Viajar ou morar sozinha?

Hoje não vou contar sobre uma cidade super legal, sobre um ponto turístico imperdível e nem sobre alguma sobremesa super doce. O post de hoje é ultra pessoal, mais um desabafo por aqui e tenho certeza que muita gente vai se identificar.

Na verdade desde o começo do ano estou na maior crise existencial (ou diria, viagística) do planeta, porque simplesmente estou naquele momento da vida que preciso decidir se viajo ou se moro sozinha. Digo “preciso decidir” porque infelizmente, eu não posso fazer as duas coisas ao mesmo tempo, aliás, se bobear eu não consigo fazer nem uma coisa dessas só.

Por um lado quero muito continuar viajando e conhecendo um monte de coisas e gente legal por aí, por outro acho que já está na hora de seguir em frente e comprar um cantinho só meu. Aí vem a fase de fazer as contas e o desespero bateu forte. Gente, que preguiça de ser brasileiro nessa hora. Fiquei muito indignada com várias coisas quando comecei a ir atrás disso. Primeiro os preços no mínimo ridículos de um apartamento em Curitiba. Acreditam que encontrei um apê de 33m² que não cabe nem as minhas coisas, por 270 mil? Como assim? Pior ainda são os financiamentos, que metade da parcela é de juros.

Eu não sei e não conheço o sistema imobiliário de outros países, mas por aqui está inviável ser alguém e construir uma família. O que me leva a pensar que sim, devo gastar tudo em passagens aéreas nas promoções do Melhores Destinos, viver sem carreira fixa, me jogar no mundo e fim.

Daí lembro que uma hora ficarei velha, sem nada construído, sem um teto quando resolver voltar e óbvio, sem dinheiro. E aí sim não vai dar pra comprar nada mesmo.

Gente, que momento desesperador! Não sei se é melhor guardar dinheiro pra viajar ou morar sozinha. Se for ver tudo que já gastei viajando, porque sim, eu pago minhas viagens, elas não são todas pagas só porque tenho blog, dava quase um apartamento (meio chutando valores).

Pior ainda é que eu tenho uma profissão que dá lucro mínimo nesse país, porque designer sofre nesse país. Se bem que né, quem não sofre no Brasil? Quem não ganha R$ 5 e paga R$ 4,80 de imposto/juros/taxa, não é mesmo?

Se alguém tiver alguma ideia maravilhosa do que fazer, me avisa! Porque eu já quero desistir de tudo, quero viver de luz no Peru com o Ninho da novela.

Alguém já esteve/está nessa situação? Vamos criar um grupo e chorar juntos?

Comentários

comments

36 Comments on Viajar ou morar sozinha?

  1. Tati
    6 de junho de 2013 at 9:25 (5 anos ago)

    Anna, eu passei por isso anos atrás e optei por comprar um ap. Não sei a sua realidade, mas a minha é que meus pais não moram aqui em Ctba e se tudo desse errado na minha vida e eu tivesse que voltar a morar com eles, envolveria mudar para Paranaguá ou Ponta Grossa. Como eu morava de aluguel, resolvi pagar a parcela ao invés do aluguel, mas se engana aquele que pensa que foi elas por elas… Meu pai ajudava a pagar o aluguel e o condominio e, com a compra, eu agora pago isso sozinha, fora contas mensais (luz, internet…), manutenção e reforma do imóvel e móveis e decoração, pq a gente quer sempre deixar nossa casa com a nossa cara e isso sai MUITO caro!!
    Falando assim pode parecer que não foi uma boa ideia, mas para mim foi a melhor coisa que fiz! Agora tenho onde cair morta na Capital, hehehe.
    Eu sou psicóloga e atualmente estou desempregada, entendo muito o que você diz em relação a profissões ingratas financeiramente… E é claro que eu nao viajo como queria, mas depois que comprei o ap. já fui para o Peru, Itália e Argentina, fora idas de fim de semana ao Rio e Sp. Dá pra conciliar se economizar e não ter pressa para decorar o ap. Mas o máxio que consigo é uma viagem grande por ano, duas não rola mesmo…
    A única direfença da epoca que comprei pra hoje são os preços de imóveis, comprei em 2008, o mercado não estava tão inflacionado…
    Ah, uma amiga de Portugal disse que um ap de uns 60 metros em Lisboa está uns 60 mil euros, uma bagatela!
    Escrevi um monte! Se precisar de alguma dica, estou por aqui!

