Pega-turista: Restaurante Giratorio em Santiago

Sabe aquelas pessoas que sempre caem em armadilhas pega-turista? Pois bem, eu sou uma delas. Na maioria das vezes, caio propositalmente, porque acho algumas dessas armadilhas bem legais mesmo, tipo fazer uma viagem no tempo com direito a carimbo no passaporte como se eu tivesse cruzado o Checkpoint Charlie e ir à uma ópera em Viena cheia de gente fantasiada de Mozart.

Mas com o tal do Restaurante Giratorio em Santiago foi um pouco diferente. Eu sabia que era uma armadilha e eu estava com receio de ir, mas decidi ir porque minha mãe e minha tia nunca tinham ido a um restaurante giratório. A equipe mais legal do hotel mais amigável que já me hospedei na vida fez a reserva para mim (nem pense em aparecer por lá sem reserva porque você não vai conseguir entrar) e fomos.

restaurante giratorio santiago

Logo antes de entrarmos já rolou um estresse. Tinha uma fila grande esperando para pegar o elevador e o cara que estava na recepção começou a surtar perguntando quem tinha reserva. Imagino que isso aconteça porque muita gente acaba indo sem reserva. Na hora pensei “esse cara está destoando do padrão de qualidade de atendimento dos chilenos”, mas depois fiquei pensando que não deve ser fácil lidar com um monte de gente querendo entrar no restaurante sem reserva.

Chegamos cedo e conseguimos pegar uma mesa na ponta, porque é melhor sentar perto da janela de um restaurante giratório do que no miolo. Também escolhemos chegar cedo porque queríamos ver a paisagem de dia e a noite.

restaurante giratorio santiago

Depois de ter conhecido a região de Cajón del Maipo e de ter dirigido na montanha, confesso que a vista panorâmica do restaurante não me animou muito. Eu estava ansiosa mesmo era pela comida, principalmente porque nos primeiros dias não conseguimos comer decentemente por causa do corte de água da cidade. Mas foi justamente a comida que deixou a desejar. Não que ela estivesse ruim, mas eu esperava mais, principalmente pelo preço. A verdade é que a comida estava bem sem graça mesmo. Sem tempero, sem sal, sem vida.

comida restaurante giratorio em santiago

Pensei que a sobremesa salvaria noite, mas também não! Nem comi a minha inteira.

restaurante giratorio santiago sobremesa

Por que eu achei o restaurante pega-turista? Porque a qualidade não é das melhores e só vale a visita pela experiência de conhecer um restaurante giratório. Portanto, se você já foi a algum restaurante giratório na vida, sugiro que conheça outras opções de restaurantes em Santiago, certamente existem outros bem melhores e mais baratos.

restaurante giratorio santiago vista

O jantar para 3 pessoas com sobremesa e bebidas custou cerca de R$250. Não é um absurdo, mas, pela (falta de) qualidade, R$180-200 estaria bem pago.

restaurante giratorio santiago quanto custa

Quer ler os outros posts sobre essa viagem ao Chile? Tem outras dicas, inclusive de um restaurante maravilhoso que almoçamos em Cajón Del Maipo: o Sabor Nativo. Bem mais barato e infinitamente mais gostoso.

Mais sobre o Chile:

– Roteiro Chile: 17 dias de carro 

– Quanto custa viajar de carro pelo Chile

– Dirigir no Chile: tudo o que você precisa saber

– Vantagens e desvantagens de fazer uma viagem de carro pelo Chile

– O que fazer em Santiago

– Aluguel de carro no Chile

– Vinícolas no Chile: Viña Miguel Torres

– Vinícolas no Chile: Viña San Pedro 

– Vinícolas no Chile: a clássica Concha y Toro

– Museu de Colchagua em Santa Cruz, o maior museu privado do Chile

– Onde se hospedar no Valle del Colchagua e o que fazer

– Parque Nacional 7 Tazas e onde se hospedar

– Chillán no verão!

– O que fazer em Pucón, Villarica e região

– Onde se hospedar em Pucón: Glamping Pucón, único acampamento de luxo do Chile

– Onde se hospedar em Pucón: Hotel Boutique Casa Establo

– Artesanato chileno: o que comprar de legal

– O que fazer em Puerto Varas e região

– Onde se hospedar em Puerto Varas

– Como chegar e o que fazer na Ilha de Chiloé

– Uma parada em Valdivia

– O que fazer na região de Malalcahuello e onde se hospedar

– Termas de Malleco e Parque Tolhuaca

– Saltos del Laja, um passeio gratuito no meio do Chile

– Valle Nevado no verão

– Dirigindo na montanha: Valle Nevado

– Quanto custa viajar para Santiago?

– Pega turista: restaurante giratório (esse!)

– Cajon del Maipo

– San Jose del Maipo: a mini cidade entre montanhas

– Viajando com Muprhy: Santiago

– Hotel em Santiago: Ibis Providencia, o meu preferido

Hotel em Santiago: Alcala del Rio

– Restaurante em Cajon del Maipo: Sabor Nativo

Comentários

comments

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.