Dicas básicas da Itália: o que você precisa saber antes de ir

Mesmo depois de anos sem ir a Itália, mas já tendo morado lá, muita gente pede dicas do país até hoje, seja por aqui ou pessoalmente. Ainda não tinha feito um post de dicas básicas da Itália e acho importante sempre comentar alguns detalhes com as pessoas. Nada alarmante, mas é bom saber algumas coisinhas antes de ir.

NÃO DÁ PRA CONHECER TUDO EM 1 VIAGEM

Definitivamente, não dá. Quando eu fazia roteiros personalizados, recebia sempre pedido de viagem de 15 dias e passando por 789 cidades. Assim, o país é pequeno sim, ainda mais se comparado ao Brasil, mas gente, não dá pra fazer milagre.

De Milão pra Roma não são 15 minutos de trem. São de 3h a 5h (dependendo do tipo de trem que você pegar). Não subestime o “cidades menores” para querer fazer cada uma em um dia. Roma merece mínimo 5 dias só pro básico, correndo muito e torcendo pra não pegar muita fila nos pontos.

dicas italia

NÃO FALAM INGLÊS

Esse é outro detalhe que a gente tem mania de criticar no Brasil, que “ai, aqui ninguém fala inglês e mimimi”. Então deixa eu te contar que na Itália também não. Claro que, nos lugares e pontos mais turistões, eles falam inglês. Inglês daquele jeitinho italiano: um sotaque forte, as vezes difícil de entender e probabilidade de ficarem meio putos se você não entender, haha.

Em faculdades, os professores falam bem de forma geral, mas não espere a tia da cantina, o vendedor de pizza da esquina e nem o atendente do metrô. Vida real, eles não são obrigados a falar inglês porque você não fala italiano.

A sorte é que o italiano não é tão diferente do português e acho que dá pra entender bastante coisa com o mínimo de esforço. E sim, tem bastante brasileiro lá, bem capaz de achar alguém pra dar uma ajuda, hehe.

VERÃO E FERRAGOSTO

No frio, bastante frio, mas nada como Inglaterra. Agora, no verão… amigo, faz muito calor mesmo. Pior que aqui, mais pesado e muito, muito mesmo!

Falando em verão, em agosto são as férias de verão. E assim como janeiro aqui pra nós, as cidades grandes dão uma morrida. Todo mundo viaja, aproveita, as cidades litorâneas estarão todas lotadíssimas e mais caras, e as cidades business bem vazias. Alguns estabelecimentos fecham e é difícil resolver algumas coisas nessa época. Talvez não seja o melhor mês pra turistar na verdade.

dicas italia

APERITIVO

Melhor coisa que a Itália inventou sempre achei! Lá eles tem esse “sistema” de aperitivo pro happy hour. São centenas de lugares, em todas as cidades, em que você paga pelos drinks e come livre. Tá, não é um jantar né, mas tem geralmente um pequeno buffet de aperitivos, pratos de massa fria, bolachinhas, etc. Isso tudo você consome quanto e como quiser, basta comprar um drink.

Os preços variam super. Variam com os preços das bebidas e claro, de lugar pra lugar, de cidade pra cidade. Em geral, em Milão variam de 10-15 euros. É super interessante, a gente aproveitava muito isso e os estabelecimentos sempre cheios.

COMIDA TO GO

Lá é hiper comum você ir ao balcão, pedir comida e levar pra comer na rua mesmo. Perto de faculdade então… ih, só tem isso basicamente. Aquela imagem de filme de pessoas comendo fatias de pizza na rua, na calçada, caminhando é sim bem comum.

pizza italia

Aliás, em vários lugares, se você sentar pra comer, paga a mais. Então dá uma olhada no cardápio, dá uma perguntada pra não se assustar com a conta no final achando que cobraram errado.

TUDO SEPARADO E INDIVIDUAL

Ainda sobre a comida, lá é bem diferente daqui, que vem tudo misturado. Na real mesmo, só no Brasil mesmo que vem tudo misturadão, arroz + carne + batata + salada. Lá você paga tudo separado. Quer massa com carne? Vai pagar o prato de massa e o prato de carne.

penne

Exemplo nos cardápios: primo piatto, sempre massa; secondo piatto, sempre carne; contorno, acompanhamento (ai paga-se por cada acompanhamento que quiser). Aí você vai montando o seu almoço/jantar. E sim, tudo individual. Porém é claro que dependendo do lugar, a porção é bem farta, então rola pegar o primo + secondo + contorno e dividir em 2. Algo super comum perto das faculdades.

Entenda aqui mais sobre as massas italianas, seus nomes e diferenças.

ÁGUA GRATUITA

Tenha sempre uma garrafinha de água em mãos. Em diversos pontos você encontra bicas e fontes de água limpa para beber. Alguns são bebedouros, e você pode tomar também.

VALIDE O BILHETE, SENÃO MULTA!

Isso é importantíssimo antes de viajar de trem pela Itália. Quando a gente compra um bilhete de trem, ele não vem nomeado nem nada. Só consta o dia, horário, destino daquele trem. Antes de subir nos trens, você encontra uma maquininha na frente de cada um praticamente. É totalmente necessário colocar o bilhete ali para que seja carimbado com data/dia. Para entrar no trem não precisa mostrar o bilhete pra ninguém, e por isso podem ter furos.