    Responder
    • Anna
      Anna
      6 de junho de 2013 at 10:27 (5 anos ago)

      Nossa, o pior é ver os preços. É desesperadooooor!

      Dá vontade de chorar nas visitas… só lixo e tudo caríssimo.
      Boa era a época que meus avós compravam apartamento. 120m² por 90 mil! Dado!
      Ehehehe

      Torcendo pra acontecer algum milagre. haha
      Beijos Tati!

      Sempre bom ver você por aqui. =)

      Responder
      • Tati
        7 de junho de 2013 at 14:20 (5 anos ago)

        Época boa mesmo!!! Quando eu comprei já estava subindo, mas não tanto como agora.

        Realmente a maioria das pessoas entra para essa empreitada da casa própria com um companheiro de dívida, é o mais tranquilo mesmo… Mas eu entrei nessa sozinha e olha… não é fácil mas compensa! Vendi meu carro para pagar a entrada e tive que abrir mão de várias coisas (fazer unha no salão, usar só sabonete liquido, comer em restaurantes, … eram luxos que eu não me permitia mais) que no final me ajudaram a economizar. Principalmente no começo, é uma época de restrição tremenda. Mas a gente consegue e sobrevive!!

        As vezes milagres acontecem sim! Um casal se separando ou então indo morar fora e precisa vender rapidão (um tio meu comprou o ap. dele assim, pagou uma bagatela!), mas essas são ofertas que temos que pegar na hora e para isso é preciso ter uma certa reserva para a entrada.

        Bjo! :)

        Responder
  2. Bruna
    6 de junho de 2013 at 10:10 (5 anos ago)

    Olá!!

    Tbm moro ai em CWB (apesar de ainda nao ter voltado “pra casa” esse ano).

    Realmente esse valor ta bem caro mesmo, visto q comprei meu apto uns 5 anos atras e os calores estavam bem diferentes. Na epoca ate achamos os valores em CWB comparados com os de uma cidade de interior de SC “bem mais baratos”.

    Eu sempre fui a favor de morar sozinha, sempre gostei.. Mas parar de viajar deve ser um sacrificio sem tamanho. Dificil essa escolha, hein!!!

    Responder
  3. Elaine Castro
    6 de junho de 2013 at 10:21 (5 anos ago)

    Compra teu apartamento… casa nova também é a maior viagem! Aos poucos você se capitaliza novamente e aproveita todas as promoções do Melhores Destinos.

    Responder
    • Anna
      Anna
      6 de junho de 2013 at 10:25 (5 anos ago)

      Meninas, to adorando o apoio nessa nova decisão, nessa nova vida.
      Assim que me decidir e conseguir dar um passo a frente, corro contar aqui!

      Aiaiai… não é fácil crescer né!?
      Querer abraçar o mundo com os braços…

      Responder
  4. Kézia
    6 de junho de 2013 at 10:44 (5 anos ago)

    o dilema da proximidade dos 30, ana. assentar ou levantar acampamento? eu ainda não tenho nenhum amigo que conseguiu comprar um apartamento estando solteiro, todos que acabaram de comprar estavam noivos ou casados, todos tinham alguém pra dividir os custos (e muitos pais puderam ajudar a pagar a entrada – outro fator desesperador). li ontem mesmo que o mercado imobiliário de curitiba foi o que mais cresceu nos últimos anos, hoje deve ser o 3º ou 4º m² mais caro do país. bom, eu não tenho apto próprio ainda, mas pago todas as contas de casa faz tempo, o que é preciso é abrir mão de outras coisas, diminuir as saídas, andar a pé (se for possível), comprar menos coisas e sempre juntar tudo o que der, assim consigo fazer uma viagem grande por ano, o resto vai quebrando o galho com umas idinhas pro Rio ou SP quando sobra o vale-refeição hahaha força aí e bola pra frente

    Responder
    • Anna
      Anna
      6 de junho de 2013 at 10:49 (5 anos ago)

      Pois é, tem o fator “sozinha” nisso, não tem ninguém pra dividir e meus pais infelizmente não tem como me ajudar.

