Não tem como não amar Veneza!

Venezia… ahhh Venezia… Não sei se posso dizer que é minha cidade italiana preferida porque adoro todo o país em questão, mas tive a oportunidade de estar 3x na cidade que está afundando, e posso dizer que meu coração bate mais forte sempre que falo nela ou vejo alguma reportagem na TV.

Por mais que você não faça nada por lá, não vá a nenhum restaurante mega importante, ou museu ou compre coisas típicas, estar em Venezia já basta. A cidade é muito diferente, muito curiosa, sem contar todas as lojas incríveis de mascaras espalhadas por quase todas as ruas do labirinto veneziano.

veneza

Minha primeira vez na cidade foi com meus pais. Ficamos hospedados em Mestre (parte da cidade que é no continente), pois andar com malas pela ilha é algo meio tenso. Para ir do continente até a ilha, tem um ônibus que custa 4 euros ida e volta, e a viagem leva 10 minutos no mááááximo. A cidade é entupida de turistas. Muitos brasileiros e muitos americanos, por todos os lados. Tirar foto nos lugares turísticos (ou seja, a cidade toda) pode ser uma aventura.

venezia

Me apaixonei perdidamente pelas máscaras. Queria levar todas, mas não tenho dinheiro para isso, hahaha. As peças feitas de vidro de Murano também são lindas, e típicas da cidade. Mas tem que ter cuidado para trazer, pois é vidro, e tipo, quebra. (Murano é uma ilhazinha pertinho da ilha de Venezia, existem passeios para lá e para Burano, outra ilha, custam 13 euros).

venezaMontando pro Carnaval!

Para ir de um lado para o outro você tem duas opções, ir a pé ou pegar um Vaporetto, um ônibus marítimo, meio de transporte mais utilizado pelos venezianos e custa em torno de 3 euros a passagem. Funciona exatamente como um ônibus e tem varias paradas. Também existem os táxis venezianos, que são lanchas que te levam com exclusividade para os lugares (mesmo sistema de táxi normal).

Outra coisa que não dá para perder, é comer um pedaço de chocolate nas ruas. São vendidos em varias banquinhas e confeitarias, e custam 2,50 euros, mais ou menos. Em todos os lugares na Itália, tem carrinhos que vendem nozes com chocolate. É bem comum ver os italianos comendo isso.

veneza

Os pontos turísticos típicos são indispensáveis: Piazza San Marco, a Basílica de San Marco e o Campanário logo a frente, a Ponte dos Suspiros, Museo Accademia e a Ponte de Rialto, com sua feirinha de artesanato.

Você deve estar se perguntando sobre as gôndolas, certo? Pois então, elas existem em todas as partes, mas eu achei um passeio meio caro, acho que era uns 40 euros ou algo assim…. Achei melhor passar, não só pelo preço meio abusivo, mas também porque os canais são meio fedidos… a água que passa por lá não é limpinha.

Lá tem um museu Guggenheim, mas quando chegamos era meio tarde e estava fechando, não pude entrar, mas a lojinha de presentes e a entrada é bem bonita!!!

veneza

A segunda vez foi com amigos, para o Carnaval. Vou falar dele mais adiante, com mais especificações e detalhes, mas só pra dar um gostinho, deixo registrado que achei que seria diferente, mais animado e tal… A festa é meio que silenciosa, você não escuta musica nas ruas. Fiquei sabendo que as festas são fechadas, apenas para convidados, mas como não sou da realeza, não fui convidada. E se a cidade já é cheia normalmente, no carnaval estava entupida. Mais detalhes em breve.

Se você ficar hospedado muito tempo na cidade, e quiser visitar cidades vizinhas, sugiro Verona (o trem mais barato custa em torno de 14 euros ida e volta), a viagem dura 1h10; ou Milão (o trem custa em torno de 30 euros ida e volta na segunda classe e 44 euros na primeira) e a viagem dura 3h30.

Mais informações sobre horários e preços consulte Trenitalia.

venezaNo carnaval mais frio e chuvoso de sempre, mas na melhor cidade!

Um primeiro oi – 2 em 1

Então tá. Vamos começar?

Viagens, preços, dicas, restaurantes, compras. Tudo o que for relacionado à viagens que nós aqui do Finestrino somos viciaaaaadas. Vamos contar nossas experiências mundo afora, além de trazer convidados para escreverem sobre os lugares que (ainda) não fomos e não podemos contar pra vocês.

Não somos jornalistas, somos duas designers gráficas que aproveitam qualquer oportunidade para viajar. Também não viajamos no luxo, fazemos de tudo apenas para chegar aos lugares, o que dá um toque de aventura a cada novo lugar que conhecemos.

Vamos fazer de tudo pra contar o bom e o ruim, o indispensável e o dispensável, o caro e o barato de cada cantinho do mundo!

E aí? Pronto pra conhecer novas culturas com a gente?

1 308 309 310