Bar da Brahma Curitiba: o tradicional que está cheio de novidades

O Bar da Brahma todo curitibano conhece certamente. Ele é um dos bares já tradicionais da cidade, com seus 18 anos nas costas (e olha que isso é muito tempo pra bar durar em Curitiba, hein, haha), muita história, curiosidades de fábrica e muita cerveja!

bar brahma curitiba

O bar é cheio de memórias, uma coisa que eu particularmente acho muito legal e me atrai demais. Adoro conhecer a história dos lugares, ver fotos de produção, fotos de antigamente, materiais gráficos de anos atrás… e o Bar da Brahma Curitiba tem disso tudo por todos os lados. Sem contar uma coleção absolutamente incrível de canecas no teto da casa toda.

decoração bar brahma

Além de serem conhecidíssimos pelo lado histórico da marca e pelos chopps, agora eles estão cheíssimos de novidades. Pra começar que só lá que encontramos a mandioca suíça. Sim, exatamente, não é batata suíça, é mandioca! Ela é igual, mas diferente. Além do sabor que muda por motivos óbvios de ser outro ingrediente, a crocância é totalmente outra. É muiiiiito mais crocante. Nós 4 aqui deste bloguinho experimentamos e aprovamos. E vocês sabem que a Mari é vegetariana, né? Lá tem opção sem carne sim. Ponto positivo vezes 2: crocância e opção vegetariana.

mandioca suíça bar brahma

Aí no inverno eles vem e lançam o que? Um cardápio de sopa + vinho por R$ 19,90, com 5 opções de sopa. E pode escolher entre vinho e quentão pra acompanhar. Acho que esse preço está muito legal pro combo quentinho. Vale muito a pena, principalmente porque o Bar da Brahma Curitiba não cobra entrada.

Acabou? Não, não acabou. Não satisfeitos, veio o fondue de brigadeiro a R$ 17,90 ou, se você quiser algo mais light, tem o brigadeiro simples de colher, por R$ 7,90. Sem contar as outras sobremesas, como o clássico brownie com sorvete e os mini churros.

Bar brahma curitiba sobremesas

Bar da Brahma Curitiba:

Av. Pres. Getúlio Vargas, 234 – Rebouças

Segunda a Quinta das 17h às 00h. Sexta e Sábado das 17h às 2h. Domingo fechado. 

Amenitie de hotel: produto ruim ou confiável?

Não sei vocês, mas eu sempre tive preconceito com amenitie de hotel. (amenitie = produtos de higiene disponibilizados nos banheiros). Sempre achei que os sabonetes eram barrinhas de gordura, que o shampoo não lavava bem e que o condicionador arrematava deixando tudo ensebado. Na verdade eu não sei se era só preconceito meu ou se de fato algum tempo atrás os hotéis não investiam nisso e colocavam mesmo qualquer coisa lá só pra suprir um talvez esquecimento do hóspede de levar esses produtos na mala.

Claro que por conta disso eu sempre, a vida toda, levei tudo e mais um pouco na mala pra não usar qualquer produto no meu corpinho. Era sempre aquela lenga-lenga de comprar um potinho menor, passar shampoo, condicionador, hidratante pra eles, ir atrás de um sabonete líquido ou ter que lidar com a barra de sabonete melecada na necessaire. E convenhamos, essa sempre é a parte mais chata da mala. Sempre alguma coisa vaza (é lei, alguma coisa VAI dar uma vazadinha) e é aquele empenho saco.

Para minha surpresa, esses dias eu descobri que não preciso mais ter esse preconceito e nem sofrer mais com essa parte da mala. Eu conheci os produtos que a Realgem’s – que é uma empresa aqui de Colombo, região metropolitana de Curitiba – faz e distribui para mais de 4000 hotéis no Brasil e exporta para alguns outros na América do Sul!

amenities hotel

Eu fiquei muito feliz porque 1. agora os produtos são realmente bons e não bolas de gordura e 2. a empresa é daqui! E amamos muito quando empresas curitibanas e da região são destaque, fazem coisas de qualidade e, nesse caso, é a maior empresa de amenitie do país!

amenitie hotel

Eles mandaram vários produtos pra gente ver, testar, aprovar e não ficar mais com receio dos produtos dos hotéis, haha. Todos os que testei eram super cheirosos mas sem deixar aquele cheiro forte enjoativo depois, os sabonetes eram ótimos, os cremes bem hidratantes.

