interessante do museu em si é onde você pode ver as garrafas e rótulos antigos, porém fica tudo com um vidro na frente que reflete luz para todos os lados e espelho no fundo, daí você tem que ficar dançando na frente da vitrine para poder enxergar.

Dublin (55)

No meio da visita tem uma degustação de Guinness em alguma fase do processo, que é horrível! Blé!

Não tome e espere, pois o melhor está por vir.

No final da visita você chega ao Gravity Bar, que fica no último andar da storehouse e possui uma vista panorâmica da cidade. Dentro do bar os visitantes tem direito a uma pint e a desfrutar uma vista linda da cidade toda. Eu fui lá só por causa disso, pois adoro ver as cidades do alto.

Dublin (61)

A entrada na storehouse custa 15€, mas se comprar pela internet você paga 13,50€. Eu achei bem caro porque você não entra na fábrica mesmo e tudo o que você vê é apenas uma simulação do que acontece de verdade. Eu acharia mais interessante se entrasse na fábrica, mas a vista do bar faz valer a pena.
Mais informações aqui.

1 27 28 29