Bate e volta para Lapa: o que fazer e onde comer

Finalmente cheguei na última parada da nossa viagem de carro pelo Paraná, a Lapa! Ufa! Eu estive na Lapa ano passado para uma apresentação de tango, mas nessa viagem não deu pra ver e nem fazer nada, foi um bate e volta a noite mesmo e só ficou um gostinho de “quero conhecer essa cidade”. Acho incrível como a gente não vai visitar os lugares aqui tão próximos, né? É aquela coisa de “tá aí, qualquer dia eu vou…” e a gente nunca vai!

A Lapa, assim como muitas outras pequenas cidades e atrações do Paraná, pode ser um destino para bate-volta saindo de Curitiba, já que fica a apenas 65km da capital. Dá tranquilamente pra visitar tudo, comer bem, passear, distrair.

lapa estátua

A cidade é histórica e muito importante, pois foi lá que aconteceu o Cerco da Lapa, uma batalha militar contra o avanço de tropas contrárias à República na revolução de 1894. A Lapa conta com o maior conjunto arquitetônico preservado do Estado e tem mais de 250 casas tombadas pelo Patrimônio Histórico!

lapa

O QUE FAZER

A Lapa é uma cidade toda histórica, e o bacana é justamente passear no seu centrinho histórico que abriga, além das lindas casas antigas, alguns museus bem interessantes. O que é muito legal é que você paga R$ 3 para visitar os 3 museus históricos, que ficam todos na mesma rua.

lapa museus

Teatro São João

Você pode começar a visita aqui, no teatro que fica na praça principal. Ele é uma gracinha, tanto por fora quanto por dentro. Ele é de 1873 e recebeu D. Pedro II, inclusive tem um camarote com placa exclusiva pra ele.

teatro são joão

Lá cabem cerca de 200 pessoas e na época do cerco serviu como uma enfermaria. Ele está todo conservado e hoje recebe vários eventos culturais na cidade.

lapa teatro

Museu Histórico

Aqui você encontra tudo sobre a história da Lapa e do cerco. Para visitarmos é preciso colocar um chinelo especial, para que os sapatos não estraguem o chão. Só cuidado pra não cair, o negócio fica super liso!

lapa museu histórico

Lá tem documentos, utensílios, armas e muitas outras coisas pessoais de General Carneiro. Este museu fica ao lado do Teatro

Museu de Armas

Seguindo um pouco na mesma rua, coisa de 2 quadras, chega-se à Casa da Câmara, antiga cadeia da cidade que hoje abriga o Museu de Armas.

O local era uma cadeia, virou escola, mais tarde foi reformado novamente para parecer com a antiga cadeia e hoje abriga o museu e a Casa da Câmara da cidade. É legal ver que o edifício é efetivamente utilizado! Como o nome já diz, neste museu encontramos as armas usadas na Revolução e no período do Império.

lapa museu de armas

O que achei bem legal dos 3 museus é que todos tinham pessoas dando explicações e respondendo perguntas dos visitantes. Muito atenciosos e prontos para os turistas. Vale ressaltar que todos fecham nas segundas feiras!

Panteon dos Heroes

Seguindo ainda a pé, é possível visitar o Panteon. O lugar é lindo, um jardim muito bem cuidado e uma homenagem aos que participaram do cerco. É aqui que ficam os restos mortais de General Carneiro.

lapa panteon de heroes

Os canhões da entrada são originais!

Casa da Memória

Essa casa/museu fica ao lado do Panteon e a entrada é gratuita. Ela também é conhecida como a Casa dos Cavalinhos, por conta dos desenhos da entrada. Bom, na verdade tem toda uma história por trás dos cavalinhos, que é contada na visita à casa. Vou deixar essa parte pra sua visita, hehe.

Igreja de Santo Antônio

Essa igrejinha fica na pracinha principal do centro histórico, quase em frente ao Teatro São João. Ela é o prédio mais antigo da cidade, tombado desde 1938.

lapa igreja

Parque Estadual do Monge

Todos os passeios acima dá pra fazer a pé, mas para chegar ao Parque é preciso ir de carro, ele fica mais afastado do centro. Ele recebe esse nome porque lá vivia um antigo monge da cidade, João Maria D’Agostinis. A gruta que ele vivia ficou conhecida como Gruta do Monge.