amenitie hotel

Eu adorei demais conhecer os produtos e saber que a maioria dos hotéis brasileiros disponibilizam produtos de qualidade mesmo. Nós testamos 5 linhas, dentre elas Talentos do Brasil, que você encontra no Hotel Majestic de Natal; a linha Nativa Spa (do Boticário) no Ouro Minas em Minas; a Florence Blanc no Parque Balneário de São Paulo; e a linha H;A (Herchcovitch) no Malaia Manso, em Mato Grosso.

amenitie hotel

Pra quem quiser saber mais sobre os produtos, clica aqui que tem todas as infos. E bora pedir pra eles colocarem esses kits a venda também, né? Já pensou, poder comprar uma coisinha toda pronta e gostosa pra levar em toda viagem? #porfavorrealgems!!

 *Esse produto foi enviado pela assessoria de imprensa da marca. Nossas opiniões são sempre de acordo com o que realmente achamos dos produtos e serviços. A opinião relatada aqui veio da experiência de uso da autora do post e é independente da marca que enviou o produto para teste.

O incrível circuito da cerveja do Festival de Inverno do Centro Histórico de Curitiba

Sexta feira começou o Festival de Inverno do Centro Histórico de Curitiba. Esse é um festival que acontece todos os anos no mês de julho, e promove diversas atividades muito legais para todas as idades. E o melhor: a maioria dela é gratuita!

No último sábado fomos convidados para conhecer o Circuito da Cerveja Artesanal que o Festival montou, e nele estão inclusos uma palestra, degustação de 5 cervejas artesanais aqui de Curitiba e harmonização com alguns petiscos.

circuito cerveja festival de inverno de curitibaOlha que lindos esses porta copos que ganhamos do Centro Histórico. Eu nunca vou usar isso pra não estragar.

Agora, quero explicar uma coisa na sinceridade pra vocês: o-que-foi-essa-palestra! Gente, foi absolutamente incrível! Eu já tinha feito alguns outros passeios que envolvem degustação, e é sempre meio igual né, bebe aqui, bebe ali, conversa um pouco, explica o mínimo fim. Não que não seja legal e divertido, mas esse circuito da cerveja do Festival… nossa, deu de 1000 a zero em qualquer outro evento semelhante que eu já tenha participado.

festival de inverno de curitiba

No circuito da cerveja do Festival de Inverno do centro histórico nós degustamos 5 cervejas em dois bares, o Bar do Fogo na São Francisco, e no clássico Bar do Alemão, no Largo. (Esse circuito que fizemos foi uma versão reduzida em bares pois era um evento especial para conhecermos o curso todo. Na versão para o público os bares envolvidos são: Quintal do Monge, Jokers, Oriente Árabe, Pizza, Bar do Alemão, Bar do Fogo, Hote Blumenau e Barbearia Rei Trajano.)

Festival de inverno de curitiba

festival de inverno de curitibaComo falei, além de degustar 5 cervejas daqui, aprendemos muito, mas muuuito sobre cervejas artesanais. A sommelier Adri Baldini deu uma “aula” completíssima, explicou tanta coisa que eu jamais saberia e deu dicas muito interessantes sobre cerveja e como degustá-las melhor. Foi realmente completo.

festival de inverno de curitiba

Ainda pudemos harmonizar com alguns petiscos e realmente aprender a harmonizar e a sentir os sabores e como eles mudam conforme a cerveja escolhida.

festival de inverno de curitiba

festival de inverno de curitiba

O circuito da cerveja terá 6 edições durante o Festival. Acontece nos dias 12, 14, 15, 19, 21 e 22 de julho. Os circuitos de segunda e quarta começam às 19h e os de sábado às 16h. O valor para participar é de R$ 60 por pessoa e as vagas são limitadas.

Para fazer as inscrições é só acessar o site do festival: http://www.centrohistoricodecuritiba.com.br e também aproveitar pra conferir toda a programação do evento.

Opções de 5 bate-volta saindo de Curitiba

A gente já falou tudo e mais um pouco sobre esses lugares aqui no blog, mas achamos que seria super prático juntar em um único post opções de 5  bate-volta saindo de Curitiba. A verdade é que aqui pertinho tem MUITA coisa legal pra conhecer, que dá tranquilamente para passar o dia e voltar.

