Turista #Fail: Caraíva por Ligia Gabarra

Hoje temos um combo de categorias. A nossa turista Ligia Gabarra, do blog Marrom ao Contrário, vai contar em duas etapas a sua odisseia (de carro!) até Caraíva, na Bahia. E como toda viagem longa corre esse risco, a gente começa com os fails do trajeto até lá. E nesse caminho, algumas dicas de sobrevivência que vale a pena anotar antes de pegar a estrada.

“São 10 horas da noite, estamos dirigindo desde as 5 da manhã, agora, parados no acostamento da BR 101 na Bahia, esperando o guincho. Furamos dois pneus em um buraco gigantesco. Eu só consigo imaginar o caminhão que vai passar cambaleando pelo acostamento e esmagar todos os nossos crânios. O guincho chega depois de duas horas, eles tinham prometido em 40 minutos. Mamãe já tinha dito para não dirigir em estrada de pista única de noite, agora eu faço parte do couro: Tome cuidado, muito cuidado.

Resolvemos ir para Bahia de carro, eu recomendo, é uma aventura incrível mas deve ser muito bem planejada e feita com muito cuidado.Primeiro, tem que ter seguro, ativamos duas vezes o guincho e somos muito gratos a eles, apesar de todo atraso. Depois, toda aquela coisa do carro estar em dia é imprescindível. E por fim é muito importante ter mais de um motorista por carro e recomendável ter no mínimo dois carros, assim se alguma coisa dá errado e o celular não pega, o outro pode pedir ajuda.

Primeiramente, pra quem vem do Sul ou do Sudeste, minha recomendação é ir por Minas. BR 116 e Fernão dias. O trecho de pista única é muito menor e bem menos esburacado.

Mas você é teimoso feito eu e quer margear a praia pra chegar na Bahia. Tudo bem, sugiro então 3 dias de viagem, isso mesmo, duas paradas. Fomos pelo rio e depois pela BR 101.

A nossa primeira parada foi Carapebus, uma praínha paradisíaca do lado de Macaé. Linda mesmo, cheia de lagos e dunas.Mas o que aconteceu em Carapebus, minha gente, foi assustador, uma gangue de insetos sedentos por sangue atormentaram nossas vidas e deixaram a minha perna em estado calamitoso. Seria muito impróprio colocar fotos disso aqui, mas a situação era monstruosa mesmo. Posso dizer, alias quero muito divulgar, que todo e qualquer OFF vendido no Brasil é completamente inútil para pessoas que atraem insetos como eu. Então as dicas são: comece a tomar vitamina B12 duas semanas antes da viagem, compre Exposis Extreme versão spray, esse repelente funciona de verdade ou pra quem tem contatos na gringa compre OFF in the Woods. E se o inseto já te pegou a melhor coisa para não coçar é pasta d’água, santo remédio.

Voltando a estrada, como dizia, saímos de Carapebus as 4 da manhã, pegamos trânsitos intermináveis na BR 101, dirigimos muito mais tempo do que o planejado na expectativa de chegar em Caraíva ainda no mesmo dia. Mas ai os pneus furaram, nosso carro colega não ouviu a gente buzinando e seguiu viagem (depois de todo esse tempo dirigindo, tem que ouvir música muito alto para ficar acordado). Nossos celulares não tinham sinal, por sorte em um cantinho do acostamento o meu celular pegou e conseguimos ligar para Porto Seguro e algum tempo depois para o nosso carro colega veio nos encontrar. O guincho nos levou até um borracheiro e tivemos que dormir em um hotel porque ninguém mais tinha condição de viajar.

Acordamos em Eunápolis, enchemos a cara de café da manhã do hotel, porque queríamos chegar em Caraíva e ainda pegar uma praia (sonho meu).Se você olhar o mapa de estradas da Bahia vai ver que existe um estradinha saindo da BR 101 que vai direto a Caraíva, não caia nessa. É uma estrada horrível, que pode levar mais de 5 horas para chegar. Já estávamos muito bem avisados disso e seguimos pela estrada que vai até Porto Seguro, de onde sai a estradinha de terra mais aconselhada até Caraiva. Veja bem, só porque ela é mais aconselhada não significa que é uma estrada boa. Aquilo ali é trabalho para 4×4, mas nós fizemos em um pequeno, mas querido, Fox, que sem chuva dá conta do recado.

