Tipos de hospedagem no Rio de Janeiro

Já tive o prazer de visitar o Rio de Janeiro algumas vezes e como já me hospedei em diversos locais, resolvi fazer um mix contando as minhas experiências para tentar ajudar vocês a escolherem um tipo de hospedagem ao visitar a Cidade Maravilhosa.

Hotel na Zona Sul

Copacabana

“Um bom lugar para encontrar: Copacabana
Pra passear à beira-mar: Copacabana
Depois num bar à meia-luz: Copacabana…”

Definitivamente, Copacabana continua sendo o meu lugar preferido para me hospedar. Pode não ter o mesmo glamour de falar “estou no Leblon”, mas Copacabana é muito bacana. Inclusive, se eu tivesse a oportunidade de morar no Rio, era lá que eu gostaria de morar.

Minha primeira vez no Rio eu fiquei lá e levei sorte na escolha do hotel, que foi feita um pouco às cegas e em cima da hora. Quando cheguei lá já me senti no Rio mesmo: tinha churrasco e pagode na lage cobertura.

O hotel que eu fiquei foi o Copacabana Rio Hotel, muito bem localizado, tem tudo o que precisamos perto, uma equipe bem atenciosa, quarto grande, limpo e confortável e um preço bem acessível, pois não é fácil achar um hotel em Copacabana por um preço bom. Como no site deles não dá para copiar as fotos de divulgação, peguei essa aqui lááá da época que eu viajei, em 2006. Não tenho outras porque antes do blog eu não tinha costume de fotografar quartos de hotel, mas já dá para ter uma noção. Nada de grandes luxos, mas acredito que já tenham modernizado os quartos um pouco e trocado as tvs.

hospedagem rio de janeiro

O café da manhã desse hotel é bem farto e gostoso. Valia a pena acordar mais cedinho para aproveitar. Quando nos hospedamos lá, éramos a unica família brasileira no café da manhã. Com tanta gente falando outras línguas, eu me sentia em uma viagem internacional.

Infos:

Copacabana Rio Hotel

Av. Nossa Senhora de Copacabana, 1256 – Posto 6

R$345,00 – diária no quarto duplo

Flamengo

Em outra oportunidade, quando viajei apenas para ver um show no Rio, estava procurando por uma opção mais em conta e alguns amigos me indicaram o Augusto´s Paysandú Hotel.

hospedagem rio de janeiro (Fonte: http://www.paysanduhotel.com.br/)

Esse hotel fica em um prédio bem antigo e por “prédio bem antigo” entenda como quartos amplos, móveis antigos e azulejos do banheiro azul calcinha. Não é aquela coisa linda de se ver, mas é maior que o de Copacabana, por exemplo. A equipe é tão atenciosa quanto e os quartos também são bem limpos. Isso sempre conta muito, porque meu maior medo ao fazer uma escolha considerando o quesito “preço” é pegar algo sujo.

(Fonte: http://www.paysanduhotel.com.br/)

A localização do hotel também é boa e tem metrô e Devassa bem pertinho, o que é muito importante, pois nos garantia uma Sarará toda vez que passávamos na frente. Hehe.

Infos:

Augusto´s Paysandú Hotel

R. Paissandú, 23

R$220,00 – diária no quarto duplo

Hotel no Centro

Na última vez que estive no Rio também foi para ver um show e optei por me hospedar o mais próximo possível da Fundição Progresso. Vi que tinha um hotel Formule 1 bem pertinho, o que me permitia ir a pé ao show, então escolhi esse mesmo. Para quem já conhece os hotéis da rede, sabe que são todos iguais, o que nos passa uma segurança.

(Fonte: Formule 1)

Porém, centro é centro, né. Eu não suporto ficar hospedada em centro. Primeiro porque é perigoso, segundo porque é complicado para dormir. Bem perto desse hotel tem uma balada que não me permitiu dormir direito por duas noites, mesmo estando no 8º andar e com a janela fechada. A noite não achei tão perigoso como em qualquer centro, já que fica do ladinho da Lapa, então sempre tem bastante movimento na rua, mas de manhã é bem tenso. Com tudo deserto e meio abandonado, pude começar a conhecer alguns podres da Cidade Maravilhosa.

Infos:

Formule 1

Rua Silva Jardim, 32

R$175,00 – diária no quarto para até 3 pessoas

Albergue

Olha, vou falar uma coisa: a PIOR HOSPEDAGEM DA MINHA VIDA foi em um albergue no Rio: Copinha Hostel. Guardem esse nome!

