Sharm el Sheikh, um mergulho no mar vermelho no Egito

Quem aí já ouviu falar de Sharm el Sheikh, uma cidadezinha na costa do mar vermelho do Egito? Eu não conhecia esse paraíso de resorts e águas azuis até decidir ir para lá meio que na louca. Eu e as duas meninas que dividem apartamento comigo em Dubai (uma australiana e outra espanhola) tínhamos uns dias de folga juntas e havíamos planejado ir para Hikkaduwa, uma praia no Sri Lanka. Horas antes do voo, resolvemos checar a previsão do tempo e vimos que era de chuva. A maravilha de se trabalhar em uma companhia aérea são os descontos em passagens e poder cancelar e comprar a qualquer momento.

Após algumas horas (em plena madrugada e com muito sono) analisando quais outros lugares poderíamos ir, a australiana vem com a ideia de Sharm el Sheikh. Sharm what? Egito? Com toda essa onda de protestos e alertas para turistas? Pesquisando um pouco mais vimos que Sharm el Sheikh era o único lugar sem nenhum tipo de alerta e seguro para ir no Egito. E quando vimos o nível e preço dos hotéis, é para lá mesmo que decidimos ir.

Vista de Sharm el Sheikh do avião

Pra você ter ideia do que estou falando, pagamos 53 dólares a diária por quarto para ficar num resort 5 estrelas mais ou menos assim:

Sharm el Sheikh é formado praticamente por resorts de luxo. Pra chegar até lá voamos até Cairo e depois voo direto para Sharm. Não sei se pagamos tão barato assim por ser fora de temporada e no meio de uma crise, ou se foi uma bela promoção do Expedia (compramos o deal de passagem aérea + hotel), mas ouvi dizer que os preços dos resorts por lá são baixos mesmo. O hotel que ficamos foi o Sunrise Grand Select Arabian Beach Resort. Tinha incontáveis piscinas, tipo umas 18, e era enooorme. Cansava de tanto subir e descer escada para ir de um lugar a outro. Sharm el Sheikh é muito popular entre britânicos e russos, acho que éramos as únicas nacionalidades diferentes por lá.

Como fui sem expectativa nenhuma e queríamos apenas descansar num lugar paradisíaco, fui pega de surpresa com a quantidade de coisas que tinha para fazer. Alguns tours que seriam interessantes (visitar o Monte Sinai, por exemplo) estavam fechados por causa da situação no Egito.

Mas isso não foi problema, já que snorkel e mergulho são as principais atrações. Inclusive, Sharm el Sheikh é considerado o segundo melhor lugar no mundo para mergulhar, atrás apenas da Grande Barreira de Coral, na Austrália. Eu nunca tinha feito scuba diving na vida, e pra falar a verdade, nunca me interessei. Mas né, já que estava lá tinha que tentar! E posso falar? AMEI! O mundo subaquático é simplesmente incrível e viciante! E mesmo para quem não gosta ou não pode fazer (eu não sei se posso fazer de novo, pois tive tanto problema depois, com ouvido e labirintite, que acho que uma vez foi o suficiente e já me traumatizou) snorkeling já é o suficiente para se sentir um visitante no mundo de Ariel.

Fizemos dois dias de passeios aquáticos. O primeiro foi para Ras Mohamed Island, e em uma das paradas fiz o meu primeiro mergulho, acompanhada de um instrutor que nos segurava o tempo todo. É um pouco difícil para aprender a respirar com aquela máscara, mas depois que pega o jeito vai tranquilo.

No segundo dia fomos para Tiran Island, onde passamos por um barco russo encalhado há mais de 30 anos e paramos para mergulhar na barreira de corais mais linda que já vi. Sério, depois dessa, qualquer mergulho de snorkel vai ser sem graça, a não ser que seja nos destinos tops para isso! Algumas fotos com minha câmera à prova d’água que se revelou o investimento mais divertido que já fiz!

Essa concha enorme já estava morta e foi o guia que pegou. Não pode tocar em nada, apesar que vi uns turistas desobedientes tentando roubar um pedaço de coral.