Então deixa eu colocar isso aqui bem claro, você chegou em Trancoso, tá com cara que vai chover e a previsão do tempo diz que vai cair o mundo, NÃO PEGUE A ESTRADA DE TERRA PARA CARAÍVA. Mas sabe como é, nós já queríamos chegar em Caraíva fazia muito tempo e resolvemos seguir viagem. Os dois carros atolados no meio do caminho não foram o suficiente para desistirmos, fomos em frente até que um caminhão caído na pista fez a gente esperar. Já eram 16hrs, horário que prevíamos estar na praia. Faltavam míseros 20 km e ninguém queria desistir. Ajudamos um trator tentando desatolar o caminhão, mas ele não dava conta não.Na fila do engarrafamento conhecemos uns locais que disseram conhecer um atalho pelas fazendas. Agora veja bem, sem esse pessoal a gente não teria chegado vivo, mas atalho não significa tele-transporte, o caminho que pegamos também era de estrada de terra e também estava um lamassal completo.A sorte é que fomos em bando, nossos dois carros se uniram aos locais e mais 3 carros de turistas, entre eles, uma 4×4. A caminhote desatolou o nosso carro 3 vezes.

A lama não acabava nunca. Passamos por 3 subidas que carro nenhum subia sem todos os nossos braços empurrando. Depois passamos por poças gigantes de água, daquelas que batem no meio da porta. Eu estava na caçamba do 4×4 pra fazer menos peso no Fox, na adrenalina do bate bunda, na chuva, tentando evitar pensar no que aconteceria se o carro quebrasse ali, a gente tava no meio do nada, celular nenhum pegava e em propriedade privada nos confins da Bahia.

Chegamos no rio de Caraíva, o que se deve cruzar para chegar na cidade as 22hrs. Nossos carro, nosso pé, nossas coisas todas, tudo tinha lama, mas chegamos no Paraíso.

sol desenhado no chão do camping para parar de chover, dá pra ser mais hippie? Mas funcionou…

Atravessamos o rio e fomos montar barraca, e quem disse que parou de chover?

Montamos as barracas em baixo de uns gazebos que compramos, mas não cabia todas as barracas em baixo dos gazebos e ainda, montamos eles em lugar pouco estratégico, a árvore em cima amassava a lona de forma a acumular água e uma parte do chão tinha pedra, não dava pra fixar ele por completo. Resultado, acordamos de madrugada morrendo de medo da água. O aconselhável é comprar uma barraca decente, dessas que têm dupla cobertura e usar lona.

Depois que a chuva acabou foi só alegria, até a hora de voltar. Chegamos no estacionamento e encontramos nosso carro com uma roda no chão. Trocamos o pneu, entramos no carro e ai… uma das rodas não rodava. Foitanta lama na ida, que… não rodava. Ligamos novamente para Porto Seguro, agendamos um guincho para 5 da manhã no dia seguinte, já eram 7 da noite e não fazia sentindo sairmos de lá nesse horário, voltamos para Caraíva, mas ninguém queria montar barraca. Uma pessoa me viu com umas sacolas e me perguntou se eu estava procurando lugar para ficar. Você mora num centro cosmopolita e logo pensou que se tratava de um golpe, né? Não, não, conseguimos as 22hrs uma casinha muito fofa, para rachar em 5 meninas por 250 reais. Muito justo.

No dia seguinte, voltamos ao estacionamento às 5 da manhã. Avisamos ao seguro que éramos em 5, então eles disseram que mandariam 2 taxis. Mordomia. Nosso primeiro taxi chegou logo em seguida, ele queria nos convencer a viajar imediatamente com ele e deixar o carro lá para o guincho pegar. E eu lá tenho cara de trouxa? Dissemos que só sairíamos de lá com nosso carro junto. Nosso segundo taxi chegou em seguida e o guincho… o guincho chegou CINCO HORAS DEPOIS. Fomos até Eunapolis, resolvemos todas as questões do carro no Val, uma casa de mecânicos muito bem equipada, tem até sala VIP de espera.

Depois disso a viagem seguiu tranqüila, voltamos por Minas, porque ninguém queria mais problema, dormimos em Teofilotoni e voltamos no dia seguinte em uma tacada só para São Paulo.

Trilha sonora dos momentos de crise – Triste Bahia – Caetano Veloso, faixa do Transa.”

Comentários

comments

4 Comments on Turista #Fail: Caraíva por Ligia Gabarra

  1. Alcebiades Gerião
    5 de fevereiro de 2011 at 15:41 (7 anos ago)

    Achei legal a parte que o Espírito Santo sumiu do mapa!
    Melhor sorte na próxima! BR101-Norte é caos!

    Responder
    • ligia
      5 de fevereiro de 2011 at 18:54 (7 anos ago)

      Ixi Acebiades,

      Não falei do ES…
      paramos rapidinho para almoçar Peroá ou Perobá? Na praia… choveu horrores…

      Responder
  2. Internet Page
    19 de abril de 2014 at 18:18 (4 anos ago)

    Caraiva e uma cidade fantastica, como todas as cidades no extremo Sul Da Bahia. Muita historia e cultura por isso que todos os anos eu volto para este lugar magico. Um dia vou morar neste paraiso e esquecer a vida de grande cidade e viver com um Bahiano! AbraçosRedus

    Responder

1Pingbacks & Trackbacks on Turista #Fail: Caraíva por Ligia Gabarra

Leave a Reply