Eu já havia me hospedado em albergue uma vez em São Paulo e tinha odiado a experiência. Quando eu viajo para fora do país, me hospedo em albergue por questões econômicas, principalmente, mas aqui no Brasil eu estou pagando na mesma moeda que recebo e eu sou extremamente chata porque quando eu viajo aqui eu gosto de conforto e, em algumas vezes, um pouco de luxo. Com o Rio de Janeiro ainda é um caso mais especial, já que em algumas viagens eu cheguei a gastar mais do que se tivesse ido para qualquer outro país da América do Sul. Dificilmente eu economizo no Rio. Considero um investimento na minha cidade favorita. Ela me faz tão bem que eu sinto necessidade de retribuir de alguma forma.

Mas voltando ao albergue, fui parar lá porque a maioria quis ficar lá e eu acabei indo junto.

Agora vamos aos fatos: o quarto não tinha janela. De todos os albergues que já havia me hospedado, desde o mais xexelento ao mais legal, TODOS tinham janela. Estamos falando do Rio de Janeiro e na época que fomos era fevereiro. Rio de Janeiro + fevereiro = calor infernal.

Mas para compensar isso, o quarto tinha ar condicionado. “Menos mal”, pensei. Porém, contudo, todavia, no entanto, acordei no meio da noite suando litros porque eles desligaram o ar condicionado durante a noite. Tipo “a galera tá dormindo mesmo, nem vão perceber”. Poderia ter sido alguma queda de energia ou qualquer outro problema, mas acho que seria muita coincidência isso acontecer por 2 noites seguidas!

Se já não bastasse isso, tinha barata no banheiro e quando eu avisei na recepção o cara deu uma risadinha e relutou em ir, mas no final acabou matando a barata. A equipe do albergue também achei muito ruim, inclusive lembro de ter me estranhado com um cara da recepção. Eles eram incrivelmente simpáticos com os estrangeiros e extremamente rudes com os brasileiros. Ou talvez fosse apenas comigo. Eu realmente não sei.

Fora que a localização não é das melhores e fomos aconselhadas a não circular nas redondezas a noite, pois é próximo a uma área de prostituição de Copacabana.

Infos:

Copinha Hostel

Rua Felipe de Oliveira, 11

R$42,00 – por pessoa em quarto quádruplo.

Apartamento de amigo

Nem a mais luxuosa suíte do Copacabana Palace poderia ser melhor do que quando estive no Rio e fiquei hospedada no apartamento de um amigo. Eu não gosto de me hospedar na casa de outras pessoas, por isso não sou adepta ao couch surfing. Eu acho que eu sempre estou atrapalhando, por isso quando eu viajo para algum lugar onde tenho amigos, continuo sempre preferindo ficar no hotel e encontrar os amigos no passeio, no bar, no restaurante. Por outro lado, quando alguém vem a Curitiba, eu fico muito BRABA se não se hospedarem na minha casa.

Na ocasião, o casal de amigos havia viajado e deixado a chave do apartamento, então essa hospedagem foi a mais maravilhosa de todas porque foi o que chegou mais próximo de realizar o meu sonho de morar no Rio de Janeiro, entende? Hahahaha. Eu andava na rua ME ACHANDO a nativa.

Depois disso que fiquei pensando seriamente em me cadastrar no home exchange, pois é muito legal poder conhecer algum lugar como se você não estivesse ali apenas de passagem. Ainda não me cadastrei porque andei pesquisando e vi que não tem muita gente interessada em vir para Curitiba e porque deve ser muito difícil sincronizar as datas e locais de interesse de todos.

Aeroporto

Para finalizar, eu também tinha que ter uma história aventureira de “hospedagem” na Cidade Maravilhosa. Depois de pegar um táxi clandestino fui “dormir” no aeroporto. Na verdade eu estava em um show que acabou no domingo de madrugada e eu ia pegar o primeiro voo na segunda-feira, então decidimos ir direto do show para o aeroporto, o que fez com que passássemos quase 5 horas esperando pelo voo e, consequentemente, tirássemos alguns cochilos pelos cantos. Lembro de ter dormido sentada em uma cadeira e com a cabeça na mesa. Acordei com a sensação de ter feito 2137 abdominais.

E o aeroporto estava lotado porque todo mundo que estava no show teve a brilhante ideia de ir direto do show para o aeroporto. Hahahaha.

Eu jamais faria isso de novo, mas valeu como experiência.

Para quem quiser se aventurar, aconselho ler esse post aqui que a Anna deu todas as dicas para esse tipo de “hospedagem”.

Mas fora essa loucura de dormir pelo saguão, também existe hotel dentro do aeroporto e isso nós já contamos nesse post aqui.

____________________________

De maneira geral, a hospedagem no Rio de Janeiro sempre pesa um pouco no bolso, mas o que não pode é deixar de conhecer a Cidade Maravilhosa por causa disso, então para quem procura opções mais em conta, vale pesquisar pelo HostelBookers, que tem sido nosso parceiro na produção dos guias. Mas é importante sempre ler as avaliações e comentários para não correr risco de passar nenhum perrengue igual ao que eu passei no Copinha Hostel.

Comentários

comments

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.