Fiquei encantada com esse pedaço do Egito. Infelizmente não tive tempo de ir até as pirâmides (e nem planejei isso porque fiquei assustada com as coisas que li na internet, e depois os locais todos falavam que estava tranquilo para ir até lá e que a mídia, como sempre, exagerava). Fomos super bem recepcionadas em todos os lugares que fomos e fiquei impressionada com a paixão e cuidado que eles têm com os passeios de mergulho, Os instrutores amam o que fazem (também, como não amar?) e tinham muito respeito pela natureza. Espero que sejam todos assim, não apenas os que conhecemos. Muitas barreiras de corais por aí foram tão destruídas pelo turismo que o que se vê é um cemitério de corais. Triste, né?

Se você tem uma viagem planejada pelo Egito, ou até mesmo Israel, super recomendo terminar sua viagem relaxando em Sharm el Sheik, esse paraíso no mar vermelho e desconhecido por nós brasileiros. O pessoal do mergulho falou que fui a primeira brasileira que conheceram. Tá certo que é bem longe pra gente, mas vale a pena dar um “pulinho” lá se estiver pela região.

Comentários

comments

16 Comments on Sharm el Sheikh, um mergulho no mar vermelho no Egito

  1. Debora Garcia
    11 de dezembro de 2013 at 15:57 (4 anos ago)

    Milena, OBRIGADA por compartilhar esse lugar incrível. Eu estou me mudando pra Arábia, serei quase sua vizinha, e estou procurando lugares para mergulhar com cilindro no Mar Vermelho. Graças a você, acabei de encontrar O lugar! rsrs Assim que tiver meu Iqama vou comprar as passagens para Sharm el Sheikh. :)

    Responder
    • Milena Kroeff
      Milena Kroeff
      11 de dezembro de 2013 at 16:48 (4 anos ago)

      Debora! Voce vai AMAR Sharm. Eu queria muito voltar lá e explorar mais o mar vermelho, mas tenho muito medo por causa dos meus problemas com sinusite e ouvido que apareceram depois. Tem vários spots de mergulho pela região e os hotéis são maravilhosos pra relaxar também. Fico feliz por ter te ajudado, pois é um lugar lindo e merece ser divulgado.

      Responder
  2. Luiz Jr. (Blog Boa Viagem)
    16 de dezembro de 2013 at 9:49 (4 anos ago)

    Incrível a cor da água no Red Sea! Todos recomendam demais viajar pra fazer mergulho por lá, e acho que vou acabar sendo forçado de alguma maneira a mudar os planos de uma viagem futura para poder sentir um pouco dessa boa vibração aí! Abração!!

    Responder
  3. Amanda
    21 de outubro de 2014 at 23:31 (3 anos ago)

    Ola Milena,
    Li o seu post e assino embaixo, Sharm El Sheikh eh realmente um lugar fantastico! Foi o mergulho mais lindo que ja fiz.

    Responder
  4. Daniel
    10 de novembro de 2014 at 13:59 (3 anos ago)

    Oi, milena! Após eu ganhar de um suíço, uma camiseta, que fez o mergulho pelo “Sinai Divers – Diving Centers”, eu fui pesquisar sobre a Sharm El Sheikh, acabei encontrando e lendo todo o seu post. FASCINANTE!

    Responder
  5. Cassia
    18 de junho de 2015 at 20:15 (3 anos ago)

    Excelente post … Parabéns !!! Vou pra Sharm em agosto de 2015, pego um voo em Milão e desembarco direto em Sharm sheik, alguém saberia me informar se precisa de visto para ir lá??? Não irei passar pelo Cairo e pretendo ficar somente na península de Sharm. Caso seja necessário o visto, se consigo tirar no aeroporto. Muito obrigada.

    Responder
    • Ana Lúcia
      23 de junho de 2015 at 13:28 (3 anos ago)

      Olá Cássia, sim precisa de visto. Estarei lá se tudo der certo também em Agosto, de 3 a10, e a agencia de viagem vai tratar do visto. Não sei onde se pede o visto mas deve ter haver com a embaixada. Tem que tratar com tempo. Pelo menos quando um amigo meu foi para Angola ele esperou algum tempo pelo visto. No caso de viagens deve ser (creio eu) mais rápido. Espero ter podido ajudar.

      Responder
      • Cássia
        12 de julho de 2015 at 0:15 (3 anos ago)

        Muito obrigada pela resposta Ana Lucia e boa viagem para nós … divirta-se .. fico um pouco apreensiva em virtudes dos ataques que estão acontecendo … mais vai dar tudo certo !!!