      To fazendo o máximo pra economizar… aliás, sempre faço. Nesse sentido sou bem econômica, até porque sempre guardei pra poder viajar. hehe =)

      Responder
  5. Andressa
    6 de junho de 2013 at 10:49 (5 anos ago)

    Oi Anna,

    Eu estou esperando um pouco, sinceramente, para comprar. Não consigo acreditar que continue esses preços absurdos para sempre!

    Mas com certeza vale a pena ter um lugar para chamar de teu no mundo!

    Beijos

    Responder
  6. Karla Alves Leal | Cariocando por aí
    6 de junho de 2013 at 12:12 (5 anos ago)

    Anna, como você disse crescer é difícil e às vezes, dói. Mas é preciso e um dia todos passamos por isso.
    Se você for parar pra pensar, você terá muito mais oportunidade pra viajar do que pra comprar um apê. Então aproveite o momento de mudança na sua vida, as viagens podem esperar.
    Eu sei que a mão coça quando a gente vê uma promoção, mas não vai demorar muito e vc conseguirá colocar o pé na estrada novamente.
    Ter uma casa própria é ter tranquilidade. E é uma conquista também.
    Boa sorte!!!
    Bjs

    Responder
  7. Thiago (@rodeiviagens)
    6 de junho de 2013 at 12:22 (5 anos ago)

    Entao, tambem estou passando por isso. Acho que chegar perto dos 30 traz esse tipo de questionamento. O ruim é que quanto mais dinheiro eu acumulo mais caros ficam os apartamentos. Eu acredito que a maior viagem do ano vai ser comprar o meu cantinho, e ai vai acontecer exatamente como todas as outras grandes viagens, vou começar a pensar na próxima.

    Responder
  8. Kely
    6 de junho de 2013 at 12:32 (5 anos ago)

    Anna to no mesmo dilema! Ano passado esgotei minhas economias que eram destinadas ao fim de viajar, gastei tudo viajando e não me arrependo, e desde que estabeleci minha vida de volta no Brasil decidi começar a guardar dinheiro para comprar um apê sem uma data definida, meu objetivo é de juntar tal valor para dar entrada e comprar. Mas já to me privando de viagens e tenho vontade de mudar o destino do dinheiro toda semana. Viajar é muito bom e é viciante, mas ter algo é super importante também. Espero que eu consiga manter o dinheiro guardado para a compra do imóvel, e que você consiga encontrar uma barbada por aí!

    Responder
  9. Soraya
    6 de junho de 2013 at 13:55 (5 anos ago)

    Oi! Estou “quase” que na mesma situação! Já estou pagando um apto, na planta, mas ano que vem ele sai da planta, daí é hora de pegar as chaves (vai uma grana boa!), começar um financiamento, e mobílias…. Desse jeito, ano que vem, e no outro, e talvez mais, fique inviável me jogar no mundo como normalmente faço……. Mas como você bem disse, precisamos de um lugar, um Porto…. Então, minha decisão foi dar uma desacelerada! Talvez fazer uma viagenzinha mais baratinha….. Mas definitivamente não será como é hoje!

    Responder
  10. Daniel Conceição
    6 de junho de 2013 at 14:32 (5 anos ago)

    Olá Anna!
    Se te servir de consolo, imagina nós aqui do Rio tentando comprar um ap…
    Essa sua dúvida é a mesma de muitos (dá pra ver nos comentários) e eu sou um desses muitos. Minha escolha foi a coluna do meio. Divido o que ganho (depois das mordidas do leão, contas, etc, etc) em uns 20% pra trips e 80% pra casa. Assim vc continua viajando (alimentando esse maravilhoso vício que nos consome lindamente) e vê o porquinho da casa própria engordar. É claro que demora um pouco pro porquinho ter cacife pra fazer uma graça na compra de um cantinho, mas o desespero dá uma boa diminuída, pois vc está trabalhando com um foco e dá pra prever em quanto tempo tera a quantia X necessária pra comprar seu lar (ou dar entrada, etc).
    É isso! Força na peruca e bola pra frente!
    Ah, guarde um pouquinho dessa grana pro goró, aí quando o desespero bater muito forte, tome um porre que ajuda!
    Abraços