Então aqui deixamos de forma prática: distância, tempo de viagem, custos (uma base de acordo com o que fizemos; a gasolina não vou por valores porque é muito variável com tipo de carro, tipo de motorista e também preço da mesma) e quando ir.

Carambeí

Carambeí é uma delícia de lugar. É um dos maiores museus a céu aberto do Brasil, um parque delicioso pra levar a família toda. Além do parque aberto o ano todo, em algumas datas tem eventos especiais. Vale pra passar a tarde e voltar, pois fica muito próximo à Curitiba.

carambeí

Distância de Curitiba: 141km
Tempo de viagem: 2h
Quando ir: verão e inverno, é um parque histórico
Quanto custa: R$ 15 entrada do parque + R$ 22/30 de almoço + gasolina

Mais informações aqui, aqui e aqui.

Lapa

A Lapa fica ainda mais perto do que Carambeí, e é uma cidade super histórica e importantíssima pro Paraná. é uma cidade repleta de casarões antigos, muitas histórias em cada um deles, tem visitas e guias em todos os museus, além de comida típica excelente.

bate e volta lapa

Distância de Curitiba: 71,6km
Tempo de viagem: 1h24
Quando ir: verão e inverno, é uma cidade histórica.
Quanto custa: R$ 24,40 de pedágio + gasolina

O pedágio está contabilizado em ida e volta já. Como dá pra ir depois do almoço tranquilamente, não contei esse valor aqui. Mas caso vá de manhã para passear e comer algo diferente, pelo que vi, pode adicionar mais R$ 30 pra comida. A cidade não é cara!

Post completo sobre o que fazer e onde comer, aqui.

Tibagi

Aqui o assunto é meio outro: aventura. Tibagi é uma cidade pequena, simples, mas com grandes atrativos naturais e de aventura. Tem muita coisa legal pra visitar ali, desde o maior cânion do Brasil, várias cachoeiras, passeios naturais, rafting super delicioso… Vale ir com a família toda, principalmente no verão, para refrescar nas águas do Rio Tibagi.

rafting em tibagi

Distância de Curitiba: 208km
Tempo de viagem: 2h44
Quando ir: verão. No inverno é bem mais frio e tem muitos passeios em cachoeiras e rios.
Quanto custa: R$ 33 de pedágio + R$ 69 rafting + gasolina

Aqui inclui o valor do passeio de rafting porque considero algo indispensável quando em Tibagi. Ainda tem o Canion Guartelá para visitar, porém é gratuito, e outros passeios como rapel, bóia cross, caiaque… O pedágio é o mesmo de Vila Velha, já contamos o valor ida e volta.

Colônia Witmarsun

Witmarsum é um programa bem fácil pra fazer saindo da capital. O ideal é ir em final de semana, quando está tudo aberto e se preparar pra comer, comer e comer! Lá tem muitos pratos caseiros alemães, comida típica, natural.

witmarsum

Talvez não seja tanto um passeio para crianças, pois tem poucos passeios pra eles, como cavalgada e passeio de trator. Aqui tem mais sobre o que fazer por lá, onde ficar (se quiser) e onde comer.

Distância de Curitiba: 65,3km
Tempo de viagem: 1h03
Quando ir: no verão é mais gostoso, no inverno faz mais frio lá, então vá preparado.
Quanto custa: R$ 80/85 de almoço e café colonial + R$ 5 museu + gasolina

Lá tem vários passeios possíveis e lojas de artesanato e produtos locais. Não somei na conta porque considero realmente como extras. O básico é o de cima.

Vila Velha

Vila Velha é o passeio clássico do curitibano que quer algo diferentinho. Acho que bastante gente já foi, mas vale a pena ressaltar aqui.

Assim como Tibagi, é um passeio mais “aventura”, pois consiste em fazer trilha no parque. É passeio rápido, fácil, tranquilo, pra toda família e, se você não quiser “perder” o dia todo, é perfeito. Aqui demos sugestão de combinar com Carambeí ou Witmarsum, pra aproveitar bem o dia.

vila velha ponta grossa

Distância de Curitiba: 92km
Tempo de viagem: 1h15
Quando ir: qualquer época, mas lembre que no verãozão, o calor é intenso.
Quanto custa: R$ 49,50 por pessoa.

