Turista: India por Bernardo Araújo

O turista deste mês vem aqui no blog para falar um pouco sobre a Índia!! Sempre quis conhecer um lugar diferente assim, mas ainda não tive a oportunidade. Depois deste post que o Bê fez sobre Varanasi, com as fotos incríveis que ele fez por lá, fiquei ainda com mais vontade! Dá uma olhada no que ele contou:

“Muito bem, vim trazer um tempero diferente e falar de Varanasi, na Índia. Passei 7 meses viajando por África, Ásia e Europa, e de tudo o que vi, a Índia é certamente o país mais impressionante. Te marca, te muda, te entretem de infinitas formas. E se é pra falar de Índia, Varanasi é uma escolha óbvia. É uma das cidades mais antigas do mundo, a principal para o hinduísmo e um dos pontos turísticos mais relevantes do país.

O agito acontece principalmente às margens do rio Ganges, onde é lugar de tomar banho, lavar roupa, bater papo, meditar, comer, cremar corpos, tudo na sua frente, sem esconder nada. Pra muitos indianos, Varanasi é o lugar ideal para nascer e morrer, e não precisa de muito tempo pra perceber que você está em um lugar especial.

Cheguei em Varanasi de trem, depois de uma saga de mais de 24 horas, saindo de Darjeeling. Na estação conheci o Bablo, que foi meu motorista de tuktuk (o micro-taxi de 3 rodas) pelos meus 3 dias de Varanasi. Pedi pra ele me levar até o Ganges e chegamos lá tarde o suficiente pra eu não me importar em qual hotel ficaria. Meu primeiro banho quente na Índia em quase 2 meses, nada mal! No dia seguinte encontrei um hotel de 10 reais a noite, mudei minhas coisas, botei meus chinelos, câmera no bolso, e fui passear. A margem do Ganges inteira é dividida em ‘ghats’ que são as escadinhas que vão da cidade até o rio, cada ‘ghat’ com seu nome. Ali você vê de tudo, anda, senta, assiste as pessoas vivendo a vida delas, vira pro lado e tá ali, um outro viajante fazendo a mesma coisa. Em uma das ghats eles cremam corpos em fogueiras, pode assistir à vontade mas tirar foto é proibido. Eu vi o que acontece com aqueles que são pegos tentando registrar a cena, e não recomendo o risco!

Além das ghats, outras atrações especiais são as ruelinhas, lojinhas, templos, e lógico, as pessoas que você conhece no meio de tudo. Se souberem daonde você vem, é possível que te contem de um amigo brasileiro que eles fizeram no orkut e peçam pra você traduzir mensagens em português. Só fique de olho em onde você pisa, não chegue perto dos macacos e deixe as vacas tranquilas.

O cheiro no ar é forte, é sempre muito barulhento, caótico e sujo. Parece horrível? É maravilhoso! Ao fim de cada dia a única coisa que dá pra pensar é ‘como é que eu consigo me virar por aqui?’. E no dia seguinte, tá lá você de novo, falando com todo mundo, se sentindo mais em casa do que no seu próprio país.”

E aí, o que acharam??

Comentários

comments

1 Comment on Turista: India por Bernardo Araújo

  1. Fabio
    29 de novembro de 2012 at 16:31 (5 anos ago)

    Opa! Varanasi esta na minha lista para dezembro!!!

    Responder

Leave a Reply