Isso é controlado lá dentro. Em 98% das vezes que andei de trem pelo país, passou um fiscal da companhia conferindo se os bilhetes estavam validados. E meu amigo, se não estiver, você será maravilhosamente multado. Então por favor, valide seu bilhete!

dicas italiaFoto @trip_or_two

CUIDADO AO COMPRAR BILHETE NO METRÔ

Isso é um troço super chato por lá, e muito pega-turista. É super fácil comprar bilhetes nas maquininhas do metrô. Tem opção de várias linguas e é realmente tranquilo. Porém quando a gente chega e é tudo novo, tem que aprender a usar a máquina e nos perdemos, demoramos mais. Ai vem os ciganos/imigrantes/trombadinhas (ou qualquer tipo de nome que você queira usar) e colam na máquina do seu lado pra “te ajudar” a comprar. De fato, eles até ajudam sim, fazem o caminho da compra pra você, mas o problema é que quando cai o troco da máquina, eles roubam.

Infelizmente isso é MUITO comum mesmo, principalmente nas cidades maiores. Então quando eles aparecerem pra “ajudar”, já vai logo mandando um “no, grazie, grazie, ciao” e fecha bem a área da máquina. Aí eles saem.

metro italia

DOCUMENTAÇÃO PARA DIRIGIR

Na hora de locar um carro, eles exigem apenas a CNH. Quando loquei foi assim, bem simples. Por sorte, não fomos parados em nenhum momento do trajeto, pois, na verdade, precisa do documento internacional pra dirigir por lá!

Pra locadora está ok esse documento que mostra que você está apto pra dirigir. MAS, se você for parado, precisa estar com a CNH e com o PID (permissão internacional para dirigir). Claro, mais um documentinho pra gente gastar, hehe.

dicas italia

ZONA DE TRÁFEGO

Ainda sobre o assunto carro, lembre que nos centros há uma zona específica de tráfego. Eles tentam evitar que haja muito carro em áreas turísticas/movimentadas, e para dirigir ali é necessário uma permissão especial mediante pagamento de taxas extras. Verifique se locou um carro com permissão ou não, e cuidado, porque dá multa e ela chega na sua casinha aqui sim, vide post #fail de quando locamos carro lá.

COMPRE INGRESSOS ANTECIPADAMENTE

A Itália é o país dos sonhos do mundo todo. Tem gente de tudo que é lado, tem muito turista sim, algo que nós não estamos nem perto de conseguir entender o que é viver em cidades lotadas de visitantes. E sim, os pontos turísticos são cheios sempre.

A coisa boa é que dá pra comprar ingresso antecipado pela internet de praticamente tudo! É sempre uma escolha fantástica, porque você chega lá e fura a fila. Quer dizer, você não fica na fila da bilheteria, que é a mais lenta. É chegar e entrar. Verifique tudo antes e pode comprar com segurança. Vai dar certo!

dicas italia

Piso de madeira: o nosso piso super diferente!

Esses dias falei que teríamos mudança na vida real e no blog, né? Então vão começar alguns posts decorativos por aqui, e o primeiro é sobre o piso do apê, que é bem diferentão. Quando a gente começou a pesquisar coisas e ter ideias, vimos uns pisos bem diferentes e eu, designer que sou, sabia que queria fazer coisas inusitadas na casa. Até agora não sei como o Jorge topou umas ideias mais malucas, mas que bom que ele topou, porque tá dando pra ter um apê não igual a todos os outros.

Começamos pela saga do piso diferente da casa. Preciso contar uma historinha dramática aqui pra vocês entenderem a minha felicidade com o piso do apê, ok? Gente, que-difícil fazer algo diferente! Eu fui em milhares (mentira, dezenas só) de lojas e empresas daqui, atrás de alguma que entendesse o que queríamos. Não era difícil entender na real, só era difícil achar um instalador pra fazer porque, a bem da verdade mesmo, não tem nada de tão mirabolante.

A gente tinha algumas opções que gostamos. Tinha a opção A, B, C, D… até a última que era o piso normal simples igual todo mundo blá. Algumas ideias que gostamos no Pinterest:

piso laminado

Eu só queria era um piso espinha de peixe (ou escama), que é esse que faz tipo um V assim, mas em 90º mesmo porque aí não teria que cortar todas as laterais em 45º. Ou seja, já facilitando muito.

Bom, o parto começou aí. Ninguém queria colocar porque tinha que cortar as chapas na lateral dos cômodos (oi, mas vocês não cortam as chapas nas laterais de qualquer forma? enfim). Aí ok que não dava no estilo click, porque sim, o click é diferente pra cada lateral. No laminado, a dilatação das chapas poderia estufar. Na madeira era inviável pelo custo. Porcelanato não queríamos, até porque o desenho espinha de peixe achei meio estranho, muito pequeno, sei lá, não curtimos. Última opção: vinílico colado.

Até aí tínhamos passado por umas 10 lojas, ou até mais. No começo nos desanimaram muito dando todas as desculpas possíveis, mas eu não estava aceitando isso e continuei a busca, até que encontrei 2 empresas que adoraram a ideia e queriam muito fazer. Uma seria com o vinílico colado e outra em madeira. Cada uma com seus problemas, tipo vinílico tem chapas muito grandes e o desenho não ficaria tão legal; já no piso de madeira, o preço dá uma dorzinha.

Finalmente, depois de alguma negociação, conseguimos! Conseguimos do jeitinho que tínhamos pensado. Piso de madeira começando o desenho na sala de jantar e seguindo pelo corredor em um degradê de cores e na colocação espinha de peixe. Ó só:

piso madeira colorido

piso de madeira coloridoTem nada no corredor ainda, mas vai ter em breve, hehe. Por hora só chapéu mexicano ali mesmo, na decoração viagística.