    Responder
  11. Ale
    6 de junho de 2013 at 16:26 (5 anos ago)

    Nossa, estou vivendo exatamente o mesmo dilema! E como você disse, não é fácil crescer né!?
    Também amo viajar, já morei fora e hoje moro com os meus pais. Quero muito ter meu cantinho, mas os preços realmente são impraticáveis. E como arquiteta, vejo a dimensão dos aptos e não acredito como alguém teve coragem de dimensionar daquele (micro) tamanho! Mas tô juntando meu dinheirinho e pesquisando, uma hora dá certo. A vontade de viajar e viajar continua, mas agora paro pra pensar e vejo que tô com um trabalho legal, e que só falta meu cantinho pra curtir. E que o dinheiro pra viajar posso guardar sempre, mesmo comprando o apartamento. É muito muito muito difícil fazer essa escolha, mas volta e meia me pego pensando na cor da minha parede e nas almofadas do meu sofá. E isso é uma delícia! E assim eu decidi, quero meu lar, e as viagens uma hora ou outra consigo fazer de novo! :D

    Responder
  12. Deise de Oliveira
    6 de junho de 2013 at 16:48 (5 anos ago)

    Eu passei por essa situação o ano passado. Eu e o meu namorado compramos um apto juntos e ficamos bastante apertados. Nós ficamos mais de um ano sem fazer grandes viagens, mas em agosto finalmente faremos nossa primeira grande viagem como casados.
    Sim, estamos mais apertados. Sim, não dá pra viajar o quanto gostaríamos, mas ter um cantinho nosso e com a nossa cara está valendo o sacrifício. Sabemos que esse período de “dureza” é temporária, mas é melhor passar perrengues enquanto estamos jovens do que mais tarde.
    Mas no final das contas, acho que ninguém viaja tanto quanto gostaria né? Então se jogue nessa sua nova fase e aproveite as coisas boas e ruins que vem com ela. Você vai amadurecer e dar muito mais valor às suas próximas suadas férias. :)

    Responder
  13. Natalia
    7 de junho de 2013 at 7:56 (5 anos ago)

    Anna, sou super solidaria ao seu dilema.

    Antes de nos expatriarmos, tentamos comprar algo no Brasil pra ser mais uma garantia de investimento do que um teto pra nos abrigar caso não nos adaptassemos por aqui. Desistimos porque não teriamos o retorno esperado se o imovel fosse alugado, mas o projeto continuou nos ocupando o pensamento. Viajamos, claro, e nem vou entrar no mérito das comparações outros paises x Brasil, por motivos obvios. Depois de muito amadurecer a ideia, de cansar de pagar aluguel, decidimos comprar. E um dos motivos foi: minha mãe como exemplo. Ela so pode ter um teto dela depois dos 50, porque tudo que ganhou aos trancos e barrancos no trabalho foi pra garantir que eu e meu irmão pudéssemos ter uma boa formação pra nos virarmos sozinhos. Tem coisa que so mãe faz mesmo.

    Mas eu vejo que ela se inquieta pelo proprio futuro, e tenho certeza de que sua vida teria sido menos estressante se o teto tivesse chegado ha mais tempo. Inspirada nessa preocupação, optei por garantir um teto antes do filho chegar, e adiar alguns projetos de viagem pra dar lugar a outros, mais econômicos e meio alternativos (jamais imaginei que um dia iria propor ao meu marido uma viagem onde acampariamos, por exemplo).

    O desespero do dilema é angustiante, mas é também o que vai abrir portas a uma série de reflexões e à criatividade, e com ela você vai encontrar uma boa solução pra conciliar seus projetos.

    Courage!

