Dia mundial do tango ♥

Ahhh quanto amoooor… hoje é o dia mundial do tango e obviamente não deixaria essa data passar em branco por aqui! Pra quem acompanha o blog já sabe que eu sou loucapaixonada pelo tango, e quem não acompanha o blog ainda, já fica sabendo.

O tango entrou meio sem querer na minha vida. Sempre achei lindo, mas nunca imaginei que poderia dança-lo e que encontraria aulas aqui em Curitiba. Aí um dia (precisamente 26/10/10) resolvi por a cara da tapa e fui fazer uma aula experimental. Gostei bastante, mas não me dedicava tanto a ele. A coisa foi crescendo, a amizade virou namoro e agora já tenho um relacionamento mais sério com a dança. Uma coisa puxa outra, aprende um detalhe aqui e descobre mais 5 outros e assim por diante. Quero um dia tentar participar do mundial. Sonho?

O fato é que o tango é tão detalhado e instigante que das duas uma: ou você desiste, ou fica a vida inteira tentando aprender tudo o que ele proporciona. Existem vários tipos de tango, sendo os mais comuns o salão (que é usado para dançar nas milongas), o tango escenário (tango show de apresentação), a milonga (bem rapidinho e animado) e o tango valsa.

Todos os estilos são cheios de regras e num primeiro momento podem assustar devido a tantas “limitações”. Tipo, não pode rebolar, não pode dançar de qualquer jeito na pista, não pode esbarrar nas pessoas, no salão não pode levantar a perna acima do joelho, não pode deixar a perna 100% esticada, não pode ficar baixando e levantando, não pode isso e aquilo e outras 82927642 regras. Mas quanto mais aprendemos, mais gostoso fica e todas as regras começam a fazer parte de você, não precisa pensar pra executar.

Vou contar um pouquinho da história do tango aqui já que é o dia dele… é bem rapidinho, juro!

O tango é originário da área de Rio da Prata, na América do Sul, nas cidades de Buenos Aires e Montevidéu. A música do tango não tem uma origem muito clara. De acordo com estudos (que não tem muita documentação de registro), o tango descenderia da habanera e se interpretava nos prostíbulos de BUE e Montevidéu, nas duas últimas décadas do século 19, com violino, flauta e violão. Nessa época inicial era dançado apenas por homens, daí que vem a regra de dançar com rostos virados e também com apoio apenas no peito, afastando as partes debaixo. Mesmo depois das mulheres entrarem na dança, essa forma de abraço continuou durante muuuito tempo, e mudou recentemente. Agora todos ensinam a postura reta mesmo, sem fazer o triângulo de apoio no peito. Na verdade ficou bem mais fácil, pois cada um tem seu eixo bem definido.

Ainda hoje existe a dança homem-homem e até mulher-mulher. Um ótimo exemplo são os irmãos Macana, que fazem apresentações muito legais:

O escritor argentino Jorge Luis Borges afirmou que por suas características o tango só poderia ter nascido em Montevidéu ou Buenos Aires. O bandoneon, que atualmente caracteriza o tango, chegou à região do Rio da Prata por volta do ano 1900, nas maletas de imigrantes alemães. Não existem muitas partituras da época, pois os músicos de tango não sabiam escrever a música e provavelmente interpretavam sobre a base de melodias já existentes.

Marinheiros franceses levaram o tango do uruguaio Enrique Saborido La morocha para Paris em 1907. Foi sensação, a cidade se apaixonou pelo tango, e fez com que muitos artistas argentinos e uruguaios viajassem e até se radicassem na capital francesa. Os pesquisadores do gênero identificam duas fases de ouro do tango, a primeira nos anos 20, quando várias figuras do ambiente artístico de Buenos Aires e Montevidéu, canalizassem seus esforços no fomento desta música popular rio-platense.

Nos anos 20, cantores como Carlos Gardel, Ignacio Corsini e Agustín Magaldi, e cantoras como Rosita Quiroga e Azucena Maizani, venderam muitos discos na indústria discográfica argentina e difundiram o tango para fora da Argentina. Os anos 40 marcam a segunda época de ouro do tango, quando novos artistas do tango como Aníbal Troilo, Astor Piazzolla e Armando Pontier se juntam a nomes consagrados como Francisco Canaro e Carlos di Sarli , isso sem contar o fenômeno de popularidade que foi a típica de Juan D’Arienzo (que eu amo demais!).

O Tango foi considerado um Patrimônio Cultural da Humanidade da Unesco em 30 de setembro de 2009, em Dubai. Tá bom pra você?

Como hoje é o dia mundial do tango (ele é tão incrível que tem um dia só dele), vai ter uma milonga especial aqui em Curitiba, em uma casa que faz milongas às terças. Vamos aproveitar e homenagear um senhor que toca bandoneon há muitos anos e é super conhecido pelos tangueiros da cidade. Ah, e sim, vou me apresentar lá também junto com outros dois casais. Se ficar boa a apresentação, mostro pra vocês!

Para saber mais de tango e afins, de onde dançar em BUE, onde fazer aulas, museus, shows, já postei várias coisas aqui neste bloguinho:

1. Shows de Tango

2. Tango em Zurique (esse é da Mari)

3. #Fail: milongas

4. Milongas

5. Escolas de tango em BUE

6. Museu Carlos Gardel

7. Academia Nacional del tango

8. Onde comprar sapatos de tango em BUE

9. Piazzolla Tango

10. Esquina Homero Manzi

11. Música: tangos

12. Maldita Milonga

Para finalizar agora de verdade, deixo aqui um video (um pouco longo, 20 minutos) muito bacana sobre a cura através do tango. É todo em espanhol, mas dá para entender bem. Trabalho super bacana e ótimas ideias de pessoas como Rodolfo Dinzel, um super tangueiro renomadíssimo. Uma frase que achei sensacional e que para muitos pode ser bastante contraditória, é “quando dançamos tango, ficamos felizes”. Uma afirmação que para quem nunca dançou pode ser algo nada a ver, já que o tango é muito triste, muito sofrido, muito dramático… mas sabe… é só uma interpretação. Dançar tango é algo muito feliz, posso afirmar com 100% de certeza. =)

Comentários

comments

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.