A santa empresa que conseguiu nos atender foi a Renomad. Na verdade eu cheguei até eles através da Outlet do Piso, também da mesma família.

piso de madeiraTodo processo de colocação, depois definindo as cores e o começo da pintura.

Pudemos fazer testes de cores na madeira, através de um sistema exclusivo da marca que eles trabalham, a Bona. Essa marca tem um sistema que este ano é tendência inclusive, de óleos (é como se fosse tinta) para pisos e, com isso conseguimos colorir as peças! Adeus pisos só nas mesmas cores sempre!

No início queríamos trabalhar com tons de cinza, pois a cozinha já vinha com um piso cinza e os móveis seriam em madeira mais clara. Porém não gostei muito no cinza em cima dessa madeira porque ainda apareciam os tons da madeira embaixo, e ficou bem esquisito. Não dá pra bloquear totalmente a madeira de respirar, por isso ficou levemente aparecendo o tom embaixo.

Então partimos para tons do piso de madeira mesmo, mais claro, mais marronzinho, etc. Ficou mais neutro e até melhor. Eu mesma fiz toda a divisão pra eles. Peguei a planta do apê (que eu medi inteiro e passei pro computador), aí peguei o tamanhos das chapas, fizemos a distribuição e em cima disso, fui pintando como gostaria. Aí imprimir e reproduzir lá, peça por peça, sim senhor.

piso de madeira

Deu um trabalho do cão instalar este piso de madeira! Isolar cada uma, pintar, tirar e isolar a outra, pintar de volta… demorou MUITO e claro, no caminho sempre uns imprevistos, uns atrasinhos. Mas o importante é que deu certo e ficou muito legal, não acham?

Escolhemos o rodapé no branco por 2 motivos: custo e porque as portas serão todas brancas futuramente. Ali nas fotos ainda aparece a porta do quarto em tom de madeira, mas estamos aos poucos reformando todas, pra deixar tudo mais claro. Então o rodapé combina com isso e deixa mais claro todo o apê.

Se quiser ver e acompanhar mais do apê, temos um Instagram todinho dele. Aqui ó!

Um ano de obras, mudança aqui e na vida real

Ok, então no final do ano eu contei aqui que comprei, finalmente, um apêzinho. Há muito tempo atrás eu também tinha falado aqui que ia segurar viagens para justamente guardar mais pra casa própria. Na verdade faz ANOS que eu guardo muito bem meu dinheirinho, porque tá meio f** comprar algo aqui no Brasil, e sempre tive um relacionamento bem bom com minhas finanças. Mas o fato é que viajar custa, e cada R$ 5 mil já vira mais do que isso em uma aplicação, né?

Então sim, eu dei uma boa segurada no quesito viagem pensando que queria comprar meu cantinho. Aliás, uma das coisas que aprendi muito bem com meu avô é: não ficar parcelando em 29748x as coisas, e era bem isso que eu queria fazer, contornar ao máximo os financiamentos, que tem juros altíssimos. Não tinha jeito, precisava segurar a bufunfa.

Bufunfa segurada e encontrado o apê dos sonhos! Ele era tudo, absolutamente tudo, o que eu queria: bate sol, tem janelas em tudo (inclusive nos banheiros, coisa rara nos prédios novos), tem cozinha com tamanho de cozinha, tinha um quarto extra pra eu fazer um closet, é perto do trabalho e da casa dos familiares.

Aliás, eu fiquei anos vendo, visitando e procurando apartamentos, mesmo sem a grana que eu queria ter pra efetivamente comprar. Porque a verdade é que tem muito lugar ruim, muita negócio ruim, apartamentos novos com 400 mil coisas no prédio e não tem uma mísera janela no banheiro! Juro, que irritante esses apês sem janela no banheiro! Algo que me incomodava muito mesmo, já deu pra perceber né?

Enfim, comprei no final do ano e, como era um apê antigo, com azulejo do ano da entrega ainda (40 anos atrás) e um banheiro com distribuição bem esquisita, resolvi reformar antes de morar. Tendo a experiência da casa dos meus pais, que reformaram 2 banheiros e 1 cozinha ao mesmo tempo e foi tipo O inferno na terra, quis fazer tudo isso ANTES de ir pra lá. Ninguém merece essa poeira de obra que não sai jamais!

ape antigoFoto meio feia, mas do banheiro antigo. Olha que horror! No meio, o piso antigo detonado no meio da obra.

Trocamos tudo no banheiro, mudamos disposição, trocamos tudo na cozinha e área de serviço, mudamos o piso da casa, pintamos todas as paredes, alteramos aquecedor de lugar e tivemos todos os problemas do mundo durante tudo isso, porque né, obra em apê antigo. E aquilo né, suga um dinheiro que minha nossa! Depois de efetivos 7 meses em obras da base como um todo, estamos nos mudando. Ufa! Demorou muito, mas acabou o básico e já dá pra viver lá dentro.

ape banheiro 2Agora a carinha nova dos banheiros, bem mais claros, aleluia!

Então a partir de agora vou compartilhar algumas coisas da reforma, algumas coisas de decoração e afins por aqui também, ok? Ok! Temos um Insta do apê aqui, e estou postando mais coisas lá, pra não ficar muito aleatório esse assunto no Insta do blog. Segue lá que vai ter mais fotos e coisinhas relacionadas a isso. E bom, sejam bem vindos à nova fase! =D

ape pisoAqui o novo piso da casa, novo piso da cozinha e parte da decoração viagística que sim, obviamente terá muito, hehe.

