Um passeio pelo Carrefour em Xangai

Nada melhor do que visitar um supermercado local para descobrir um pouco mais da cultura, não é mesmo? É interessante descobrir o que aquele povo come e consome, além de encontrar as mesmas marcas globais que conhecemos com logomarcas, nomes e alfabetos completamente diferentes.

Na China acho que reconheci uns 30% dos produtos no Carrefour (pelo menos o nome do mercado é familiar!). Tem várias marcas internacionais e tal, mas quando você chega na seção de coisas a granel, você percebe o quão diferente são os hábitos alimentares daquele outro lado do mundo. Eu simplesmente não saberia dizer o que era a maioria daquelas coisas secas e com cheiro horrível. Bastante peixe, ou qualquer outra coisa do mar e da terra, tudo desidratado.

Além de todas essas coisas misteriosas e secas, tem até peixe e! Fresquinhos na piscina de plástico!

E vejam só o que achei por ali, uma prima chinesa da coxinha!

Ai, se foto pudesse transmitir cheiro! É esse cheiro nas ruas, nos lugares fechados, nos metrôs…misturado com cheiro de noodles, ovo e arroz. Acostuma depois de um tempo, como qualquer outro odor desagradável. A primeira vez na China é algo chocante em questões de comida, costumes e cultura. Afinal, são comportamentos muito diferentes do que nós do mundo ocidental estamos acostumados. Pessoas cuspindo na rua e em todo lugar, por exemplo, até hoje me dá um arrepio cada vez que ouço ou vejo. Fiquei impressionada também ao ver criancinhas com uma calça aparentemente normal, até reparar na parte de trás. Elas não usam fralda nem calcinha/cueca e na parte do bumbum tem um buraco vertical para facilitar a ida ao “banheiro”, que pode ser qualquer canteirinho. Prático, não? Mas não vi muitas com isso, só num parque. Vai ver é roupa de final de semana!

Nunca tive coragem de experimentar nada dessas coisas estranhas. Tenho a maior curiosidade de saber o que são. Perguntei uma vez, mas não entedi. Provavelmente não saberia nem em português. Em Hong Kong fui numa farmácia comprar pastilha e tinha essas coisas a granel também. Achei tão estranho comida misturada com remédio que me pareceu mais um potinho de bruxa, com ingredientes para algum feitiço!

Comer na China é algo complicado. Se tiver frescuras então… passa fome! Tento não pensar nas histórias que já ouvi ou nessa notícia de que encontraram 22 toneladas de CARNE FALSA! A suposta carne de vaca era na verdade carne de porco (mais barata) com produtos químicos para ficar mais avermelhada.

Não fui muitas vezes pra China, portanto não descobri muitos pratos. Gosto dos molhos agridoces, das friturinhas tipo rolinho primavera, e até já tenho um prato favorito: os dumplings (bolinhos com uma massa fininha, com diversos recheios e cozidas a vapor ou fritos) e dim sum, que é uma combinação de vários dumplings e outros petiscos chineses, como na foto abaixo.

Mas nem sempre a gente acerta no prato, e o que você imaginava ser um simples frango assado, vem com um detalhe surpresa:

E você, encararia uma iguaria chinesa ou comeria no McDonald’s?

Comentários

comments

1 Comment on Um passeio pelo Carrefour em Xangai

  1. Karol
    25 de outubro de 2013 at 17:14 (4 anos ago)

    Hummm, vendo os dumplings me deu uma saudade da comida de lá! Aprendi que comida na China não precisa ser bonita nem cheirosa pra ser gostosa! O esquema é comer e depois perguntar o que é!!! Hehehe É fato, a cultura é totalmente diferente.
    Eu tb vi os bebês usarem esse tipo de body com abertura no bumbum! Achei engraçado e prático, já que lá, eles usam aqueles buracos no chão e não privadas!
    Muito legal o post!

    Responder

Leave a Reply