Aqui estão inclusos os 2 pedágios do trajeto ida e volta (R$ 33), a gasolina e os passeios (R$ 18). Isso dividindo a gasolina em 2 pessoas no carro. Valor médio do ano passado, pode ter alteração nessa parte que incluí a gasolina.

Como são feitas as balas de banana de Antonina? Fomos visitar a fábrica!

A gente é só amores por Curitiba e região. Gostamos daqui, da criatividade local, de tudo de bom de natureza que temos próximo e a cada dia conhecemos mais e mais cantinhos e passeios especiais pra fazer.

Agora, a minha pergunta é: vocês já comeram as balas de banana aqui da serra? Esse é um docinho original de Minas, mas que fez (e faz!) muito sucesso aqui no nosso litoral, na serra e capital. Não sei se é uma bala tão conhecida nos outros estados, mas gente, veio pra cá, é lei: bala de banana! (e barreado)

Aqui temos 2 fábricas de balas de banana, ambas em Antonina, uma cidade histórica que fica pertíssimo de Curitiba. E o que é mais legal disso tudo é que uma delas é aberta à visitação!

bala bananina

Eu não sei vocês, mas eu a-do-ro esse tipo de passeio, onde a gente pode visitar a fábrica/produção, conhecer os processos, aprender como funciona uma cultura, um ofício… acho muito interessante e acho que a gente vê tudo com outros olhos, com mais carinho pelo produto, dá mais valor de forma geral.

Nós fomos visitar a loja da fábrica e produção da Bala Bananina, que fica bem no meio do caminho entre Morretes e Antonina. A empresa é familiar, e produz bala de banana há mais de 20 anos.

Nós visitamos a fábrica no sábado – justo dia sem expediente – mas eles são tão legais que até ligaram algumas máquinas só pra gente ver como funciona. Não sei se vocês viram no nosso stories (oi, segue lá @blogfinestrino) a gente mostrando a máquina que embala as balinhas em câmera lenta, mas só é a coisa mais legal do mundo!

bala bananina

No total são 9 processos para a fabricação da bala. Primeiro a banana é colocada em um grande recipiente – sem casca lógico – e toda a água dela sai. Fica só uma pasta de banana. E olha que interessante, para 1kg de bala, precisa de 5kg de banana, porque boa parte dela é água!

bala de banana

Depois de resfriada, a massa vai pra uma mesa onde é esticada, manual mesmo, como massa com rolo de macarrão. Nesse momento a massa já está na coloração preta, cor final do doce.

Próximo passo é o corte dos quadradinhos, em um processo semi-manual também, pois apesar da máquina cortar as tiras, é preciso voltar as peças manualmente e girar pra cortar no outro sentido.

bala de banana

De lá é a parte mais legal: máquina de embalagem. Que coisa mais sensacional isso. Mais sensacional ainda porque é uma máquina adaptada pra isso, porque antes era uma máquina de embalar cigarro!bala banana bananina

Olha, vou contar que essa parte é o grande auge da visita. E o mais super, é que eles fizeram questão de deixar a máquina no processo manual pra gente ver bem detalhadamente como a máquina pega a bala, embala, gira, joga na bacia. Hipnotizante, queria ficar 271h só olhando isso ininterruptamente, haha. Aqui um videozinho dela em funcionamento:

A visita é rápida, mas muito interessante. Nunca na vida achei que fosse conhecer e saber como fazem esse produto que como desde pequena e adoro. É super curioso saber como funciona esse mercado tão específico e ficar chocado ao saber que são produzidor 300kg de bala POR-DIA, ali. 300kg de bala = 1500kg de banana, só relembrando.

Depois é só ir pra loja e experimentar os vários sabores de balas de banana que a Bananina tem. Não é só a tradicional simples não. Tem de gengibre, de pimenta, de panettone inclusive (exclusivo pro Natal). Sem contar outros muitos produtos de banana, como a banana chips (salgada e doce).

Bala de Banana Bananina:

Endereço: Rua Zung Sui Shen 91 – Antonina/PR
Telefone: (41) 3432 1383

bala banana antonina

1 2 3 308