As massas italianas: qual é qual?

Como boa descendente de italiano, eu amo uma boa massa, mas como boa pessoa normal, nunca sei qual é qual! São tantas opções de massas italianas, tantos nomes parecidinhos que sempre rola aquela dúvida se eu estou pedindo macarrão ou gravatinha, parafuso ou massa recheada. E eu bem sei que muita gente aqui sofre com isso, principalmente quando vai pra Itália e tem aqueeeele menu extenso de opções e não, não tem um desenho do lado pra gente se achar.

Fiz um pequeno manual (com fotoo!) pra vocês aqui hoje. Pega o queijo ralado e vem aprender!! Separei em categorias: macarrões, tubulares, recheadas e outros formatos.

MACARRÕES

Ah é, não é apenas “macarrão”, tem várias opções pra confundir um pouquinho. Tem o mais fino, o achatado, o mais gordinho…

Spaguetti

O spaghetti é o mais fininho, que comemos mais aqui no Brasil. É o mais comum por aqui, aquele que tem em restaurante por quilo, ou ainda o que a gente compra mais. Fininho, redondinho.

spaguetti

Linguini

Linguini (além do nome do personagem de Ratatouille, he), é o macarrão um pouco mais grosso.

linguini

Bucatini

Ele é igual ao Spaghetti e a diferença passa muito desapercebida. A única diferença é que o Bucatini tem um furinho no meio. Ou seja, só pra confundir a gente na hora de escolher no cardápio!

bucatiniFettuccine

O Fettuccine e o Talharim abaixo, são muito semelhantes, muito mesmo. Ambas são longas e achatadas, mas o que difere é o tamanho da massa. O Fettuccine é mais largo do que o Talharim.

FETTUCCINE

Talharim

O Talharim é igualzinho ao Fettuccine, com a diferença de que os fios tem até 1cm de largura.

talharim

Aletria ou Cabelo de Anjo

A Aletria é mais conhecida como Cabelo de Anjo, motivo: parece um emaranhadinho de cachos mesmo. Ela é beeem fininha e ideal para usar em sopas.

cabelo de anjo

Pappardelle

Essa é a massa mais grossa de todas. Acho que as mais fáceis de identificar são essa e o Spaghetti mesmo, o resto é muito confundível.

pappardelle

TUBULARES

Penne

O Penne é aquele mini tubo, e diferente do que tem aqui no Brasil, na Itália tem pelo menos 8 tipos que variam com textura e tamanho. Selecionei os mais clássicos para citar: penne rigate (listrado) que é o penne mais comum; pennette rigate que é uma versão mais fina e comprida do anterior; penne lisce (liso) que como o nome diz, não tem aquelas rugas. O Penne é o tubo cortado na diagonal geralmente.

penne

Pra se ter uma ideia dos diferentes tamanhos:

Rigatoni

É, na verdade, o segundo da direita pra esquerda na foto acima. Ele é bem mais grosso.

rigattoni

Caneloni

É o pai de todos os tubos, porque é o maior de todos, e ideal para fazer com recheio dentro.

caneloni

PARAFUSOS OU ESPIRALADOS

Fusilli

Aqui separei os parafusos e alguns semelhantes e pouco conhecidos no Brasil. O parafuso também é o fusilli. É legal fazer com molhos mais encorpados.

fusilli

Gemelli

É um parafuso duplo. Olhando rapidamente, até confunde com o Fusilli sim, mas aqui trata-se de 2 tiras enroladas nesse formato. É muito semelhante mesmo. Aliás, essas duas parafuso são bem comuns para pratos frios, tipo uma salada diferente ou mesmo com presunto.

gemelli

Girandole

Girandole significa cata vento em italiano, e a espiral bem mais apertada, mas basicamente é outra denominação pra confundir nossa cabeça, porque é muito semelhante ao Fusilli.

girandole

Casarecce

É um parafuso não tão parafuso e bem mais comprido. É um enrolado bem de leves, mas acabei colocando nessa categoria “parafuso” porque achei que encaixa ok nessa categoria, hehe.

casarecce

Cellentani

É uma mistura de parafuso com conchinha. Parece que pegaram o Fusilli e esticaram, hehe.

cellentani

RECHEADAS

Na verdade, tem muita – muita mesmo – opção e variedade nas massas italianas. Não só os tamanhos e se são lisas ou listradas, mas tem muitos formatos diferentes. É possível que os nomes e tipos variem de acordo com a região também, mas sabendo o básico, não tem como errar na hora de escolher seu prato no menu! Nas recheadas acontecem muitas confusões de nomes, vem ver:

Ravioli

O Ravioli é a recheada quadradinha. Geralmente de carne, frango ou ricota. Muita gente confunde essa com o Capeletti, mas uma é uma coisa e outra, outra coisa.

ravioli

Capeletti

Aqui o negócio já é arredondado, uma trouxinha. Mais comum colocarmos em sopas, mas pode ser servido com molha sim, claro.

capeletti

Rondelli

Essa é a massa dos casamentos e festas de 15 anos, hehe. Toda festa tem essa massa basicamente, e é um rocambole recheado. Aqui a gente inventa nesse recheio, coisa de brasileiro, mas na Itália não tem tanta mirabolância assim. São mais tradicionais.

rondelli

Tortelloni e Tartellini

A diferença das duas é que a “lloni” é fechada e a “llini” é aberta no meio, mas ambas são trouxinhas recheadas também. Pra mim, essas duas e capeletti são tudo irmão, porque é igual.

