Zurique, eu te amo!

Quando alguém fala em destino romântico, o que você tem em mente? Paris? Praias paradisíacas? Veneza? Região Toscana? Para mim, sinônimo de viagem romântica sempre foi a Suíça, pena que eu tenha ido até lá em uma das minhas viagens sozinha. De qualquer forma, lembro de Zurique como sendo uma das cidades mais gostosas que eu já visitei e agora que eu estava separando as fotos para mostrar aqui para vocês, tive apenas lembranças agradáveis.

Como eu acabei decidindo ir a Zurique de última hora, não havia organizado nenhum roteiro e nem sabia o que a cidade guardava para mim. Foi a minha primeira viagem assim e acho que por isso foi tão boa, pois pude curtir com calma sem aquela preocupação se eu estava vendo tudo o que tem de bom no destino.

A estação de trem conta com um serviço de atendimento ao turista espetacular. São várias opções de passeios separados por tema, por tempo de permanência, por idioma, entre outros. São tantas opções que só ali já é possível perder um bom tempo, mas como eu ficaria na cidade apenas 3 dias optei apenas por pegar um mapa simples, pois o que eu queria mesmo era caminhar pelas ruas e observar o lugar, as pessoas, as construções…

Enquanto ainda procurava um lugar para tomar o meu café da manhã depois de uma viagem de 9 horas de trem, escutei uma música tocando na rua e fui seguindo até me deparar com uma orquestra no meio da praça. Zurique é assim mesmo, encantadora e surpreendente.

Para quem gosta de Arquitetura, já comentei aqui que fica em Zurique o último edifício projetado por Le Corbusier, mas as famosidades arquitetônicas não acabam ali, a Stadelhofen Railway Station foi projetada por Santiago Calatrava e ver essas obras de grandes nomes da Arquitetura são sempre bons atrativos em viagens. Na foto não dá para ver muito bem, mas já é possível notar as formas orgânicas presentes em todas as suas obras. Para quem acha que não conhece o Calatrava, a Puente de la Mujer em Buenos Aires também foi projetada por ele.

Outra coisa que me chamou bastante a atenção em Zurique foi a quantidade de bandeiras espalhadas pela cidade. Eu acho que falta muito disso no Brasil. Aqui nós estamos acostumados a ver bandeiras em apenas edifícios públicos, museus ou prédios históricos. Lá elas estão por todos os cantos e deixam a cidade muito mais bonita.

O verão em Zurique é cheio de entretenimento. Uma das coisas mais agradáveis de fazer é sentar no gramado e ficar a toa. A região do lago mais parece uma praia. As pessoas usam biquíni, pegam sol, andam de bicicleta, passeiam com cachorros, fazem piquenique, jogam bola, dançam tango, tomam banho no lago…

No começo achei meio estranho, porque é como se de repente eu andasse pelos parques ou praças de Curitiba e me deparasse com pessoas de biquíni tomando banho no chafariz (não que isso já não tenha ocorrido por aqui, mas vocês entendem, né). Depois achei justificável, já que eles não podem desfrutar de uma praia com tanta facilidade como nós.

Acho válido fazer um passeio de barco pelo lago. Não sei quanto a vocês, mas eu AMO fazer passeios de barco. O passeio mais básico dura cerca de 30 minutos e custa 8Fr, o que é extremamente barato para os padrões suíços.

Mas como nem tudo são rosas, quem estiver pensando em visitar a Suíça, pode preparar o bolso! É o país mais caro que eu já visitei! A diária em um albergue custou cerca de R$70 em um quarto para 4 pessoas. Quem já viajou pela Europa sabe que esse valor está fora dos padrões dos albergues. É praticamente o preço de um hotel categoria turística em outros países.

Prepare o bolso na hora de comer também. Um sanduíche do tamanho de um pão francês comprado no mercado custa em torno de R$20!! E como não dá para ir à Suíça e não comer fondue, prepare-se para gastar pelo menos uns R$100-120 por pessoa em um restaurante mais ou menos.

Para economizar nos souvernirs, a dica de ouro é comprar no mercado!!! Sim, nos mercados tem souvenirs pela metade do preço das lojinhas normais. E são tão fofinhos quanto.

Não esqueçam de comer um bom chocolate e aproveitar o charme dessa cidade que é uma fofura.

Não vejo a hora de voltar à Suíça, mas da próxima vez quero ir no inverno e, logicamente, acompanhada para curtir um friozinho e um vinho nas montanhas.

Comentários

comments

Leave a Reply