        Responder
        • Ana Lúcia
          29 de setembro de 2015 at 11:17 (2 anos ago)

          Cássia, espero que tenho gostado da sua estadia, eu nem por isso, mas medo dos atentados, não tive e como certamente pôde ver lá, a segurança é serrada :) Deixei minha opinião abaixo em jeite de alerta, pois não admito que nos enganem dessa maneira, como se fosse trouxas…
          Fique bem

          Responder
  6. Ana Lúcia
    29 de setembro de 2015 at 11:13 (2 anos ago)

    Vou dar a minha opinião em jeito de alerta, pois fui este na, agosto de 2015, a Sharm el sheikh, fiquei em Hadaba, decidimos fazer um passeio, como fomos dissuadidos para não fazer o que gostávamos, mas sim este que acabamos por fazer, como sendo um dos melhores. Fomos então a Dahab (90 Kms de onde estávamos) o passeio incluia, ida de jipe, uma parte a pé, visita a um acampamento beduíno, montar um dromedário, mergulhar para ver os corais e finalmente ver o Blue Hole. Por 65 euros por pessoa. Pagamos portanto 130,00€ para o casal, fomos 3 casais no jipe. Tínhamos uma folha informativa que garantia que os passeios da Ego-travel e Meeting Point, incluía tudo no preço, nem mais taxas nem mais nada a pagar. Mentira. O prometido foi isso, na realidade, no acampamento beduíno ofereceram um chá, mas depois pedem para se comprar coisas (é claro que é facultativo, mas pintam-vos um senário de pobreza tal que acabamos por comprar acessórios ou chá mais caros do que em qualquer lugar). Montar o dromedário, 500 Metros, nem mais um e ainda pedem 2,00€, Vamos para o mergulho e espanto, pedem 28,00, para alugar o equipamento. Reclamei á chegada e claro foi erro do colaborador que vendeu os passeios, como se isso não estivesse garantido na folha deles. Tenho tudo para comprovar o que disse, Reclamação, e provas, e claro até a resposta da ego-travel. Mas para colocar a cereja em cima do bolo no fim o guia descaradamente pede gorjeta. (outra que é facultativo) mas que fariam… Eu dei 5,00, mas se somar o passeio não fica por 130,00€ e sim por 160,00.(obrigatórios) Portanto tomem nota de se certificarem que estão ao corrente dos valores todos antes de efetuarem o passeio. Ou seja os 130,00 deve ser só para o combustível, porque os guias levam as gorjetas e tudo o resto devemos pagar. E ao contrário de muitas pessoas, o nosso hotel não fazia jus as 5* (mas aí foi escolha nossa) e nem sou muito exigente eu até voltaria ao hotel, mesmo só lhe dando 3*. O que não gosto é que “atropelem” a minha inteligência. Desculpem a forma fria de falar, mas foi assim que interpretei. Os “laparotos” pagam e nem bufam. 

    Responder
  7. almir
    14 de agosto de 2016 at 10:14 (1 ano ago)

    nossa ,que mundo grande… espero um dia ter condições de conhecer um lugar como esses… adorei

    Responder
  8. Raquel
    2 de dezembro de 2016 at 0:05 (1 ano ago)

    Muito legal o fundo do mar é um universo a parte não acha

    Responder
  9. Nathália
    23 de março de 2017 at 23:24 (10 meses ago)

    Oi! Adorei seu post, muito obrigada pela ajuda! Queria saber por qual (ou quais) empresas você fechou esses passeios e mais ou menos quanto custou, pode me ajudar?

    Responder
  10. lar para idosas em curitiba
    3 de agosto de 2017 at 21:53 (6 meses ago)

    Só desejam dizer que seu artigo é como surpreendente .

    O clareza na sua acondicionados é só espetacular e eu pode
    assumir você está especialista nisto assunto.
    Bem com seu permissão permitem que eu agarrar seu feed RSS
    para ficar atualizado com próxima postar.
    Obrigado 1 milhão e por favor continuar o gratificante trabalho.

    Responder
  11. Ana clara
    27 de agosto de 2017 at 21:18 (5 meses ago)

    Tenho vontade e mergulhar acho demais mas tenho medo muito legal

    Responder

Leave a Reply