tortellini

tortellone

OUTROS FORMATOS

Farfalle

A Farfalle é a famosa gravatinha. Farfalle significa borboleta em italiano, mas aqui a gente normalmente fala gravatinha pra essa massa, que vem de gravata borboleta, claro. Elas também existem em diversos formatos e tipos. Lisas, listradas e uma opção que é mais gordinha. Quando ela é lisa, é farfalle mesmo, quando tem listras é rigate e mais gordinhas são chamadas de tonde.

farfalle

Conchiglie

Conchiglie é a conchinha. São também várias opções com esse formato ou pequenas alterações, mas é a nossa famosa massinha para sopas quando são as em tamanho pequeno. Em formatos maiores já são feitas com recheios.

conchiglie

Orecchiette

Orelhinha, é esse o nome em português. Na verdade, faz muuuito tempo que não vejo/como essa massa por aqui. Será que não vende mais? Fato é que a orelhinha também é um tipo de massa, e é bacana usar em sopas também. Olhando assim, ela quase parece uma conchinha, mas não é. Pra mim, parece um chapéu também.

orecchiette

Risoni

Arroz em italiano é “riso”, e o risoni é um grande arroz sim. Eu nunca comi essa massa, nem aqui, nem lá e nem em nenhum lugar, porém ela existe e pode existir no cardápio que você estiver lendo. Vai me dizer que não é A-CARA-DO-ARROZ! É facilmente confundível, mas é massa!

risoni

Rotelle

Massa para pratos de criança geralmente, são as famosas rodinhas. Bem legal para sopas, assim como as letrinhas e conchinhas.

rotelle

Ufa! Deu? Alguém com fome ainda? Claro, tem mais tipos de massa ainda. Muito mais. Tem as letrinhas que não mencionei, tem muitos outros tipos de penne e fusilli, mais alguma coisa ali em macarrão e claro, lasanha e nhoque, mas estes dois são mais comuns e inconfundíveis, né?


Otranto, a cidade no sul da Itália que deveria estar no seu roteiro

otranto sul da itália

Acho que esse post merece ser começado com uma foto bem apelativa como essa aí. Otranto, se você nunca sequer ouvir falar, deveria estar no seu roteirinho pelo sul da Itália. Pela cor da água, pela tranquilidade, pela história e ruínas antigas, eu voto sim!!

Otranto está nessa região maravilhosa da Puglia, lá no salto da bota. Não é, nem de longe, um destino muito visitado por brasileiros como as famosinhas Veneza, Roma e Firenze, mas deveria. Na verdade não só Otranto, mas todas as praias que fazem parte dessa região. (talvez em uma viagem não dê pra fazer tudo o que gostaria, eu não consegui e tive que escolher uma praia só no roteiro).

Fica a 46km pro sul de Lecce, a cidade âncora mais próxima pra visita. De Bari, a praia está a 200km, já é mais longe e, mesmo tendo trem para levar, igualmente terá que parar em Lecce e de lá pegar um ônibus. Quando fui, saímos de Lecce com um ônibus super fácil. Na volta quase perdemos o horário e aí sim seria complicado, pois não tem tantos horários de saída de lá. Então fique atento a isso apenas.

Uma opção interessante é ficar hospedado em Otranto alguns dias, e de lá sair para os passeios nas outras praias da região. A cidade em si, tem 76km² e cerca de 5 mil habitantes. Ela pertence a uma rede das cidades mais bonitas da Itália. Ok, já convenceu não?

otranto italia

Otranto, assim como toda cidade italiana, tem um centro histórico muito bonitinho, cheio de ruelas, lojas, mini restaurantes e sorveterias, claro. A vista lá de cima é maravilhosa, porque dá pra ver tudo no meio às águas azuis e transparentes.

otranto

Lá, você vai encontrar diversas pequenas praias, e nelas tem sempre os lidos, que é tipo uma área reservada e que para ficar ali você precisa alugar as cadeiras e o guarda-sol. Não é nada excessivamente caro, e paga-se por dia. Os preços variam um pouco, mas uma espreguiçadeira sai em torno de 4-5 euros pelo dia todo. É bem em conta e não precisa se preocupar em levar a sua, do hotel ou sei lá. Acho que vale a pena sim.

otranto

Por ali tem vários passeios passando por grutas e levando a mais e mais praias. Munilo D’Acqua é uma delas, mas não visitei porque na época não tinha $$ pra pagar tantos passeios (eu estava em uma viagem de 15 dias pelo sul da Itália quase todo e era estudante, já sabe né), mas a base de preço dos passeios é de 10 euros.

Outras paradas são Torre del Orso, Porto Miggiano, Marina Sierra e a Torre di  Sant’Andrea, sendo esta última de entrada gratuita. É tudo muito tranquilo, super vazio se comparado a Capri, cheíssima de turistas!

otranto

Toda a região é super explorável, e a melhor forma de passear por tudo é estando de carro. Diferente de Roma e Napoli, é bem mais ok dirigir por ali, e em todos os lugares tem estacionamento disponível com preços aprazíveis, de até 2 euros.

otranto

Mais do sul da Itália:

 Uma parada em Bari, no sul da Itália

– Gran Caffè Saicaf, confeitaria tradicional em Bari

– Alberobello, uma cidade imperdível na Puglia

– Um dia em Lecce, sul da Itália

– Napoli: o guia turístico

– Napoli e o caos

– Museu Arqueológico de Napoli

– Amalfi, para passar a tarde na Costa Amalfitana

– Grotta dello Smeraldo

– Sorrento

– Como são as ruínas de Pompéia

– Minha visita à ilha de Capri

Festival de Inverno de Curitiba 2018: Centro Histórico cheinho de atrações!