O parque tem entrada gratuita e o passeio não é tão demorado. Na entrada é possível parar no mirante e observar toda a cidade.

lapa parque do monge

Mais a frente fica a real entrada do parque, e podemos caminhar um pouco até a gruta. A estrutura toda é simples e a caminhada é tranquila, não tem sofrência aqui apesar dos degraus e pedras no trajeto.

ONDE COMER

Pude conhecer 3 restaurantes na Lapa, então vou deixar todas as opções aqui. Todos eles ficam bem próximos, no centrinho e dá pra chegar a pé em todos partindo dali.

Expedito

Nesse lugar fizemos o show de tango um tempo atrás. O espaço é lindo e tem várias opções de pratos. De todos os que fui, esse é, com certeza o mais “gourmet”. Gostei bastante de lá, e na ocasião comemos uma pizza. Eles tem almoço executivo durante a semana também.

Serviço: R. Amintas de Barro, 260 – Centro

Lipski

O Lipski fica 2 quadras pra baixo da rua principal do centrinho histórico, super fácil chegar. Lá você encontra comida típica, caseira, simples e gostosa. Lá o buffet é livre, e o preço fica mais ou menos R$ 35-40 dependendo das bebidas. Alguns dizem que é o melhor da cidade, mas eu não concordo. Ele é gostoso sim, mas não pra ser o melhor. O Casarão (abaixo) achei bem mais interessante e em um espaço mais bonito.

Serviço: Avenida Manoel Pedro, 1855 – Centro 

O Casarão

Outra opção bem legal para o almoço é O Casarão, que fica em frente ao Museu de Armas. Ele fica em um casarão histórico e gostei bastante da decoração na entrada, adoro essas coisas antigas:

restaurante lapa casarão

Lá o buffet é livre e custa R$ 33 por pessoa. São diversos pratos entre o básico arroz, feijão e farofa, opções de massa, polentas, saladas e carnes variadas. Estava delicioso, todo mundo gostou e repetiu. Ainda neste valor estão inclusas as sobremesas.

lapa casarão

Serviço: Alameda David Carneiro, 307 – centro

barra

Intercâmbio na Romênia: a experiência AIESEC de Adrielle Farias

Eu adoro (a-do-ro) conhecer leitores por aí. Quando fui pro Acre, tive o prazer de conhecer a Adrielle, aquela pessoa maravilhosa que fez um video sobre o Acre com a música da Katy Perry. (se você não entendeu nada do que falei, clica aqui).

E ela foi tão querida que me levou pra conhecer Rio Branco junto com a família, e no fim ficamos amigas. Recentemente ela fez um intercâmbio na Romênia, foi para Cluj-napoca com o AIESEC e, acompanhando as postagens dela, achei que seria interessante que ela contasse aqui pra vocês também. Ela é nossa convidada no post de hoje e conta tudo sobre essa experiência em um país tão diferente!

———- X ———-

“Não sei explicar exatamente quando surgiu minha vontade de fazer um intercâmbio. Talvez tenha sido despertada logo após eu começar a estudar inglês ou talvez com as leituras frequentes que eu fazia em blog de viagens, incluindo o Finestrino (derretemos agora). Sempre pesquisei muito sobre o assunto e países como os Estados Unidos, Canadá e Austrália eram meus favoritos. Com o tempo, os meus padrões internos sobre o que seria um “intercâmbio perfeito” mudaram e eu comecei a abrir meus olhos para outras oportunidades como, por exemplo, as da AIESEC.

Conheci a AIESEC por acaso nos blogs de viagens que lia e logo me despertou interesse. A AIESEC é uma organização movida por jovens universitários e tem sede em diversos países, incluindo o Brasil. O lance é o seguinte, você tem três opções de intercâmbio:

  1. Empreendedor global (voluntário) – trabalhar com Startups;
  2. Talento global (remunerado) – estagiar na sua área;
  3. Voluntário global – trabalho social em diversas áreas.