    Responder
    • Anna
      Anna
      7 de junho de 2013 at 8:55 (5 anos ago)

      Isso mesmo Natalia, vejo muita gente cuidando de filhos antes de ter sua casa própria, e isso eu não quero também!! =)

      Responder
  14. Mary
    7 de junho de 2013 at 17:20 (5 anos ago)

    gente, ficou faltando no layout novo a identificação de quem escreveu o post! (Ou eu sou muito monga e não consegui achar…)

    Responder
    • Anna
      Anna
      8 de junho de 2013 at 17:10 (5 anos ago)

      Mary você não é monga nnao!
      Por hora os nomes estão pequenininhos só, porque estamos aprendendo a programar o layout pra isso.
      Sabe como é, contenção de despesas, então nós que estamos programando o site (e sofrendo pra por as assinaturas!). Mas logo terminamos isso. =)

      Responder
      • Mary
        13 de junho de 2013 at 9:10 (5 anos ago)

        Ahhh entendi!!! hehehe
        Obrigada pela resposta, e entendo muito bem essa parte de contenção de despesas… :D

        Responder
  15. Juliana
    7 de junho de 2013 at 17:23 (5 anos ago)

    Olá Ana

    Numa bobeira achei seu blog e dei de cara com um post que relata a mesma situação em que me encontro!!! Eu te entendo perfeitamente, e segue o que eu estou fazendo: to planejando uma viagem para o Canadá nas minhas férias e procurando um apto ao mesmo tempo, e sim tenho 30 anos e já está mais que na hora de sair de casa, pense na crise existencial em que me encontro!
    O que eu estou fazendo: elaborei uma planilha financeira e coloquei todos meus gastos atuais, reserva para a viagem e reserva para o apto. Percebi que agora não conseguirei comprar um apto e arcar com o valor da parcela que está em torno de R$ 1.900,00 então resolvi alugar um apto menor, no centro, ai eu evito o uso do carro, gastos com ônibus e tenho a vantagem de almoçar em lugares super baratos, tipo R.U. e SESC.
    A diferença entre o preço que eu pagarei de aluguel e o valor de uma futura parcela de um imóvel próprio eu aplico e ganho juros para dar uma entrada maior e aguardar, futuramente, os preços dos imóveis estabilizarem.
    Também convidei meu namorado para morar comigo, assim dividimos os custos e sobra o $$ para a minha viagem.
    Reduzi meus gastos com cartão de crédito absurdamente! Não gasto mais que R$ 300,00 no cartão e se eu não tiver $$ simplesmente procuro programas gratuitos para fazer ou acesso minha rede de amigos e pergunto quem tem acesso e/ou convite disponível para doar…sou cara de pau mesmo…e no final sempre consigo ir em festas, shows, exposições, cursos na faixa.
    Resumindo como todo bom brasileiro, tiro daqui, coloco ali, reformulo meu estilo de vida, mantenho contato com os amigos e consigo fazer tudo que eu quero no tempo certo.
    As vezes passo uns “perrengues” mas sempre encontro alguém disposto a me ajudar, e quando consigo também ajudo.

    Espero ter colaborado para sua decisão, e tenho certeza que independente de qual seja você será super feliz por ter optado por ela.

    Bj

    Responder
    • Anna
      Anna
      8 de junho de 2013 at 17:09 (5 anos ago)

      Oi Juliana!

      Então, eu tenho planilhas ha 3 anos já. Sou super certinha com dinheiro, faço a unha em casa sozinha, costuro minhas roupas… a coisa é que sempre guardei meu dinheiro pra viajar.
      Gastei muito, viajei muito… e agora sobrou um pouco só e tenho que econimizar mUITO mais.
      hehe

      Mas vamos que vamos, em breve consigo.
      Você pode me ajudar (e pedir pros seus amigos me ajudarem) e fazer umas compras na nossa lojinha aqui do blog, hein? hahaha
      *não custa fazer a propaganda aqui né?

