Um curioso método de lavar as mãos no restô Fares

Na minha estadia em Sharm el Sheik, apesar do resort que fiquei ser incrível, as opções para jantar não eram das mais baratas e não havia muita diversidade. Por isso resolvemos ir para o centrinho da cidade num restaurante recomendado por um dos garçons do hotel (ele mesmo falou pra gente não comer no hotel! hahaha).

Confesso que fiquei um pouco tensa no início, pois estávamos saindo da segurança de um resort e indo para o meio do povo, em plena época de manifestações e medo criado pela mídia. Mas o nosso motorista era um cara enorme e me senti mais segura! E depois relaxei mais, ao ver que o pessoal era tranquilo.

O restaurante chama-se Fares e serve frutos do mar. Eu amo quando o lugar serve peixes frescos, que você escolhe a dedo.

Fotos do site do restaurante

Escolhemos nosso peixe, nossa quantidade de camarões e calamares e veio tudo deliciosamente preparado.

A foto não está das melhores, mas a comida estava deliciosa. E muito barata!

Agora, a parte mais engraçada foi quando minha amiga australiana voltou do banheiro e disse “Vai lavar as mãos”. Hein? “Vai lavar as mãos, você tem que lavar as mãos”. Ela se matava de rir e fui até o banheiro pra ver qual a graça. Voltei sem entender o que era tão engraçado. “O que tinha lá? Era esse gurizinho aqui do lado brincando de fazer a barba com o sabonete?”. Não, não era isso. Voltei lá, na área exclusiva para lavar as mãos e fiquei parada ali esperando alguma coisa acontecer. Ai vem um cara e fala “Você quer que eu lave suas mãos?”. Ahaaaaa! Então é isso! Alguém vai lavar minhas mãos! Só que não é qualquer lavada de mãos! Primeiro ele pega um pedaço de limão, passa sabão e começa a esfregar meus dedos, um por um, limpando em baixo das unhas e massageando os dedos com o gominho de limão. Que sensação bizarra e gostosa ao mesmo tempo!

Depois que ele termina esse processo de limpeza e massagem ele joga uma água cheirosa, de rosas e cravo e minha mão fica limpinha, sem cheiro de frutos do mar. Achei o máximo!

Depois do jantar ainda demos uma voltinha pelo comércio e até tirei foto com um camelo. Sai correndo do cara que estava com o camelo, porque pela minha pouca experiência no aeroporto vi que eles pedem gorjeta pra tudo, mas no fim ele foi super legal e nem cobrou nada.

Comentários

comments

Leave a Reply