Começou ontem o 6º Festival de Inverno do Centro Histórico de Curitiba. “Mas Anna, o que é isso? Nunca ouvi falar!”. Se você é curitibano e nunca ouviu falar e nem aproveitou o Festival, amigo, corre! Se você é de fora e estará visitando a cidade de 19 a 29 de Julho, se deu muito bem, hein?

Bem, como falei acima, este á é o sexto Festival, e eu geralmente participo de alguma atividade. Não consigo participar de tudo porque são muitas coisas, muitos dias e coisas durante a tarde, perfeito pra quem está de férias. Aliás, é mais do que perfeito pra quem está com filhos em férias, porque tem dezenas de atividades para crianças. Melhor? A maioria é de graça!

Tem teatro, tem exposição, tem show de música, tem degustações, pratos e promoções diferentes nos estabelecimentos da rede, tem dança, tem palestra, tem cinema. Dentre as coisas que achei muito interessantes na programação, destaco o Coffee Experience, que acontece em 2 edições lá no Café Catedral e custa R$ 20 por pessoa.

festival de inverno de curitibaFoto divulgação – degustação de caldos do Hostel Roma

Outra atividade que achei super, é o Coquetel Degustação de Mate, que acontece no Museu Paranaense e é gratuito; e o Dia do Chá, no Bella Vivenda e custa R$ 40 por pessoa. O do chá eu já fiz 2x em edições anteriores. Foi MARAVILHOSO! Eu contei tudo sobre esse circuito aqui no blog. Nossa, além de degustar os chás, aprendi um monte de coisas que uso até hoje na vida. Valeu demais a pena!

circuito do chá Foto do Circuito do Chá que fizemos em 2016 no Hostel Roma

Este ano também terá o Free Walking Tour em quase todo os dias de programação, e como o nome já diz, é free. Esse passeio já fiz também, e é um tour caminhando pelo Centro Histórico onde o guia te conta todas as histórias dos lugares por onde passamos. É muito interessante e pô, é de graça! Se você quiser deixar uma contribuição pro guia depois, fica a teu critério.

Além dessas programações culturais e circuitos, os restaurantes do Centro Histórico prepararam sopas especiais e diferentes em cada um. Os preços variam de R$ 18 a R$ 32 e tem de Caldinho de Barreado no A Caiçara, Lentilha no Bar do Alemão, Batata e beterraba no Bella Vivenda, Beterraba no Café Catedral, Menu degustação de 3 caldos no Hostel Roma, de Pinhão no Jeito Mineiro (essa está apenas di-vi-na!), Missoshiro no Mikado (também uma delícia), de Feijões no Oriente Árabe e também de ervilha no Quintal do Monge.

festival de inverno de CuritibaFoto divulgação – sopa de pinhão do Jeito mineiro

Vale a pena conferir a programação completa e todos os horários no site do Festival. Vale demais a pena curtir tudo desses 10 dias. De qualquer forma, deixo aqui também a programação:

programação festival de inverno

Empório São José, mercado dentro do shopping

Ontem estive na abertura do Empório São José, um mini (não tão mini assim) mercado dentro do Shopping Crystal aqui em Curitiba. Na verdade, outras cidades já tem isso, principalmente fora do país, mas aqui em Curi não tinha ainda, e eu achei muito sensacional e prático isso.

emporio são josé

O lugar é lindo, muito agradável e tem de tudo mesmo, por isso não dá pra dizer que ele é tão mini assim. Lá você encontra uma sessão bem farta de hortifruti com tudo fresquinho – o cheiro estava delicioso – e uma bela seleção de produtos orgânicos e artesanais, coisa que está virando cada vez mais moda no Brasil. Para quem tem alguma intolerância, o Empório ainda conta com uma sessão especial de produtos sem lactose e sem glúten.

hortifruti empório são josé

emporio são josé hortifruti

emporio são josé

Além disso, eles tem padaria própria, e o pãozinho é fresco e feito lá mesmo. Imagina que prático: você vai ao cinema ou comprar um presente, passa ali e já pega um pão fresco e saudável pra levar pra casa.

emporio são josé

emporio são josé

Eles também tem pães italianos, super macios! Ontem eles colocaram esses petiscos para nós, estava tão maravilhoso quanto parece na foto, hehe.

Um outro destaque é a parte do açougue, com carnes premium Angus. Esse é realmente um ponto de destaque e de muita atenção por parte da organização do Empório São José. As carnes são cortadas todas na hora. E gente, que-lugar-limpo e organizadíssimo. Não tem cara de “açougão de mercadão” sabe? Dá uma vontade real e uma segurança de consumir esses produtos.

açougue empório são josé

Acabou? Não, não. Você ainda pode tomar café da manhã, almoçar, jantar ou ainda, fazer um happy hour com as tábuas de frios prontas pra levar. Tudo isso lá mesmo, com preço de mercado, como se fosse comer em casa… só que no Shopping!

empório são josé

Agora, pra fechar, vamos falar desses brownies mais maravilhosos? Vamos! Quem faz é a Di Panela, uma empresa que está há 17 anos no mercado, e no entanto eu ainda não conhecia. Bom, talvez até já tenha comido produtos deles sem saber, mas ontem eles lançaram os novos brownies da marca. Sabores: especiarias (socorro! que isso!), nutella com ninho (outro socorro!), chocolate branco, amargo e tradicional. Fica aquela super dica pra vocês conhecerem essa marca. Eles tem tortas e outros produtos que estarão disponíveis lá no Empório São José.

brownie di panela

O Empório São José fica no Shopping Crystal, no piso L1 (aquele do cinema), e funciona de segunda a sábado das 8h às 22h e domingos e feriados das 9h às 20h. Para quem vai fazer compras ali, o estacionamento é gratuito tanto no shopping quanto no estacionamento lateral ao lado da Pizza Hut. Válido para o período de 1h e compras acima de R$ 70.

emporio são joséE o que são os números dos caixas? Olha que lindo!