      Beijos!!
      Adorei seu comentário. =)

      Responder
  16. thica d
    29 de junho de 2013 at 13:53 (5 anos ago)

    eu não tive esse dilema tão forte quando tinha 30 anos, mas agora tenho um outro… comprei meu ap 3 anos atrás, com um desses financiamentos inflacionados. pra mim compensou muito, porque o valor é igual ao que eu pagava de aluguel. porém, agora, com casa montada, marido, duas gatas e o filho a 2 anos de ir pra faculdade, já penso em mudar de rumo. amo demais viajar, tenho planos de um dia rodar mundo afora – sozinha ou acompanhada. penso muito em uma motor-home, o que lá na europa é baratíssimo. coisa de 4mil euros compra-se uma legal. e as minhas gatas? não quero deixá-las, por isso preciso planejar isso com elas (só quem tem um animalzinho pode entender). o namorido, não sei se tem coragem, apesar de já ter andado muito por aí em viagens loucas. entenderam o dilema? muitas coisas me prendem aqui, mas meu coração pula toda vez que penso em sair pelo mundo. queria poder juntar tudo numa mala e levar comigo, mas não é tão fácil.
    espero que tenha sorte na sua procura, Anna! ler o seu drama me alivia um pouco, porque aí sei que tem gente tão louca quanto eu pelo mundo.
    beijo!

    Responder
    • Anna
      Anna
      30 de junho de 2013 at 14:10 (5 anos ago)

      Ai Cinthia, eu super consigo te entender.
      Pra quem tem a vida montada por aqui, e gente que depende da gente, deve ser muito difícil mesmo.

      Quem sabe o jeito seja fazer várias mini viagens, ao invés de uma viagem enorme e longa.
      Assim as gatinhas ficam pouco tempo sem você e não sofrem tanto =)

      Responder
  17. Fernando
    28 de novembro de 2013 at 16:32 (5 anos ago)

    Engraçado encontrar o seu blog somente hoje. No dia seguinte à data de publicação deste post (07/06/2013), eu completei 28 anos e decidi comprar o meu apartamento — abdicando a vontade que me fazia querer voltar a morar fora. Comprei na planta, ou quase isso, e ainda nem tenho as chaves ainda, já que a previsão de entrega é para a segunda metade do ano que vem.

    Eu sou de São Paulo, capital. Os valores dos imóveis por aqui também deixaram para trás as margens do absurdo há algum tempo. Eu sabia disso. Eu havia voltado fazia 1,5 ano de um período de um ano viajando pela Europa. Eu ainda tinha ~muita~ vontade de voltar para lá e ficar por tempo indeterminado. Mas optei por comprar o apto.

    Hoje, quase um ano e meio depois daquela decisão, eu já penso em vender o apto. mesmo antes de pegar as chaves. Pegar o dinheiro e me mandar. E é o que estou planejando fazer — tenho data e tudo!

    E você, o que decidiu?

    Beijo, beijo!

    Responder
    • Anna
      Anna
      29 de novembro de 2013 at 9:12 (5 anos ago)

      Adorei sua historia Fernando!

      Por enquanto eu não fiz nem uma coisa nem outra.
      Os valores aqui estão muito impraticáveis e ainda não tenho um $$$ suficiente para uma boa entrada. Ainda pretendo comprar um apê nesta vida, mas ainda estou guardando.
      Viajo sim, porem um pouco menos, viagens mais baratas… não dá pra ficar sem viajar!!!

      E você me conta se vendeu ou não o apê! hahaha

      Beijos!

      Responder
  18. Mauro Brandão
    28 de maio de 2014 at 11:47 (4 anos ago)

    Anna, que merda isso não ?
    Moro em Londrina, pertinho de você ai. Aqui os apartamentos estão com preços melhores, mas a dúvida continua a mesma… Viajar ou Comprar o Apê?
    Vi a Postagem do JR que fez a partir da sua.
    Pra gente a viagem não é só uma coisa que fazemos nas férias, ela faz parte do nosso ser. Não é luxo, é necessidade para saúde física e principalmente sanidade mental.
    Iae ?
    Para ou não para ?
    Essa pergunta é a mesma que tu disser :
    – Vamos parar de beber água ou não ?
    – Vamos parar de respirar ou não ?

    Vou dizer a mesma coisa que disse pro JR.
    #TamoJunto

    Responder
    • Anna
      Anna
      28 de maio de 2014 at 13:28 (4 anos ago)

      Força Mauro!
      Tamoae! haha

      Responder
  19. Ana Paula
    22 de junho de 2014 at 23:51 (4 anos ago)

    Oi, Anna!