Romênia intercâmbioCaminho para o dormitório Hasdeu

A minha opção desde o início sempre foi a de voluntário global, o tempo de viagem varia de projeto para projeto, mas em média são 2 meses, o que era ideal para não perder aulas na faculdade. A busca pelo meu projeto social então começou no site de oportunidades da AIESEC. Minhas pesquisas me levaram a dois países: República Tcheca e Romênia. Mas sabe quando seus olhos (ou o seu coração) sentem que deve ser AQUELE projeto? Foi assim que aconteceu comigo, meus olhos sentiram isso e não demorei muito para aplicar para um intercâmbio na Romênia.

Primeiramente, você faz uma entrevista com a AIESEC brasileira. No caso, a AIESEC mais próxima a mim era a de Manaus e foram eles que me deram suporte antes e após a viagem. Em seguida, a AIESEC do país escolhido entra em contato com você para fazer uma entrevista via Skype, indo de perguntas básicas como “onde você mora? ” até “o que você faria se uma criança fizesse birra durante sua aula?”. Além disso, também é necessário pagar uma taxa de R$ 1.500 para a AIESEC brasileira. Alguns projetos podem pedir colaboração relacionada a acomodação, por exemplo. No meu caso, paguei 50 euros quando já estava na Romênia.

romênia intercâmbioAs montanhas da reserva de Cheile Turzii, em Turda

Depois de todo esse processo, eu já estava aplicada para o projeto “Discover Schools” em Cluj-napoca, na Romênia, e já podia começar as preparações para a viagem. A organização da Romênia criou um grupo no Facebook onde estavam todos os internacionais para o inverno, naquela época três projetos eram administrados por eles. Por um lado, foi muito bom, estava em contato com pessoas de todo o mundo tão ansiosas quanto eu para a viagem.

Cluj-napoca é uma cidade universitária, ou seja, existem muitos jovens e você nunca está sem nada para fazer. O nosso tempo era bem dividido entre o trabalho voluntário e atividades culturais durante a tarde (incluindo visitar os pubs da rua abaixo haha).

Aos finais de semana ou feriados, nós viajávamos para as cidades ao redor como Brasov, onde fica localizado o Castelo de Bran. Alguns projetos também incluem férias de 2 semanas, uma boa pedida para quem deseja viajar pela Europa ou pelo país de destino.

romênia intercâmbioO “central park” de Cluj-napoca

Conheça nossa coleção exclusiva de produtos para o Parque Histórico de Carambeí

Depois de alguns anos com a lojinha, e entregando pedidos para clientes no Brasil todo, esse ano começamos a criar coleções exclusivas para alguns pontos turísticos. Já fazemos produtos com tema Curitiba pra cá, vendemos em diversos pontos e lojas, e esse ano expandimos para outros lugares também!

Nossa primeira coleção exclusiva saiu para um lugar que tanto eu quanto a Mari amamos demais: o Parque Histórico de Carambeí. Ficamos muito felizes quando rolou o contato e o convite, e produzir pra lá foi a coisa mais gostosa e fácil do mundo, pois é tudo lindo demais e é muito inspirador trabalhar com um lugar como o Parque.

Coleção Carambeí 1

Na nossa coleção de souvernirs de lá entraram 9 estampas de tags, 1 caixinha MDF coisa mais fofa, 4 opções de chaveiros, os postais em MDF e ímã da tartaruguinha. Olha só:

Coleção Carambeí 2

Coleção Carambeí 3

Todos esses produtos estão à venda exclusivamente no Parque de Carambeí, ou seja, agora você tem ainda mais um motivo pra visitar esse lugar incrível, hehe!

Coleção Carambeí 4

Quanto custa viajar para Prudentópolis

Nesta categoria colocamos apenas uma base de preços, podendo estes variarem de acordo com o ano, tipo de viagem e preferências pessoais de cada viajante. Os dados contidos aqui são referentes à viagem feita por mim.

————— x —————

Ano da viagem: Janeiro e Abril de 2017

Origem e destino: Janeiro – Foz-Prude | Abril – Curitiba-Prude

Neste post vou mesclar as duas viagens, contando da saída de Curitiba e do roteiro completo em Prudentópolis, visitando todos os lugares.

prudentópolis

Gasolina e pedágios: R$ 221,60

Nessa viagem o mais caro acabam sendo os pedágios. Claro que no montante total não é o mais caro, mas é o que a gente gasta mais pra fazer nada e tem que gastar porque não tem jeito.