O que levar para o Chile: documentos, roupa e umas coisinhas a mais

Chile: pertinho, fácil, gente amigável, cotação ok (mas lá está um pouco caro) e lindo demais! Já falei aqui do que você precisa saber pra viajar de carro pelo país, e hoje vão mais algumas dicas sobre o que levar para o Chile no quesito documentação necessária pra entrar tranquilo lá e não passar nenhum tipo de perrengue. Também tem umas coisinhas extras no final do post. Algumas curiosidades boas de saber.

dicas chile

DOCUMENTAÇÃO

Como é um país que tem um acordo diplomático com outros países na América do Sul, você pode entrar só com seu documento de RG, ou seja, se você ainda não tem um passaporte, tá tudo bem. Só lembra que hoje em dia RG válido tem que ter no máximo 10 anos de expedição. Carteira de motorista não é válida, ok? Apenas rg e passaporte mesmo. Você usará a carteira de motorista apenas para dirigir lá, que é legal que não precisa emitir outro documento, como nos EUA ou Europa.

A imigração lá é bem tranquila também, mas lembre que não pode levar frutas, sementes, carnes, etc. Isso nunca pode levar pra lugar nenhum, tá? Lá também não, mesmo sendo país com acordos mais flexíveis para os brasileiros.

VISTO

Também não precisamos de visto para turistar por lá. É claro que, se for trabalhar ou estudar, precisará verificar a necessidade de um visto específico e prazo do mesmo. Mas para passear, tá liberado.

visto

SEGURO

Agora sim, obrigatório. Sempre que viajamos pra fora do país, é necessária a emissão do seguro. Isso é algo bom pra você mesmo. É a forma que você tem de ter assistência rápida e eficaz fora de casa.

Alguns países (tipo Europa e EUA) vão exigir isso logo na imigração. Geralmente eles pedem esse documento junto com os outros. No caso do Chile, nunca me pediram na entrada. Mas, por via das dúvidas, sempre levo junto tudo.

Seguro aqui pra América do Sul é baratinho e tem muitas opções de franquias e tal. Você pode dar uma olhada aqui no Seguros Promo, que é um site que centraliza cotações de todas as empresas.

seguro viagem

VACINAS

Também tá fácil nesse setor. Por enquanto o Chile não exige nenhuma vacina para brasileiros. Digo “por enquanto” porque isso pode mudar sim. Pode mudar caso haja qualquer tipo de epidemia aqui ou lá. Então é sempre bom ficar de olho.

QUE ROUPA LEVAR

O Chile é um país totalmente eclético, hahaha. Quando eu digo que tem de tudo, é porque tem de tudo mesmo! Do deserto às geleiras da Patagônia, do turismo aventureiro de trilhas e parques às visitas em vinícolas chiquérrimas, de capital efervescente e moderna a ilha cheia de História pra contar. Sendo assim, é, você vai ter que analisar bem pra onde vai e quando.

No Atacama você vai precisar de roupas de verão e de inverno. De dia muito calor, mas a noite já é mais frio, além de passeios que começam super cedo e as temperaturas são hiper baixas. Claro, na bolsa leve um biquini para curtir as águas quentinhas da região. É, to falando, 8-80.

Santiago e região já é mais cara de cidade com clima normal de cada estação. No verão é BEM quente, e no inverno é BEM frio. Não à toa uma das maiores estações de esqui da América do sul fica bem ali, o Valle Nevado.

Toda a parte ali embaixo de Santiago, até mais ou menos Chillán, segue a mesma premissa de Santiago. Com estações marcadas. Já chegando em Chillán, o verão já não é exatamente VERÃO. Na cidade em si, é quente ainda, mas o bacana da visita ali é o Valle las Trancas, um hit de inverno também. Nós estivemos no verãozão, e olha, passamos frio. Usamos cabana com lareira e pegamos temperaturas de 7º. Em pleno “verão”. Tinha sol pra ajudar de dia, mas o ar… ahhh esse ar invernal.

chile dicasFotos na mesma viagem, sentido horário: muito calor em Malalcahuello, trilha em 7 Tazas, friozinho em Pucón, friozão em Puerto Varas (tudo no verão)

Dali pra baixo, já é tudo mais frio. Mesmo Pucón, Villarica, Puerto Varas e arredores, que os chilenos vão pra curtir o verão porque é a região dos Lagos, pode ser traiçoeira. Fomos no verão e pegamos bastante frio mesmo, e também chuva. Não é o clima mais comum da época, mas também não é nada “nossa, isso nunca aconteceu”. Fique mesmo de olho na previsão de tempo por ali.

E de Puerto Varas pra baixo, é Patagônia. É inverno sempre, é neve sempre, é frio sempre, só varia se é mais frio ou um pouco menos frio. Se for fazer uma viagem como a última que fiz, saindo de Santiago e indo até Chiloé, a mala terá se der completa: biquini e pantufa.