    Não conhecia seu blog, cheguei aqui por uma busca no Google que me levou a este post.
    Então, um ano depois, o grupo de choro coletivo foi criado? Como faço para entrar? hehehe

    Estou na mesma situação. Tirando um curso ou outro e a cerveja nossa de toda semana, meu dinheiro era praticamente todo para viagens. Checar o Melhores Destinos é tão rotina quanto abrir o e-mail.
    Agora é aquela hora que a vontade/necessidade de procurar meu canto pesa bastante. Eai, viajar ou morar sozinha?

    Se puder compartilhar o rumo que você seguiu e o que pensa atualmente, talvez ajude.
    E, a propósito, parabéns pelo blog!! gostei bastante!! ;)

    Responder
    • Anna
      Anna
      23 de junho de 2014 at 9:26 (4 anos ago)

      Olá xará!
      Primeiro obrigada pelo carinho!

      Segundo, vamos chorar junto então, vem.
      Eu decidi que não tenho dinheiro pra comprar um apê. Os preços estão absurdos e completamente fora da minha realidade.
      Aí o que eu fiz? Troquei de carro e comprei uma trip pra Turquia no fim do ano. É isso. hahahaha
      Estou pensando em morar de aluguel ou sei lá, comprar uma bicicleta (neste nível de decisão haha)

      Na verdade ano que vem talvez fique uns meses fora com meu namorado, então isso também me influenciou a desistir do apê.
      Vamos ver o que a vida reserva na sequência, porque na atualidade, um apê não tenho como comprar MESMO.
      Beijos!

      Responder
  20. Iris
    6 de julho de 2014 at 21:48 (4 anos ago)

    Oi Anna!
    Como a Ana Paula, também caí aqui de pára-quedas, há mais de um ano da publicação do seu post.
    Me identifiquei muito com você e com todos os comentários… morei em Londres durante 6 meses e adoro viajar, sempre que sobram os 30 dias de direito de todo trabalhador! Mas, a vontade de ter “o meu mundinho” falou mais forte e comprei meu apto no final do ano passado. Ah! Sou de SP – Capital, e os preços aqui estão também absurdos de caros…
    Pelo o que entendi, você já decidiu que por agora, a opção é “continuar viajando”. Acho que não tem certo nem errado… é AQUELE momento mesmo, quando você diz “ok, é agora o momento de comprar”. Economizar, a gente sempre economiza… então, continue com o plano e economizando onde puder… Um dia, esse momento chega… mas, parar de viajar: NUNCA!
    Beijos e parabéns pelo blog!

    Responder
  21. Marcos
    9 de agosto de 2014 at 14:47 (4 anos ago)

    passando pelo mesmo dilema o/\o . Tão bom encontrar pessoas com os mesmo dilemas, a mesma indecisão e TANTAS dúvidas (fora a frustração dos cu$tos né). Um abraço enorme, parabens pelo blog!
    Sempre bom dividir as angustias, valeu galera!

    Responder
  22. Cris
    19 de janeiro de 2015 at 20:57 (4 anos ago)

    Nossa, discordo de tudo que foi dito. Tenho alguns imóveis (quatro alugados, inclusive) e se pudesse voltar no tempo com certeza teria viajado muito mais. Ano passado planejei uma viagem a New York e tive que desistir pois hoje me falta ´SAUDE. E olha que não sou velha de fato (tenho 51 anos). Então, querida, se tiver que te dar um conselho, VAI VIAJAR e curte muito. Não é momento pra comprar imoveis porque este super inflacionados… Beijos e boa sorte!

    Responder
  23. Roberta
    1 de agosto de 2017 at 20:18 (1 ano ago)

    Oi Anna!
    Tudo bom?
    Fiquei curiosa! Vc comprou o apartamento em CWB?
    Moro em Sampa e passei por esse mesmo dilema em 2007 e acabei comprando meu apartamento, no qual fui muito, muito, muito feliz. Na época não estava tão caro e deu para fazer um mochilão pela Europa antes da compra.
    Agora em 2017 estou com o mesmo dilema, compro um apartamento maior ou continuou viajando?!
    Isso não tem fim! rsrsrs
    beijo grande!

    Responder

Leave a Reply