No trajeto Curitiba-Prudentópolis, gastamos R$ 160,00 e R$ 61,60 (ida e volta). Isso para um carro com 4 pessoas, ou seja, no final cada um gastou R$ 55,40 nessa parte.

Nesse valor aqui também contabilizo a gasolina que usamos para andar lá em Prudentópolis. Pra ir e vir das trilhas, você faz tudo com seu próprio carro. Então aqui entrou esse gasto de gasolina também. Apesar dos trechos serem longos – porque as estradas são ruins – são curtos em quilometragem, então não gasta muito.

Dias de estada: 4 dias e 3 dias completos

Estou contando aqui os valores que gastei nas minhas 2 viagens pra Prude. Na primeira vez, ficamos 3 dias completos e 4 noites. Deu pra ver bastante coisa, mas ainda faltou. Eu fiz aqui o post com o roteiro dessa viagem.

Na segunda viagem, ficamos 2 dias. Pegamos o feriado de Tiradentes e ficamos sexta a tarde, sábado completo e saímos no domingo de manhã, pra evitar a estrada tão cheia no fim da tarde.

barão do rio branco prudentópolis

Tipo de viagem: moderada

O bom de Prudentópolis é que é um destino bem econômico. Para visitar as cachoeiras paga-se normalmente R$ 10 de entrada apenas. Não é uma cidade com grandes atrativos turísticos além desses e a comida é super barata e bem servida.

Hospedagem: R$ 1.080,00 casal

Aqui contabilizei as 6 noites juntando as duas viagens que fiz pra lá, no quarto para casal. Dividindo por pessoa, R$ 540 para ficar 6 noites no Hotel Elite, que falei aqui.

barão do rio branco prudentópolis

Alimentação: R$ 300,00

Comer em Prudentópolis é super barato. Seja no hotel, nas reservas ou em restaurantes da cidade, é tudo muito econômico.

Aqui estou contabilizando almoço e jantar por pessoa para 5 dias, e ainda uns extras como sorvete e águas para as trilhas. Ou seja, se fosse pra dividir por refeição, ficaria em torno de R$ 30,00 cada. (mas não foi isso, tinha dias que gastávamos cerca de R$ 17-20 e em outro seus R$ 35. Fica apenas como base de cálculo)

prudentópolis chalé costenaroChapa de carnes e queijos do Chalé Costenaro. Almoço livre com buffet

Ah, vale ressaltar que em todos os lugares comemos super bem. Hamburguer grande, pizza grande, buffet livre no Recanto Perehouski e no Chalé Costenaro, pratos enormes no Elite Palace Hotel, super refeição no Chapa Quente. Nada que vá nem de perto te deixar com fome, viu?

Passeios: R$ 150,00

Os passeios em Prudentópolis são todos muito baratinhos. Basicamente paga-se para entrar em algumas reservas para visitar as cachoeiras, e se for fazer alguma atividade extra como a tirolesa e rapelesa no Ninho do Corvo, ou o rapel no salto Sete, paga-se a parte.

Esses valores de passeios são bem variáveis. Eu coloquei aqui o que EU gastei nos passeios que fiz. No total das duas viagens eu visitei 7 cachoeiras, fiz 2 atividades no Ninho do Corvo (R$ 115 e falo disso tudo neste post) e visitei o Museu das Irmãs, que custa apenas R$ 4. É o que está contabilizado aqui, ok?

prudentópolis ninho do corvo

Caso você contrate guias, outros passeios de aventura ou ainda mais cachoeiras, o valor irá mudar.

Compras: R$ 0

Acho bem difícil que você faça compras nesse destino. É claro que até tem uma coisinha ou outra no centrinho, talvez no Museu das Irmãs, mas no geral esse não é um destino de compras e também você não encontra quase nada de souvenirs. Eu não comprei nada em nenhuma das duas viagens, por isso mantenho essa conta no zero.