Outro detalhe: se for visitar parques, leve roupas para trilhas. Tênis, botas apropriadas, mochila, roupa com capuz, roupa impermeável, etc. As trilhas lá tem de bem levinhas, a super profissionais de vários dias.

QUANDO IR

Se quiser curtir verão mesmo, a área é Santiago e as praias. E sim, na época do verão, que é igual que aqui. Se quiser curtir o inverno, tem 2 opções: ir para a Patagônia em qualquer época do ano, ou ir para qualquer lugar dali, na época de inverno.

Para esquiar gastando “menos” (menos porque esquiar é meio caro mesmo), pode estar tranquilo em Santiago usando Valle Nevado. Se quiser outra estação, Chillán está super legal e lindo, mas já o custo sobe, não só pelas estações e hospedagens, mas porque já vai gastar mais um pouco indo até lá.

Já na Patagônia, eu não te garanto que tenham muitas pistas para isso. Por ser um inverno muito mais pesado, talvez o turismo lá seja um pouquinho diferente e muito mais pesado e custoso.

EXTRAS

1) Interruptor de luz pra fora do banheiro

Olha, uma coisa curiosíssima e que só to escrevendo porque vimos em MUITOS hotéis, restaurantes e lugares turísticos que fomos: o interruptor fica do lado de fora do banheiro. “Ah, mas que bobeira contar isso”. Bobeira nada! Gente quantas 8392x nós entramos nos banheiros, procuramos o interruptor e tivemos que sair! Quantas!

Economiza seu tempo, já olha isso. Sério.

2) Água potável nos hotéis

Que coisa maravilhosa é o Chile e suas águas azuis! Basicamente em todos os hotéis que estivemos, a água da pia era potável. Isso significa que você não precisa gastar comprando água pra tomar no hotel e/ou gastar uma fortuna no frigobar. Vai direto da torneira mesmo. È confiável. (mas pergunta no seu hotel antes se a deles é, né)

água potável

3) Gorjetas

Então, aqui vem o caso. Lá, eles não cobram 10% nos restaurantes. Nunca. Em nenhum deles. Porém, na sua conta vem embaixo o valor sugerido ou, quando não vem, espera-se que você faça a conta.

A verdade é que você não é obrigado a pagar se não quiser, afinal, é gorjeta apenas. Geralmente eles atendem super bem, até visando isso, mas como a comida está cara no Chile, as vezes dá um peso considerável no valor. Nós tivemos 1 dia que estávamos totalmente já sem dinheiro – risos – e não pagamos em um restaurante que fomos. MEU-DEUS-DO-CÉU, só faltou o garçom intimar a gente pra briga lá fora. Foi meio tenso, mas né, não é obrigatório, naquele momento não ia rolar (porque tem que ser em cash geralmente) e fim cara. E foi bem dramático. Então saiba, ou paga ou vai rolar um clima meio tenso.

cambio-peso-chileno-dolar

4) Couvert sempre incluído

Ainda no quesito “restaurante”, uma coisa que achei fantástica é que o couvert não é cobrado. Bem, quer dizer, certamente tem um valorzinho embutido lá na sua refeição, mas pedindo ou não, você não altera o valor final. Então… que venha o couvert!

Sempre vem, sempre gostoso e não é esses absurdos daqui sabe, que vem UMA cestinha com 1 pão pra cada um e cobra-se R$ 7 por pessoa na mesa. Ridículo. Lá não tem isso. Pode comer o que vier na mesa que é seu e não é cobrado a mais não.

chile dicas

RESUMÃO DE O QUE LEVAR PRO CHILE:

– Passaporte ou RG

– Carteira de motorista se for dirigir

– Seguro viagem

– Dinheiro em espécie para gorjetas

– Roupa adequada para cada região

Mais sobre o Chile:

– Roteiro Chile: 17 dias de carro 

– Quanto custa viajar de carro pelo Chile

– Dirigir no Chile: tudo o que você precisa saber

Vantagens e desvantagens de fazer uma viagem de carro pelo Chile

– O que fazer em Santiago

– Onde se hospedar em Santiago: 4 opções testadas por nós

– Aluguel de carro no Chile

– Vinícolas no Chile: Viña Miguel Torres

– Vinícolas no Chile: Viña San Pedro 

– Vinícolas no Chile: Concha y Toro

– Museu de Colchagua em Santa Cruz, o maior museu privado do Chile 

– Onde de hospedar no Valle del Colchagua e o que fazer

– Parque Nacional 7 Tazas e onde se hospedar para visitá-lo

– Chillán no verão!

– O que fazer em Pucón, Villarica e região

– Onde se hospedar em Pucón: Glamping Pucón, único acampamento de luxo do Chile

– Onde se hospedar em Pucón: Hotel Boutique Casa Establo

– Artesanato chileno: o que comprar de legal

– O que fazer em Puerto Varas e região

– Onde se hospedar em Puerto Varas

– Como chegar e o que fazer na Ilha de Chiloé

– Uma parada em Valdivia

– O que fazer na região de Malalcahuello e onde se hospedar

– Termas de Malleco e Parque Tolhuaca

– Salto del Laja, passeio gratuito no meio do Chile

– Valle Nevado no verão

– Dirigindo na montanha: Valle Nevado

– Quanto custa viajar para Santiago?

– Pega turista: restaurante giratório

– Cajon del Maipo

– Viña del Mar e Valparaíso

1 2 3 4 5 139