Total da viagem: R$ 1.045,40

Para 6 dias completos, com tudo incluso, visitas, passeios, muitas refeições, você pode contabilizar R$ 1.000. É claro que esse valor pode variar com os lugares que você escolher pra comer, com a quantidade de pessoas no carro (se tiverem só 2 o gasto vai ser maior, mas se estiverem em 5, já vai diminuir), se você vai escolher fazer os passeios mais radicais como o rapel e claro, se for comprar algum souvenir ou comida pra trazer pra casa.

Se for pensar, 6 dias já é uma viagem de uma semana com tudinho incluso por mil reais. É um destino bem econômico e que vale demais a pena!

mlot prudentópolis

OUTROS POSTS SOBRE PRUDENTÓPOLIS:

- Dicas de Prudentópolis: como ir, onde ficar e onde comer

- Roteiro em Prudentópolis: 3 dias completos

Como são as trilhas de Prudentópolis

Tirolesa e rapel em Prudentópolis: conheça o Ninho do Corvo

- Dicas para trilhas

Hospedagem no sul da ilha de Florianópolis: Pousada Vila Tamarindo

No começo do mês, participei da #ExpedicaoFloripa, uma expedição fotográfica que reuniu 8 blogs de viagem em Florianópolis para explorar a ilha na companhia do fotógrafo Zé Paiva, que nos orientou com muitas dicas de fotografia e nos levou a lugares lindos. Durante a expedição, ficamos hospedados no sul da ilha de Florianópolis, na Pousada Vila Tamarindo.

A Pousada Vila Tamarindo fica na praia do Campeche. Já fazia muito tempo que eu queria conhecer melhor essa parte da ilha, então achei que a Vila Tamarindo é uma boa opção para quem tem o mesmo objetivo, pois tem fácil acesso para explorar as outras praias do sul de Florianópolis.

ACOMODAÇÕES

A Pousada Vila Tamarindo conta com opções de hospedagem para até 6 pessoas, divididas em suítes de luxo, suíte master, chalé privativo, que fica isolado das demais acomodações, e apartamento standard. Nós ficamos na suíte luxo para 3 pessoas, com um quarto bem espaçoso e com varanda.

Vila Tamarindo sul da ilha de florianópolis

Na pousada não tem sinal de celular, mas tem wi-fi nos quartos e nas áreas comuns.

CAFÉ DA MANHÃ

O café de manhã conta com boas opções de frutas, pães e bolos, mas preciso confessar que depois que eu comi o pão de queijo, dispensei todas as outras coisas. Os mineiros que me desculpem, mas o melhor pão de queijo que eu já comi na vida foi na Vila Tamarindo em Florianópolis.

Vila Tamarindo Hospedagem no sul da ilha de florianópolis

PARA RELAXAR

Quem busca conhecer o sul da ilha de Florianópolis, tem que saber que o ritmo é completamente diferente do norte. Aqui as pessoas buscam mais paz, tranquilidade e contato com a natureza. E é exatamente isso que você vai encontrar na Pousada Vila Tamarindo: área verde com plantas nativas e vários cantinhos para relaxar com redes e espreguiçadeiras.

Hospedagem sul da ilha de florianópolis vila tamarindo

Para quem quiser ir mais à fundo no relaxamento, a Vila Tamarindo também oferece aulas de yoga gratuitas para os hóspedes. Infelizmente, dessa vez meus horários não bateram com os das aulas, mas deve ser muito bom fazer uma aula de yoga para começar bem o dia antes de sair para as praias.

Hospedagem no sul da ilha de florianópolis vila tamarindo

A pousada ainda conta com um spa que oferece serviços adicionais de massagens, banhos relaxantes, reiki, reflexologia, entre outros.

Vila Tamarindo hotel sul da ilha de Florianópolis

QUANTO CUSTA

O valor da diária na Vila Tamarindo varia de acordo com a época do ano e tamanho do quarto. No quarto onde ficamos, o valor para o casal é a partir de R$190,00 

rodapé hotel

LOCALIZAÇÃO

Av. Campeche, 1836 – Campeche
Telefone: +55 (48) 3237 3464

BLOGS PARTICIPANTES DA EXPEDIÇÃO
 
Coisos on the go * Com os Pés no Mundo Cris pelo Mundo * Finestrino * Idas e Vindas da Carol * O Baú do Viajante * Tô Pensando em Viajar * Viagem em Detalhes 
expedição floripa

1 2 3 4 5 6 308